Governo duplica ajuda a bares e discotecas

O Governo vai duplicar o limite máximo dos apoios, através do programa Apoiar,  a empresários em nome individual de setores que se mantêm encerrados por lei.

O Governo decidiu não só prolongar o programa Apoiar para empresas que continuam encerradas por causa da pandemia, mas também aumentar os apoios que vai dar, escreve o Eco.

Tendo em conta que a reabertura dos bares e discotecas limitada às regras da restauração, desde 1 de agosto, continua a prejudicar bastante as atividades económicas deste setor, o Governo decidiu duplicar os apoios a fundo perdido.

As atividades de diversão e recreativas — como pavilhões de tiro, fogos de artifício, espetáculos de luz, clubes de dança recreativa, infraestruturas de praia, exploração de flippers e jogos eletrónicos ou pistas de patinagem e aluguer de equipamento recreativo — não são abrangidas por estas medidas, segundo o jornal Público.

Assim, ao mesmo tempo que prolonga o programa Apoiar — que atribui 20% da quebra de faturação em 2020 face a 2019 e registada pelo fisco através do sistema e-Fatura — até 31 de dezembro, o Executivo promete um “reforço de liquidez” nestas empresas.

Para os bares e as discotecas, os apoios dividem-se entre os que tiveram uma quebra de faturação de 25 a 50% e superior a 50% identificada pelo Fisco. No primeiro caso, o limite máximo é majorado em 27.500 euros para microempresas e em 67.500 para pequenas e médias empresas; no segundo, o limite máximo é majorado em 41.250 euros para microempresas e em 101.250 euros para pequenas e médias empresas.

Este reforço da liquidez, que se traduz numa duplicação do apoio já atribuído, equivalente ao valor do incentivo apurado correspondente ao último trimestre de 2020, visa melhorar as condições de liquidez das empresas para fazerem face aos compromissos de curto prazo, contribuindo para a sua subsistência durante e após o surto pandémico”, lê-se na portaria publicada esta terça-feira em Diário da República.

O documento, assinado pelo ministro da Economia e do Planeamento e um secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, garante então o reforço do “apoio extraordinário à manutenção da atividade, previsto nas medidas Apoiar.pt e Apoiar + Simples“.

Nos restantes setores, incluindo as atividades de diversão e recreativas, segundo o texto da portaria, “no caso das empresas com quebras de faturação superiores a 50%, estes apoios podem ascender a 7.500 euros no caso dos ENI sem contabilidade organizada, a 41.250 euros no caso das microempresas, ou a 101.250 euros no caso das pequenas, médias e grandes empresas elegíveis”.

“Caso a quebra se situe entre os 25% e os 50%, os apoios podem atingir os 5.000 euros, 27.500 euros ou 67.500 euros, respetivamente”, acrescenta.

“Esta medida aplica-se retroativamente às candidaturas aprovadas e o ajustamento dos valores a receber será feito de forma automática, garantindo assim uma rápida operacionalização dos apoios”, promete o Executivo.

De acordo com as três fases de desconfinamento anunciadas no último Conselho de Ministros, os bares e as discotecas abrirão portas no início de outubro, quando 85% da população portuguesa já estiver totalmente vacinada. Os clientes terão, no entanto, de apresentar o certificado digital covid-19 ou um teste negativo.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Gil Vicente 1-2 Porto | Dragão canta de galo com dois golaços

Foi sofrer até ao fim. Sérgio Conceição tinha alertado que não seria fácil bater o Gil Vicente e foi isso que ocorreu na noite desta sexta-feira em Barcelos. O FC Porto apenas a um minuto dos …

Na II Guerra Mundial, um erro "humilhante" destruiu dois imponentes navios de guerra da Marinha Real

No dia 10 de dezembro de 1941, os japoneses afundaram os imponentes Prince of Wales e Repulse. A culpa foi do almirante Thomas Phillips que, na sequência de um "erro humilhante", acabou também por falecer. Winston …

O robô Atlas, da Boston Dynamics, faz parkour (e até dá um mortal para trás)

O Atlas é, sobretudo, um projeto de investigação: um robô que ajuda os engenheiros da Boston Dynamics a trabalhar em melhores sistemas de controlo e perceção. O parkour é um verdadeiro desafio para os seres humanos, …

Na Tailândia, um "cemitério" de táxis foi transformado numa horta sobre rodas

Desde pimentos a pepinos, beringelas e até mangericão. Num parque de estacionamento ao ar livre em Banguecoque, os táxis abandonados transformam-se em hortas para alimentar os trabalhadores. A pandemia de covid-19 obrigou os táxis de Banguecoque …

Morreu o "último nazi" canadiano, aos 97 anos

Um ucraniano que serviu como tradutor no regime nazi morreu na quinta-feira na sua casa, em Ontário, no Canadá, encerrando uma luta de décadas para deportá-lo e acusá-lo de cúmplice no assassinato de dezenas de …

No Sri Lanka, elefantes traficados foram resgatados. Mas voltaram às pessoas que os compraram ilegalmente

Um tribunal do Sri Lanka devolveu elefantes resgatados a pessoas influentes que foram acusadas de os terem comprado ilegalmente. Durante alguns anos, elefantes selvagens permaneceram na corda bamba de uma intensa batalha de custódia judicial entre …

Sporting 1-0 Marítimo | Porro volta a decidir de penálti

Que sofrimento! É normal ver os “grandes” dominarem por completo os seus adversários, mas nesta partida entre Sporting e Marítimo, em Alvalade, praticamente só houve uma equipa a atacar e a procurar o golo. Ainda assim, …

A falhar pagamentos e com 260 mil milhões de dívida - como é que a Evergrande chegou até aqui?

A situação da imobiliária chinesa Evergrande, que tem uma dívida maior do que a economia portuguesa, está a deixar o mundo ansioso sobre uma eventual repetição da história da crise de 2008, que começou com …

A lava do vulcão de Las Palmas já destruiu mais de 200 casas, mas uma permanece intacta na devastação

Como se protegida por um manto de invencibilidade, a construção escapou à força da lava que a serpenteou para felicidade dos seus proprietários, um casal de reformados dinamarquês que escolheu fixar-se naquele território precisamente pela …

Talibãs retomam execuções e amputação de mãos como punição

Os Talibãs voltarão às execuções e à amputação de mãos como forma de punição, avançou um dos fundadores do grupo, Nooruddin Turabi, indicando que as represálias nem sempre ocorrerão em público. À Associated Press, Turabi alertou …