Governo paga para desempregados trabalharem no interior

Rodrigo Gatinho / Portugal.gov.pt

Ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, José António Vieira da Silva

Ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, José António Vieira da Silva

O ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social afirmou este sábado que as políticas ativas de emprego vão voltar a diferenciar positivamente as colocações e os empregos criados em zonas de baixa densidade, medidas em desenvolvimento no final do ano.

À margem da Universidade de Verão do Departamento Federativo das Mulheres Socialistas da Federação da Área Urbana de Lisboa, Vieira da Silva foi questionado pelos jornalistas sobre a notícia avançada pelo Jornal de Notícias de que serão dados apoios financeiros aos desempregados que se mudem das grandes áreas urbanas para o interior do país, no âmbito das medidas anunciadas sexta-feira pelo Governo no Conselho de Concertação Territorial.

“As políticas ativas de emprego voltarão a diferenciar positivamente as colocações e os empregos criados em zonas de baixa densidade, zonas que tem mais carência de iniciativa económica. Isso já aconteceu no passado, não estava a acontecer no passado recente e já foi anunciado que voltará a ser um critério prioritário”, explicou.

Em relação a prazos, o ministro antecipou que “do ponto de vista de políticas ativas de emprego elas estarão já em desenvolvimento no final deste ano, nos próximos meses”.

Vieira da Silva detalhou ainda que será dirigido “um esforço mais forte para que se apoie a criação de emprego em zonas que carecem desses empregos” porque “o que é difícil é a criação de oportunidades em zonas onde elas existem menos“.

“O que o Estado pode fazer é, através dos instrumentos que tem, que são os apoios à contratação seja no domínio dos apoios financeiros seja no domínio por exemplo da Segurança Social, privilegiar para que os apoios que são concedidos sejam mais fortes para um emprego criado nessas regiões com carência de emprego do que um emprego criado noutra região do país”, referiu.

O Governo vai analisar no início de outubro um conjunto de “155 medidas concretas” para valorizar o interior do país, de acordo com um relatório apresentado sexta-feira, revelou o ministro adjunto Eduardo Cabrita.

O relatório do Programa Nacional de Coesão Territorial foi elaborado pela Unidade de Missão para a Valorização do Interior (UMVI), criada em março, e foi apresentado em Lisboa numa reunião do Conselho de Concertação Territorial (CCT), que teve a presença do primeiro-ministro, do ministro-adjunto, dos ministros das Finanças, da Economia, das Infraestruturas e do Ambiente, além de representantes dos municípios, das freguesias, das áreas metropolitanas e das comunidades intermunicipais.

/Lusa

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Este ministro é tão “ESPERTO… TÃO INTELIGENTE” que até dá alergias. Essi era preciso que houvessem empresas que metessem empregados. Têm falido, têm fechado… está assim tão mal informado? E as que estão abertas não querem mais encargos, já lhes chega os que têm. É tão triste a geringonça só ter ideias tristes sem viabilidade. Informe-se antes de fazer convites sem sentido. As empresas não têm condições de meter mais trabalhadores. Será que este homem não pensa que mtas empresas pagam rendas, salários, seg. social e IRS dos funcionários, seg. social dos patrões, agua, eletricidade, gás (em certos casos), IVA, IRC, despesas das viaturas, combustível, fornecedores, impostos, etc…

    • Olá senhora Assunção

      Sendo certo que referiu um conjunto de aspectos que são verdadeiros (as despesas que uma empresa acarreta ) fiquei na duvida relativamente a soluções alternativas.
      Sabemos que a concentração maior de pessoas está no litoral, logo, o interior sofre daquilo que se chama desertificação. Assim sendo, qual seria a sua solução para o problema?
      Sabe, por algum lado se tem de começar e as politicas que têm existido, nos diversos governos, para travar essa assimetria social e populacional entre Litoral e Interior, têm sido muito tenues, com algumas medidas avulsas e inconsequentes, que não tem resolvido cabalmente o problema.
      Por mim, sinceramente, equaciono cada vez mais, vir a desenvolver a minha vida no interior do País. Medidas como esta não resolvem tudo mas são um passo para ajudar a resolver. Se houver pessoas que tenham casa no interior e estejam desempregadas, poderá ser uma solução viável para voltarem ao mercado de trabalho, eventualmente até por via da criação duma “start- up”, isto é, criarem o seu próprio negócio, aproveitando os recursos que o interior possa ter para oferecer.
      Cumprimentos para si

