Governo quer simplificar (e acelerar) concursos para contratar funcionários públicos

Rodrigo Antunes / Lusa

O Governo quer simplificar os concursos na administração pública, reduzindo prazos e agilizando procedimentos, de forma a acelerar a contratação de funcionários públicos, segundo uma proposta de diploma enviada aos sindicatos e que começa a ser discutida nesta segunda-feira.

O Jornal de Negócios avança esta segunda-feira que o Governo vai começar a discutir esta segunda-feira com os sindicatos a proposta que procura agilizar os concursos que levam às admissões na Função Pública.

“Como procedimento regra no procedimento comum conseguimos encurtar cerca de quatro meses”, disse Alexandra Leitão, ministra da Administração Pública, em declarações ao Jornal de Negócios, acrescentando por outro lado, que esta proposta não elimina o risco de demoras de anos.

Uma das novidades do diploma é a possibilidade de os diferentes métodos de seleção serem aplicados no mesmo dia em vez de serem implementados por fases.

“Imagine que há cem candidatos. Em vez de fazermos as provas de conhecimento, corrigirmos as provas de conhecimento, publicarmos a lista de resultados e depois começarmos a fazer as avaliações psicológicas, o que vamos fazer é convocar todos os candidatos para fazer em simultâneo as duas provas, eventualmente por meios telemáticos” como “videoconferência” ou “provas à distância”.

A proposta torna mais curtos os prazos de apresentação de documentos – para um máximo de seis dias úteis – ou de verificação dos elementos apresentados pelos candidatos por parte do júri – que passa de 10 para cinco dias quando sejam menos do que 15 candidatos -, promove os meios eletrónicos e que obriga a administração pública a ir buscar os documentos que já detém.

Além disso, os candidatos eliminados na fase inicial por não cumprirem os requisitos, poderão passar pelas provas de seleção, ainda que “potencialmente em vão”, mas para impedir atrasos.

“Pensamos que o objetivo global prende-se com a simplificação dos procedimentos, tornando mais célere a conclusão dos concursos, mas vamos aguardar o que o Governo nos vai dizer”, disse José Abraão, líder da Federação de Sindicatos da Administração Pública (Fesap), em declarações ao jornal Público.

Já a presidente do Sindicato dos Quadros Técnicos do Estado (STE), Helena Rodrigues, não é contra uma agilização dos procedimentos concursais, desde que os direitos dos candidatos estejam salvaguardados. “Estamos à espera que o secretário de Estado explique qual foi o objetivo de mexer num diploma pesado e minucioso”, disse a sindicalista ao Público.

Sebastião Santana, coordenador da Frente Comum, não se quis pronunciar sobre a proposta, uma vez que ainda está a ser analisada pelo gabinete jurídico, mas garantiu que a revisão não foi espoletada pelos sindicatos que representa.

  Maria Campos, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Mais nove mortes e 465 novos casos de covid-19 nas últimas 24 horas

Portugal registou, este domingo, mais nove mortes e 465 casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo o último boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). De acordo com o último boletim da DGS, dos 465 novos …

O O primeiro-ministro, António Costa

Governo quer reunir com todos os partidos e solicitou ao Bloco os termos de acordo escrito

O Governo quer reunir-se com todos os partidos com quem tem negociado a viabilização do Orçamento do Estado e solicitou ao Bloco de Esquerda que envie o conteúdo e os termos do acordo escrito proposto. Estas …

No Japão, o suicídio entre crianças atingiu um número recorde

Segundo um relatório divulgado pelas autoridades japonesas, o receio de uma infeção pelo novo coronavírus foi a justificação mais invocada por crianças e jovens para faltarem às aulas durante um longo período de tempo. Durante o …

Com uma nova subida de preços na segunda-feira, portugueses correm às bombas

Com o anúncio do Governo da redução do ISP, e um possível aumento do preço dos combustíveis já na próxima semana, os portugueses estão a aproveitar o fim-de-semana para abastecer. Na sexta-feira, o Governo anunciou a …

O candidato às eleições presidenciais das Filipinas Ferdinand Marcos Jr.

Ferdinand-Duterte: Eleições filipinas podem pôr duas dinastias frente-a-frente (ou lado a lado)

Ferdinand Marcos Jr. é filho de um antigo ditador filipino. Agora é candidato às eleições presidenciais e poderá enfrentar a filha de Rodrigo Duterte, Sara, ou até aliar-se a ela. Ainda faltam mais de seis meses …

Recuperados da covid-19 vão poder tomar segunda dose se for preciso para viajar

A diretora-geral da Saúde revelou, este sábado, que os recuperados da covid-19 vão agora poder tomar uma segunda dose da vacina, caso seja preciso para poderem viajar. Esta semana, o Jornal de Notícias tinha avançado que …

Líder do PCP diz que problemas do país "não se resolvem com dramatizações"

O secretário-geral do PCP defendeu, este sábado, que os problemas do país "não se resolvem com dramatizações ou com o agigantar de dificuldades sobre o futuro", numa crítica ao Governo. Num discurso de quase 30 minutos …

Marcelo fez o que podia para prevenir crise política. Agora, fica à espera do diálogo

O Presidente da República transmitiu, este sábado, que fez em público e privado o que podia para prevenir junto dos partidos uma crise política e afirmou que espera diálogo sobre o Orçamento do Estado nos …

Candidato do Chega detido por tentativa de homicídio de família sueca

O suspeito da tentativa de homicídio de uma família sueca em Moura, Beja, foi candidato do Chega à freguesia de Póvoa de São Miguel nas últimas eleições autárquicas. O líder do partido já condenou este …

A judoca Bárbara Timo

Judoca Bárbara Timo conquista ouro nos -63kg no Grand Slam de Paris

A judoca portuguesa Bárbara Timo conquistou, este sábado, a medalha de ouro no primeiro dia do Grand Slam de Paris, na sua estreia na categoria -63 kg em provas do circuito mundial. Bárbara Timo, de 30 …