Governo fecha acordo com técnicos de Bruxelas

O Governo obteve luz verde dos técnicos da Comissão Europeia para medidas em sete áreas, com um crescimento do PIB menor do que o previsto e um défice estrutural com menos 0,4 pontos percentuais, deixando de haver incumprimento grave.

TSF avança que nesta versão do Orçamento de Estado para 2016, que obteve o acordo técnico de Bruxelas, o Produto Interno Bruto (PIB) vai crescer apenas 1,9% em 2016, ao contrário da previsão anterior de 2,1%, devido às medidas recessivas acordadas.

O défice estrutural cai 0,4 pontos percentuais – cerca de 700 milhões de euros, o dobro do estimado pela equipa de Mário Centeno na primeira versão do esboço orçamental -, uma descida suficiente para que a Comissão Europeia deixe de falar em incumprimento grave das regras europeias.

Uma fonte próxima das negociações técnicas afirmou à TSF que foram acordadas medidas em sete áreas, incluindo um reforço nas quatro que já tinham sido anunciadas.

As negociações com Bruxelas passam agora para o plano político.

Governo carrega nos impostos sobre banca, automóveis e combustíveis

Concretamente, o Imposto sobre os Produtos Petrolíferos (ISP) deverá aumentar mais do que o previsto, o que na prática deverá implicar um aumento de 6 a 7 cêntimos por litro de combustível, anulando a baixa de preços que se tem vindo a verificar desde o início do ano.

De acordo com a TSF, no setor dos veículos e mobilidade, a equipa de Mário Centeno e os técnicos de Bruxelas acordaram ainda um aumento do imposto sobre os veículos, com um reforço da componente ambiental.

Também o imposto sobre o tabaco, cujo aumento já estava previsto no primeiro esboço do Orçamento do Estado, vai aumentar mais do que o inicialmente projetado.

Entre as alterações que afetam as famílias, haverá ainda um aumento do imposto de selo no crédito ao consumo.

No que toca à banca, esta vai ver agravada a contribuição especial sobre o setor, e as empresas vão deixar de ter isenção do IMI para os fundos imobiliários.

Há ainda um agravamento do imposto de selo sobre as transações financeiras, uma medida que afeta famílias e empresas.

Diário de Notícias nota que à esquerda não existem grandes objeções a estas mudanças, já que não se trata de medidas que incidem sobre os rendimentos do trabalho ou sobre bens essenciais.

ZAP

PARTILHAR

9 COMENTÁRIOS

  1. Pelos vistos, apesar da muita verborreia alarmista, é possível aos governos chegarem a acordos mais favoráveis com a comissão europeia desde que haja de facto vontade de negociar em interesse da nação e dos seus cidadão e que a postura dos países não seja só e apenas de subserviência canina como aconteceu nos últimos anos com Portugal, que se tornou um mero papagaio das politicas da senhora Merkel, do senhor Schauble e da troika.
    È bom ver o meu país a negociar novamente como nação independente, com politicas e ideias próprias sufragadas pela maioria dos portugueses.

  2. E a que propósito vou ter de pagar ainda mais aos que dependem do estado quando o estado me dá cada vez menos a mim? Este governo se quer dar, que dê o que tem, e que não vá aos bolsos de uns para dar a outros. A esquerda está contente, pois, mas o mesmo não se passa com muitos trabalhadores que o que mais querem do estado é que não estorve e não roube ainda mais… não vai ser desta…

  3. Mal começou o ano e o draf não está aprovado e já o crescimento desceu de 2,1 para 1,9. No final do ano conversamos sobre o crescimento pelo lado da despesa….

  4. Aumento de postos na gasolina automóveis e tabaco acho bem. Era bom que não fosse preciso mas estou disposto a pagar mais pelo combustível pra poder ser dado mais algum pra quem só possa andar de transportes públicos

    • Acha bem, então faça um donativo ao estado e não queira decidir sobre as poupanças dos outros. O que eu acho bem é que não se aumente os impostos do combustível, principalmente a pensar naqueles que só podem andar em viatura particular, muitas vezes em trabalho e, já agora, para evitar aumentos nos transportes públicos, porque ao que consta muitos deles também andam a gasolina.

  5. Terminadas as negociações com a Comissão Europeia, sobre o orçamento para 2016, orçamento este que devia ter sido apresentado pelos anteriores ocupantes do poder, até 4 de Outubro de 2015 e não pelo atual governo conclui-se que, devido à “incapacidade” dos negociadores portugueses, as medidas acordadas vão prejudicar “os mais desfavorecidos…” não obstante a bondade dos burocratas de Bruxelas.

