Já com luz verde de Bruxelas, Governo quer Banco de Fomento a funcionar no final do ano

Tiago Petinga / Lusa

O ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital disse esta terça-feira à agência Lusa que quer o Banco Português de Fomento a funcionar no final do ano, depois da sua criação ter sido aprovada pela Comissão Europeia.

“O nosso objetivo é termos o Banco de Fomento plenamente operacional no final do ano, e para ser um protagonista daquilo que vão ser as necessidades muito importantes de financiamento que vamos ter durante o próximo ano, para apoiar um processo de retoma que queremos muito vigoroso”, disse Pedro Siza Vieira à agência noticiosa no Ministério da Economia e Transição Digital, em Lisboa.

O governante considerou o dia desta terça-feira como “importante” para Portugal, dada a aprovação, por parte da Comissão Europeia, da criação do Banco Português de Fomento (BPF), no âmbito dos auxílios de Estado.

Segundo um comunicado do executivo comunitário, “a Comissão Europeia aprovou, ao abrigo das regras da União Europeia para as ajudas de Estado, os planos de Portugal para a criação de um novo banco nacional de desenvolvimento […] para a promoção do crescimento da economia portuguesa”.

A fusão da Instituição Financeira de Desenvolvimento (IFD), do Sistema Português de Garantia Mútua (SPGM) e PME Investimento no BPF “é uma boa notícia para Portugal e para as empresas portuguesas”, considerou o governante.

Segundo o governante, o BPF “vai permitir que de forma mais eficiente e mais coordenada estas instituições passem a servir a economia portuguesa e passem a dispor de maiores recursos para apoiar o financiamento da economia numa altura tão importante”.

“Numa primeira fase, o Banco Português de Fomento vai continuar a assegurar a continuidade operacional, e portanto os tradicionais parceiros destas instituições não vão conhecer outra alteração que não seja maior eficácia e maior eficiência no funcionamento, mas a prazo irá evoluir para outras atividades“, disse o ministro à Lusa.

Segundo Pedro Siza Vieira, o objetivo passará por envolver o BPF “quer para o financiamento direto às empresas, quer também para se envolver cada vez mais como banco ‘verde’ nacional”, direcionado para “o financiamento de projetos e de iniciativas viradas para a descarbonização da economia”, bem como para a “transição energética, com um foco muito importante na coesão territorial”.

Pedro Siza Vieira manifestou também o desejo da nova instituição atuar nas “evidentes falhas de mercado” que identificou, como o “financiamento às PME, às microempresas”, ou ainda a falta de “soluções de financiamento a muito longo prazo a projetos que possam ser mais arriscados”, como no setor ecológico, digital ou de inovação.

“Julgo que do ponto de vista da entrada em novas áreas de atividade nós precisamos de reconhecer que o mercado, por si só, não está a conseguir financiar”, argumentou.

Pandemia “atrasou o processo”

Questionado por que motivo a criação do Banco de Fomento ultrapassou o objetivo dos primeiros 100 dias de governação, e também sobre o impacto da pandemia, o ministro disse que a pandemia “atrasou o processo”.

“Foi precisamente por causa da pandemia que houve um conjunto de prioridades que quer do lado do Governo, quer do lado das próprias instituições objeto de fusão estarem muito envolvidas no apoio às empresas nesta altura, quer do lado da Comissão Europeia”, justificou o ministro, mencionando não entanto que as entidades não deixaram de trabalhar no processo até aos dias de hoje.

Pedro Siza Vieira disse ainda à Lusa que o Governo já solicitou e está a trabalhar com o Banco de Portugal no processo da avaliação da fusão das três instituições e subsequente criação do BPF. “O Banco de Portugal tem que avaliar o capital de que a instituição estará dotada, os seus sistemas, os seus processos, a sua organização, para termos a confiança de que estamos a criar uma instituição que seja robusta, que seja credível do ponto de vista da gestão de riscos e do cumprimento das normas de supervisão”, disse o ministro.

