Governo começa hoje a discutir aumento do salário mínimo. CGTP insiste em 650 euros

Manuel de Almeida / Lusa

Vieira da Silva, ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social

O Governo e os parceiros sociais dão início esta terça-feira à discussão sobre o aumento do salário mínimo para o próximo ano, com as centrais sindicais a exigirem um valor superior a 600 euros.

Na reunião, marcada para as 15h30 no Conselho Económico e Social (CES) em Lisboa, o ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Vieira da Silva, irá ainda apresentar o décimo relatório de acompanhamento do acordo sobre a retribuição mínima.

Segundo o último relatório, em março havia 764,2 mil trabalhadores a receberem o salário mínimo (580 euros), um aumento de 4,2% face ao mesmo período do ano anterior. Pela primeira vez, não se verificou um aumento da percentagem de trabalhadores abrangidos, que se manteve em 22,9% em março.

Para o próximo ano, a UGT exige a fixação do salário mínimo nos 615 euros, um aumento de 6%, enquanto a CGTP insiste em 650 euros.

Do lado das confederações patronais, o presidente da CIP (Confederação Empresarial de Portugal), António Saraiva, admitiu, em junho, vir a propor um valor de salário mínimo superior a 600 euros, remetendo a discussão para o último trimestre do ano.

Iremos surpreender a sociedade portuguesa na próxima discussão do salário mínimo, porque provavelmente teremos algumas surpresas daquilo que é o entendimento do valor do salário mínimo e daquilo que desejamos que venha a ser o salário mínimo”, disse António Saraiva.

Segundo os dados apresentados aos deputados por Vieira da Silva, ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, o número de trabalhadores com salário líquido entre 600 a 900 euros cresceu 8,7% (mais 111,6 mil), enquanto entre 900 a 1.200 euros houve um aumento de 8,2% do número de trabalhadores, entre 1.200 e 1.800 euros aumentou 9,5% e acima de 1.800 euros o crescimento foi de 7,2%.

“Esta é provavelmente a informação mais relevante no sentido positivo dos dados sobre emprego e desemprego que foram conhecidos há poucos dias”, sublinhou o ministro, citado pelo Observador. Vieira da Silva disse ainda que os índices da negociação coletiva também continuam a crescer, com um aumento de 10,5% de trabalhadores abrangidos por convenções coletivas nos três primeiros trimestres, para 780.379.

O Governo tem manifestado abertura para acolher propostas de atualização dos parceiros, sublinhando porém que o único compromisso assumido é de que o valor chegará aos 600 euros em 2019, tal como está expresso no programa do executivo.

Subida do salário mínimo custa 17 milhões no Estado

A parcela de despesa com pessoal que o governo prevê gastar com a subida do salário mínimo em 2019 ronda os 17 milhões. As contas foram feitas assumindo um aumento de 5% na remuneração mínima mensal, se o salário mínimo for fixado nos 600 euros.

O impacto da despesa com da subida do salário mínimo na função pública em 2019 será menor do que o observado em 2018 – em que a fatura foi de 20 milhões de euros -, o que se justifica, explica o DN, pelo facto de, este ano, com o descongelamento, alguns milhares de trabalhadores se terem passado a ter como remuneração base um valor de 635 euros.

O universo de funcionários da administração central que atualmente recebe o salário mínimo nacional ronda os 61 mil, a que se somam cerca de 17.500 das autarquias. O valor apenas terá em conta os trabalhadores do Estado porque a fatura do pagamento dos salários nas autarquias sai dos respetivos orçamentos.

Ao que foi possível apurar, este acréscimo de despesa de 17 milhões de euros, não será retirado à margem de 50 milhões de euros que o governo diz ter disponível para aumentar os salários da função pública em 2019.

Além disto, está ainda prevista uma parcela de 9 milhões de euros para reposicionamentos na tabela dos assistentes operacionais – jardineiros, motoristas auxiliares de educação ou de ação médica, por exemplo – para acautelar que os que estão agora no salário mínimo e progridam em janeiro, avançam de imediato para os 635 euros.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Adorava que TODOS os ministros, deputados, autarcas & Companhia Ilimitada, recebessem mensalmente € 650,00, SEM MAIS QUAISQUER MORDOMIAS, para se governarem!!! 650,00 euros é uma verba que hoje em dia não vale NADA, quando se tem de pagar rendas de casa de 500, 600 ou mais euros e não são condomínios privados…!