  6. Tivemos, num passado recente, alguns estafetas a distribuir desgraças pelos portugueses da classe média baixa, reformados e classes mais pobres (afetadas indiretamente pelo facto de os seus familiares terem sido punidos pela canalha). essas desgraças emanadas dos agiotas, levaram nos últimos quatro anos, grande parte da população a subsistir num País a resvalar para a miséria, com os novos governantes, embora não perfeitos e nos primeiros meses de responsabilidades governativas, a contas com a negociação de um orçamento que devia ter sido elaborado pelos anteriores ocupantes do poder, os novos responsáveis governativos, não obstante os seus detratores, conseguiram à mesa das negociações com a Comissão Europeia e dada a tremenda “pressão” não só interna como externa chegar a um entendimento que acaba por não penalizar os mais vulneráveis mas tão só, compensar despesas necessárias com recolha de receita em áreas não de primeira necessidade: banca, tabaco, álcool, combustíveis, veículos automóveis, IMI sobre fundos imobiliários, etc. Só faltava mesmo o confisco de tudo o que foi roubado por determinados agentes políticos e responsáveis bancários. É evidente que os exploradores/corruptos/parasitas e seus clones não gostam mas vão ter que engolir. O presságio sobre as negociações, na boca desses bandalos, era muito negro agora vão ruminar, pressagiando o que há-de vir, as pessoas começam a perceber o que, efetivamentem está em causa.

RESPONDER

Pizza para Itália e salmão para a Noruega. Emissora pede desculpa por imagens usadas nos Jogos Olímpicos

O canal de televisão sul-coreano MBC pediu desculpa publicamente após usar imagens para representar países durante a cerimónia de abertura dos Jogos Olímpicos de Tóquio. Fotos de pizza para a comitiva italiana, de salmão para a …

"Quanto mais cedo, melhor". A dona da Marlboro apoia a proibição dos cigarros até 2030

O CEO da Philip Morris Internacional, dona da Marlboro, apoia a proibição da venda de cigarros, mas os activistas anti-tabaco já acusaram a empresa de hipocrisia por tentar comprar uma farmacêutica enquanto lucra com o …

Bezos e Branson não são astronautas, clarifica Administração da Aviação norte-americana

Dúvida instalou-se depois dos voos que levaram os dois bilionários ao espaço. Novas diretrizes da Administração Federal de Aviação vêm esclarecer.  Após os voos que os tornaram nos primeiros turistas espaciais, Jeff Bezos e Richard Branson …

Soldados afegãos buscam refúgio no Paquistão após perderem postos na fronteira

Quase meia centena de soldados afegãos buscaram asilo no Paquistão após perderem para os Talibãs o controle das posições militares na fronteira, informou o exército paquistanês esta segunda-feira. Centenas de soldados do exército afegão e oficiais …

Portugal ultrapassa Estados Unidos em população com vacinação completa

EUA vivem atualmente um planalto no seu processo de vacinação, com pouco mais de meio milhão de cidadãos a serem vacinados diariamente. Desaceleração no ritmo de inoculações é atribuída a motivações pessoais da população e …

Mulher que vestia camisola com capa do Charlie Hebdo ferida em Londres

Uma mulher que vestia uma camisola estampada com uma capa da revista satírica francesa Charlie Hebdo foi ferida levemente com arma branca no domingo em Hyde Park, em Londres, informou a polícia, que pediu colaboração …

Novo Banco. Comissão de inquérito aprova que resolução do BES foi "fraude política"

A comissão de inquérito ao Novo Banco aprovou uma proposta do PCP de alteração ao relatório referindo que a resolução do BES e a sua capitalização inicial, de 4.900 milhões de euros, foi "uma fraude …

BCP prevê saída de mais de 800 trabalhadores e admite despedimento coletivo

O presidente do BCP disse esta segunda-feira que deverão sair do banco mais de 800 trabalhadores, abaixo da meta inicial de 1.000, mas que depende dos funcionários que aceitarem rescindir e mantém a possibilidade de …

Jogos Olímpicos. Ouro e prata para atletas de...13 anos

Pódio muito jovem na estreia do skate feminino. A espreitar o pódio ficou uma norte-americana com quase o triplo da idade. O skate está a "viver" os seus primeiros dias na história dos Jogos Olímpicos. Inserido …

SEF e PSP reforçam fiscalização às regras aplicáveis nas viagens de avião

O SEF e a PSP reforçaram a fiscalização nos aeroportos às regras do tráfego aéreo devido às variantes de covid-19 e ao aumento do número de voos previsto para as próximas semanas, segundo um despacho …