Na prática, sintetiza a RTP, Bruxelas autorizou Portugal a ter um banco com capitais públicos no valor de 225 milhões de euros para financiar e conceder crédito e garantias bancárias, apoiar a exportação e lançar novas empresas.

“A grande diferença em relação aos bancos tradicionais é que o banco de fomento ficará com a responsabilidade de atuar onde há falhas no acesso ao crédito para determinado tipo de empresas consideradas estratégicas”, explica ainda a estação pública.

Segundo o jornal Público, depois da luz verde da Comissão Europeia, fica a faltar agora a do Banco de Portugal, agora liderado pelo ex-ministro das Finanças, Mário Centeno. Depois, terá de ter novamente a aprovação em Conselho de Ministros.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Veneno de tarântula pode ser benéfico no tratamento de dores viscerais

Uma equipa de investigadores australianos identificou dois peptídeos do veneno da tarântula, que podem ajudar a aliviar dores em órgãos do sistema digestivo. Há algum tempo que os cientistas investigam a funcionalidade do veneno em doenças, …

Cientistas propõem reciclar beatas de cigarro para fazer tijolos

Os cientistas afirmam que se apenas 2,5% dos tijolos produzidos em todo o mundo, anualmente, incluíssem 1% de beatas, seria possível reciclar todas as pontas de cigarro a nível global. Um grupo de investigadores da Escola …

Taxa de natalidade desce quase um terço em cidade chinesa

As autoridades chinesas reconheceram oficialmente que a taxa de nascimentos em Xinjiang, cidade situada no noroeste da China, desceu quase um terço em 2018, comparada com o ano anterior. De acordo com a CNN, o governo …

Dynetics revela o módulo lunar do programa Artemis (incluindo o interior)

A empresa norte-americana Dynetics revelou, no dia 15 de setembro, um modelo em escala real do módulo lunar especialmente projetado para levar os astronautas da NASA à Lua já em 2024, como parte do programa …

Polícia de Nova Iorque de origem tibetana acusado de espiar ao serviço da China

Um polícia nova-iorquino originário do Tibete foi acusado de espionagem pelas autoridades norte-americanas por, supostamente, ter recolhido para o Governo chinês informações sobre a comunidade tibetana em Nova Iorque. De acordo com a acusação das autoridades …

Football Leaks. PJ desconhecia acesso das autoridades francesas às provas

O inspetor da PJ, José Amador, revelou, esta terça-feira, que esta polícia não teve conhecimento do acesso das autoridades francesas às provas apreendidas a Rui Pinto durante a sua detenção na Hungria. Na quinta sessão do …

Aldeões ajudam tropas indianas que enfrentam militares chineses nos Himalaias

Cerca de 100 residentes da vila de Chushul atravessam o território indiano de Ladakh para chegar a um pico dos Himalaias conhecido como Black Top, a uma altitude de mais de 4500 metros, levando suprimentos …

Detido na Rússia líder religioso que diz ser a reencarnação de Jesus

O líder religioso, que diz ser a reencarnação de Jesus, foi detido, na Rússia, esta terça-feira, durante uma operação especial. De acordo com as imagens divulgadas pelo jornal The Guardian, vários agentes da polícia, armados e …

Covid-19: Universidade de Coimbra tem novo programa de rastreio aleatório para alunos e docentes

A Universidade de Coimbra (UC) preparou um Plano de Prevenção e Protocolo de Atuação para garantir o regresso às aulas em segurança para alunos, professores, docentes e comunidade. "Tendo em conta a situação pandémica que estamos …

Jogador substituído aos 14 segundos

Substituição insólita foi realizada na primeira divisão da Estónia. Jovem nem tocou na bola. Jogo da 21.ª jornada do campeonato nacional da Estónia, primeira divisão. O FCI Levadia recebe o JK Nõmme Kalju e vence por …