  2. Sei que não tem a ver com o que se trata mas venho falar da minha indignaçã ninguém fala mas eu queria saber como um deputado um vereador até um presidente tem bens tão grande porque com o salário que ganhao não dá até um tem pinho atrás o Lula era analfabeto e hoje o filho e dono de uma marca de carne famosa tem fazenda o salário deles da pra ter tudo isso o Brasil é um pais mas ridículo do mundo esses camadas de sáfados vai se aposentar também com cem anos eles e traficantes teriam que ter o mesmo tratamento pôs quando um traficante é preso perde todos os seus bens e porque os deputados não perde os seus bens porque com trinta mil não dar pra ter um avião fazendas o Brasil pra melhoras tinha que ter uma intervenção dos estados unidos aí sim ia virar um país de verdade e não um país de palhaço

RESPONDER

Técnicos insistem que INEM transporta muitos doentes não urgentes para urgências hospitalares

Os técnicos de emergência pré-hospitalar insistiram na necessidade de rever os fluxos de triagem dos doentes transportados pelo INEM para as urgências dos hospitais e reconhecem maior dificuldade na passagem do doente devido à elevada …

Ministro da Defesa não participou na organização das comemorações do Dia do Exército — onde foi vaiado

João Gomes Cravinho não participou no processo de organização do Dia do Exército, cerimónia onde foi vaiado e onde não foi tocado o hino daquela força militar. O governante foi, nas últimas 24 horas, defendido …

Recorde: Palmeiras de Abel rematou... 36 vezes num jogo

Um "massacre" da equipa de Abel Ferreira, que conseguiu uma vitória difícil contra o Sport. O Palmeiras prolongou a série positiva no Brasileirão. A equipa de Abel Ferreira chegou à terceira vitória consecutiva no campeonato, levando …

A vitória em Barcelona deve ajudar... a bilheteira do Real Madrid

O máximo que o Santiago Bernabéu registou nesta época foi 24 mil espectadores. Com condicionantes. O renovado Estádio Santiago Bernabéu já acolheu três jogos do Real Madrid nesta temporada mas muitas cadeiras ficaram vazias. O mítico palco …

Mais três mortes e 829 novos casos por covid-19 nas últimas 24 horas

Portugal conta mais mais 1284 recuperados. A maioria dos novos casos são em Lisboa e Vale do Tejo e no Centro. Nas últimas 24 horas, Portugal registou mais três mortes e 829 casos de infecção pelo …

Operação Marquês. Relação de Lisboa obriga Ivo Rosa a admitir o recurso do MP e a ficar com os autos da não pronúncia

O Tribunal da Relação de Lisboa decidiu que o juiz de instrução criminal tem de continuar a ser responsável por parte do megaprocesso da Operação Marquês, contra a vontade do magistrado. O Tribunal da Relação de …

OE2022: Catarina Martins diz que Governo “talvez queira” uma crise política

A coordenadora do BE, Catarina Martins, acusou hoje o PS de não querer uma solução para o Orçamento do Estado, considerando que o Governo “talvez queira” uma crise política e eleições antecipadas, o que será …

Nova maternidade de Gaia entra em funcionamento em janeiro de 2022

Vila Mova de Gaia está prestes a ter uma nova maternidade. Espera-se que as obras fiquem concluídas em dezembro deste ano. O funcionamento deverá ter início em janeiro de 2022. Rui Guimarães, presidente do Conselho de …

Teste à covid-19

Investigadores descobrem marcador biológico que antecipa prognóstico de covid-19

Um grupo internacional de investigadores no qual estiveram envolvidos especialistas da Fundação Champalimaud descobriu um marcador biológico com potencial para dar prognóstico da gravidade da covid-19, com a deteção do marcador a resultar de um …

O Presidente do Governo Regional da Madeira, Miguel Albuquerque

Nem as regiões autónomas são boia de salvação. PSD Açores e PSD Madeira contra OE2022

As regiões autónomas têm historial de votar de forma diferente o Orçamento do Estado, caso seja essa a indicação da comissão política regional e se houver ganhos para a região. Desta vez, parece não ser …