Função Pública. Governo admite mais aumentos, trabalhadores vão manter pontos para progressão na carreira

O Governo garante que a proposta de aumentar em 10 e 20 euros os salários mais baixos da Função Pública ainda não está fechada, abrindo a porta a alterações que vão ao encontro das reivindicações dos sindicatos.

Esta segunda-feira, o secretário de Estado da Administração Pública, José Couto, e o secretário de Estado de Assuntos Fiscais, António Mendonça Mendes, deram o pontapé de saída nas negociações dos aumentos salariais para 2021.

O Governo propôs aos sindicatos da Função Pública um aumento de 20 euros na remuneração mais baixa, para os 665 euros, igualando assim o salário mínimo no público e no privado, e um aumento de 10 euros nos restantes salários até 693 euros.



A proposta, contudo, não agradou aos sindicatos que a consideraram “inaceitável”, “miserável” e “incompreensível”, por deixar de fora a maioria dos funcionários públicos.

Agora, de acordo com o jornal Público, o Governo garante que a proposta ainda não está fechada, podendo ainda sofrer alterações que podem ir ao encontro das reivindicações dos sindicatos.

Durante as reuniões de segunda-feira, o Governo não apresentou qualquer estimativa do número de trabalhadores abrangidos pelos aumentos nem do impacto orçamental da proposta. Fonte oficial do Ministério da Modernização do Estado e da Administração Pública disse ao matutino que o processo ainda não está fechado, assumindo que ainda poderá melhorar a sua proposta.

“Como é da natureza dos processos negociais, a proposta apresentada hoje [segunda-feira] aos sindicatos não está fechada, pelo que os elementos pedidos podem também sofrer alterações. Sem prejuízo, o Governo tornará públicos os números relativos ao impacto e à abrangência da sua proposta final aos sindicatos”, afirmou o ministério tutelado por Alexandra Leitão.

O Governo já tinha deixado claro que não garantia aumentos salariais aos funcionários públicos, além dos resultantes da subida do salário mínimo nacional, mas vai voltar a reunir na quarta-feira para discutir os aumentos salariais.

Além disso, o aumento do salário mínimo nacional em 30 euros para os 665 euros já foi aprovado em Conselho de Ministros, mas tinha ficado por definir qual o valor destinado especificamente à função pública.

As atualizações anuais dos salários na função pública foram retomadas em 2020, após 10 anos de congelamento, com aumentos generalizados de 0,3% e subidas de 10 euros para as remunerações mais baixas.

Funcionários mantêm pontos para progressão na carreira

De acordo com o jornal ECO, que teve acesso ao projeto de decreto-lei apresentado pelo Governo aos sindicatos, os funcionários públicos que tenham aumentos salariais este ano não vão perder os pontos da avaliação de desempenho que servirão para futuras progressões.

“Com a aplicação do disposto no presente decreto-lei, o trabalhador mantém os pontos e correspondentes menções qualitativas de avaliação do desempenho para efeitos de futura alteração de posicionamento remuneratório”, lê-se no documento.

Ao contrário do que está agora previsto para 2021, em 2019, os funcionários públicos que viram os seus rendimentos crescer para 635,07 euros mensais perderam os pontos que tinham acumulado para eventuais progressões nas suas carreiras.

Nessa época, o Governo decidiu transformar a quarta posição da tabela remuneratória única (TRU) no nível salarial mais baixo, puxando pelos rendimentos de milhares de trabalhadores que estavam nos degraus abaixo.

Para manter a “hierarquia” entre os níveis remuneratórios e as carreiras, o Governo eliminou os créditos acumulados pelos trabalhadores. Assim, o Executivo fixou como salário mais baixo do Estado, em 2019, 635 euros mensais – mais 35 euros do que o salário mínimo nacional.