  2. Pois, porque é que trabalhadores por conta própria, como tantos milhares e milhares de portugueses, que muitas vezes levam para casa ao final do mês bem menos que o salário mínimo (quando levam alguma coisa, ou quando não levam apenas despesas), têm de suportar o aumento do salário mínimo, quando simultaneamente são penalizados em impostos regressivos (como o IMI ou o ISP, só para citar 2 exemplos)?
    Se Portugal não está melhor, e por isso não pode diminuir a carga fiscal para todos, não vejo razão para puxar o cobertor mais para um lado se isso implica destapar do outro.
    Façam antes por aumentar o tamanho do cobertor e depois tapem todos por igual, que todos têm frio e todos têm direito a aquecerem-se!

Antártida tem quase mais 20% de colónias de pinguins-imperador do que se pensava

Imagens de satélite revelam que há quase mais 20% de colónias de pinguins-imperador na Antártida do que se pensava anteriormente, totalizando 61, divulgou esta quarta-feira a Agência Espacial Europeia (ESA). Dados obtidos por dois satélites europeus …

De taxista a bombeiro. EHang lança drone para combater incêndios em arranha-céus

A chinesa EHang tem concentrado os seus esforços em serviços de táxi ou turismo aéreo. Agora, a empresa de mobilidade quer provar a versatilidade da sua plataforma de veículos autónomos com o lançamento de uma …

Netflix lidera mercado de streaming em Portugal e ranking do IMDb

A Netflix junta, neste momento, o melhor de dois mundos. Tem um catálogo maior, e por isso com mais produções bem cotadas no IMDb, e é também o serviço de streaming com maior número de …

"Estou cansada de ter medo". Candidata da oposição faz tremer presidenciais na Bielorrússia

Na Bielorrússia, Svetlana Tikhanovskaya, candidata da oposição de apenas 37 anos, está a fazer frente ao mais antigo líder da europa, na corrida as eleições presidenciais. Tikhanovskaya mantém-se firme na luta pelo poder contra o presidente …

Fauci revela que recebeu ameaças de morte e que as suas filhas foram assediadas

Anthony Fauci, um dos principais peritos em doenças infecciosas da Casa Branca, revelou esta quarta-feira que recebeu ameaças de morte e que as suas filhas foram assediadas por causa das suas declarações sobre a covid-19. "Receber …

Califórnia já tem uma estrada pavimentada com plástico

O que parece uma estrada comum é agora a mais recente novidade na cidade de Oroville, na Califórnia. A nova construção junta uma tecnologia que mistura garrafas de plástico com asfalto. Por cada quilómetro de …

Mais de mil operacionais combatem cinco grandes fogos em Portugal

Mais de 1100 operacionais e 16 meios aéreos estão a combater, esta quinta-feira, os cinco maiores incêndios rurais em território continental, concentrados sobretudo na região Centro, de acordo com dados da Proteção Civil. Segundo o site …

Coca-Cola financiou estudos científicos que minimizaram o papel das bebidas açucaradas na obesidade, revela investigação

A Coca-Cola terá financiado com milhões de dólares vários estudos científicos que minimizaram o impacto das bebidas açucaradas na obesidade. A conclusão é de uma investigação publicada na revista médica Public Health Nutrition, que conta …

André Ventura vai pedir suspensão temporária do mandato no Parlamento

O deputado do Chega vai pedir, em setembro, a suspensão do mandato parlamentar até fevereiro do próximo ano para se dedicar às campanhas eleitorais da região dos Açores e das Presidenciais. Em declarações à agência Lusa, …

Governo abre concursos para 800 novos técnicos especializados nas escolas

As escolas vão poder contratar mais de 800 novos técnicos especializados, um reforço de recursos humanos "englobado nas medidas excecionais de organização e funcionamento das escolas para o próximo ano letivo". "As escolas vão poder contratar …