Governo prepara sanções para empresas que paguem menos às mulheres

As empresas onde as mulheres ganhem menos do que os homens, em funções iguais, deverão vir a ser penalizados pelo Estado, nomeadamente no acesso a contratos públicos e a fundos europeus.

O jornal Público teve acesso às linhas orientadoras da nova proposta de Lei de combate à desigualdade salarial entre homens e mulheres que está a ser preparada pelo Governo e que deverá ser apresentada ao Parlamento até ao final de Abril.

De acordo com o diário, o Governo está a preparar a penalização das empresas onde as mulheres ganhem menos do que os homens, nomeadamente por via da não autorização ou da limitação de acesso a contratos com o Estado.

As empresas onde não exista igualdade salarial poderão assim vir a ser excluídas de concursos públicos para adjudicação de obras, mas também de programas de apoio estatal a estágios profissionais e do acesso a Fundos Estruturais da União Europeia.

O diploma está ainda a ser ultimado e será depois apresentado aos parceiros sociais para aprovação em Conselho da Concertação Social (CCS).

De acordo com dados do Eurostat relativos a 2015, em Portugal, a disparidade salarial entre homens e mulheres situa-se nos 17,8%, enquanto a média da União Europeia a 28 Estados-membros está nos 16,3%.

ZAP ZAP //

PARTILHAR

9 COMENTÁRIOS

  1. Em vez de se preocuparem em ter uma justiça e igualdade de trabalho real andam os nossos políticos a brincar com medidas a “granel” como estas. Em quanto não houver essa justiça e competência real no mercado de trabalho nenhum investidor estrangeiro que queira realmente investir (e não “sacar” fundos) vem para Portugal.
    No final, este tipo de medidas acaba mais por prejudicar do que favorecer.

  2. Então e as instituições estatais, também vão ser penalizadas????
    Trabalho numa universidade pública e a descriminação relacionada com o género é escandalosa, mais uma vez “faz o que eu digo, não faças o que eu faço”…

  3. Ao contrário do que dizem os senhores, esta medida é sim necessária. Mas claro como vossas senhorias ganham mais estão-se a lixar para quem ganha menos 🙁 É claro que faltam mais empregos e dignos, não precários como há muitos por aí

  4. Esta medida revela-se (caso seja verdadeira) uma incompetência da nossa liderança política. A atribuição de penalizações para empresas que não pagem o mesmo para ambos os gêneros significa que estamos a valorizar a incompetência. O facto de pagarmos o mesmo, significa que, por exemplo, se o homem trabalhar com mais eficiência e em maior quantidade ele não poderá ser recompensado por essa mesma eficiência o que significa que trabalhar mais ou menos é indiferente, ou seja, não existe mérito e as pessoas optarão por trabalhar menos. Faço este exemplo tanto com homens como mulheres não interessa, o salário deveria ser de acordo com a produtividade, pois isso é que garante uma evolução positiva da nossa economia nacional e e global. Por alguma razão o comunismo perdeu.

Ministério Público abre inquérito para averiguar adjudicações de vereador de Coimbra

A Procuradoria-Geral da República afirmou esta terça-feira que instaurou um inquérito para averiguar as alegadas adjudicações feitas pelo vereador Jorge Alves, que renunciou ao cargo, nos Transportes Urbanos de Coimbra a uma empresa detida pelo …

Reino Unido. Dados sobre assassinos e violadores não foram enviados para a UE

A condenação no Reino Unido de 109 assassinos, 81 violadores e um indivíduo que cometeu ambos os crimes não foi transmitida aos países da União Europeia (UE) devido a uma falha informática e ao consequente encobrimento …

Vaga de frio no Texas. Mulher processa empresa de energia depois de receber conta de 9.000 dólares

Uma mulher residente no estado do Texas, nos Estados Unidos, avançou com uma ação coletiva de mil milhões de dólares contra o seu fornecedor de energia depois de a empresa apresentar uma conta de eletricidade …

Sérgio Conceição elogia SC Braga e fala de pessoas "subservientes" que querem "tachinhos"

Na antevisão do jogo com o SC Braga, marcado para esta quarta-feira, a contar para a segunda mão das meias-finais da Taça de Portugal, Sérgio Conceição referiu-se a algumas incidências do último dérbi, mostrou-se desagradado …

Arábia Saudita. Repórteres sem Fronteiras pedem acusação do príncipe herdeiro pela morte de Khashoggi

A organização Repórteres Sem Fronteiras (RSF) entrou com uma ação judicial na Alemanha, na qual pede a acusação do príncipe herdeiro saudita Mohammed Bin Salman por crimes contra a humanidade, incluindo o assassinato do jornalista …

População prisional reduziu 18% nos últimos quatro anos

A ministra da Justiça salientou hoje que, nos últimos quatro anos, a população prisional baixou de 13.779, no final de 2016, para 11.300 no final de 2020, o que traduz uma redução de cerca de …

"A rebeldia de João Félix". Imprensa espanhola destaca o temperamento do avançado

João Félix volta a ser o centro das atenções da imprensa desportiva espanhola, depois de na última jornada da La Liga o internacional português celebrar o seu golo com recurso a alguns palavrões em direção …

Debaixo de fogo devido a comparações a Hitler, Amazon altera ícone da sua aplicação

A Amazon mudou o novo logótipo da sua aplicação de smartphone depois de várias vozes críticas terem comparado a imagem ao ditador alemão Adolf Hitler. A gigante do comércio eletrónico lançou o novo ícone em janeiro …

Este ano não vai haver NOS Primavera Sound. Festival regressa em 2022

Após já ter sido adiada de 2020 para 2021, a 9ª edição volta a ser reagendada e já tem novas datas. O NOS Primavera Sound é o primeiro grande festival de verão português a anunciar …

Vice-presidente do Zimbabué demite-se após acusações de abuso sexual

O vice-presidente do Zimbabué, Kembo Mohadi, acusado de assédio sexual, anunciou esta segunda-feira a sua demissão do cargo, tendo reafirmado a sua inocência. "Demito-me do cargo de vice-presidente da República do Zimbabué com efeito imediato", escreveu …