  Maria Campos, ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Força!
    Tirem mais aos trabalhadores do privado, cortem na saúde, educação, apoio social…, e deem ainda mais à função pública! Aliás, bem vistas as coisas, estes últimos meses têm sido uma catástrofe para a função pública, pois em muitos casos têm tido férias pagas a 100%, mas não têm tido para onde ir, coitados.
    Com este novo aumento poderão vir a fazer umas férias dignas de milionário quando as restrições da covid19 acabarem. Por essa mesma altura estarão os privados a rezar para ter trabalho e poder assim tapar parte do rombo destes últimso meses…

RESPONDER

O dirigente do PSD Paulo Mota Pinto

Mota Pinto aponta "irresponsabilidade" de marcar diretas. Rangel reforça importância de ter líder "fortemente legitimado"

O dirigente do PSD defendeu, esta segunda-feira, que o partido "está preparado" para legislativas antecipadas, defendendo que estas devem ocorrer "o mais rapidamente possível". Em declarações à agência Lusa, o presidente da Mesa do Congresso e …

EMA aprova terceira dose da vacina da Moderna a partir dos 18 anos

A Agência Europeia do Medicamento (EMA) deu luz verde, esta segunda-feira, à administração da terceira dose da vacina da Moderna a partir dos 18 anos. Em comunicado, a agência refere que os dados apontam que uma …

Câmara do Porto aprova sistema de videovigilância no centro histórico

Esta segunda-feira, na reunião do Executivo portuense, foi aprovado, com o voto contra da CDU e do BE, o protocolo a celebrar com a PSP para implementação da videovigilância na Baixa do Porto. O presidente da …

Conselho das Finanças Públicas alerta para riscos na TAP e falta de orçamentação para Novo Banco

O Conselho das Finanças Públicas (CFP) alertou esta segunda-feira, numa análise à proposta do Governo para o Orçamento do Estado de 2022 (OE2022), para a possibilidade de se injetar mais dinheiro na TAP e no …

O presidente executivo do Novo Banco, António Ramalho

Novo Banco apresenta nova imagem. "Agora é o renascimento", diz Ramalho

O presidente do Novo Banco disse, esta segunda-feira, que a nova imagem representa o "renascimento" da instituição financeira, que está numa "rota de lucro e rendibilidade". Na apresentação da nova imagem de marca do Novo Banco, …

Governo disponível para suspender caducidade de convenções coletivas "sem limite de tempo"

O Governo está disponível para avançar com a suspensão dos prazos da caducidade das convenções coletivas "sem limite de tempo", disse, esta segunda-feira, no Parlamento a ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social. A medida foi …

PEV também vota contra o Orçamento do Estado para 2022

O partido ecologista "Os Verdes" (PEV) anunciou, esta segunda-feira, que também vai votar contra o Orçamento do Estado para 2022. Em conferência de imprensa, na Assembleia da República, José Luís Ferreira disse que "o grupo parlamentar …

Governo lamenta decisão do PCP. "Nunca tínhamos ido tão longe como fomos este ano"

O secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares reagiu, esta segunda-feira à tarde, na Assembleia da República, ao anúncio de voto contra do PCP ao Orçamento do Estado para 2022 (OE2022). Na Assembleia da República, Duarte Cordeiro …

Vulcão Cumbre Vieja lança lava, cinzas e fumo em La Palma

Vulcão de La Palma "no auge da atividade". Derrocada parcial do cone revela grande fonte de lava

Uma derrocada parcial do cone do vulcão da ilha de La Palma, nas Canárias, deixou à vista uma grande fonte de lava, segundo o Instituto Vulcanológico das Ilhas Canárias (Involcan). "Estamos no auge da atividade" do …

Presidente recebeu dose de reforço da vacina contra a covid-19 juntamente com a da gripe

O Presidente da República recebeu, esta segunda-feira, a dose de reforço da vacina contra a covid-19, juntamente com a vacina da gripe. "O Presidente Marcelo Rebelo de Sousa recebeu esta tarde o reforço (ou terceira dose) …