Fukushima vai gerar 560 mil metros cúbicos de resíduos radioativos até 2027

Ministério da Administração Interna e Transportes do Japão / Wikimedia

Vista aérea da central nuclear de Fukushima

Vista aérea da central nuclear de Fukushima

A central de Fukushima irá gerar até 2027 mais de 560.000 metros cúbicos de resíduos radioativos, mais do dobro do que acumulou desde que foi destruída pelo sismo que assolou o nordeste do Japão em março de 2011.

O valor foi avançado na segunda-feira pela empresa responsável pela gestão do complexo nuclear, a Tokyo Electric Power (Tepco), durante uma reunião com representantes do governo nipónico para avaliar o desenvolvimento dos trabalhos de desmantelamento da central e os problemas de contaminação de águas, divulgou hoje o diário japonês Asahi.

Apesar de a estratégia passar pela reutilização ou pela reciclagem dos materiais menos contaminados, a Tepco estima que terá de armazenar cerca de 160 mil metros cúbicos de resíduos radioativos, operação que irá precisar de um espaço equivalente a 200 piscinas olímpicas.

Segundo a empresa, e em comparação com os atuais 250.000 metros cúbicos registados, a quantidade de matérias contaminadas irá duplicar durante os próximos 13 anos, porque muitos dos resíduos gerados após explosões nos prédios e nos reatores do complexo nuclear permanecem intactos.

A Tepco está a coordenar a complexa operação de desmantelamento da central nuclear de Fukushima Daiichi, processo que poderá prolongar-se durante quatro décadas.

A central, localizada a cerca de 220 quilómetros a nordeste de Tóquio, foi destruída pelo sismo e pelo tsunami que assolaram o nordeste do Japão a 11 de março de 2011.

O desastre nuclear em Fukushima Daiichi foi considerado o pior desde o acidente da central ucraniana de Chernobil, em 1986, tendo contaminado com a radioatividade libertada o ar, solo e águas da região.

Mais de 50 mil pessoas que viviam nos arredores da central nuclear foram obrigadas a deixar a zona devido às emissões libertadas, que também afetaram gravemente os sectores da agricultura, da pecuária e da pesca.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Nova espécie massiva de há 500 milhões de anos descoberta no Canadá

Espécie terá sido uma gigante dos oceanos, amedrontando presas com a sua carapaça, situada na zona da cabeça, que cobria dois terços do seu corpo. Uma equipa de cientistas descobriu na última semana um fóssil de …

Porque morrem tantos americanos?

Nos últimos 30 anos a esperança média de vida nos Estados Unidos da América não acompanhou as melhorias verificadas na Europa. "A América tem um problema relacionado com a morte". Assim começa uma análise, em espécie …

Já há turmas inteiras em casa devido a casos positivos de covid-19

As aulas da maioria das escolas arrancaram esta semana e já há turmas inteiras em casa, devido a casos positivos de covid-19. Tema será discutido na reunião do Infarmed, que acontece esta quinta-feira. Com o início …

Novo estudo indica que comer em excesso não é a principal causa da obesidade

A obesidade afeta grande parte da população e já é considerada umas das maiores epidemias do século XXI. Contudo, a ideia de quanto mais se come, mais propenso se está a ganhar peso pode ser …

Jogador do Santos foi ameaçado e perseguido (e filmou)

Saída da Taça do Brasil originou protestos e cenas de vandalismo. A última vitória do Santos foi no dia 13 de Agosto. O Santos não vive uma fase positiva. 13.º classificado no Brasileirão, foi afastado da …

Esta tarde, discute-se a "ampla abertura". Máscaras em espaços fechados são para manter

As restrições impostas na sequência do combate à pandemia de covid-19 deverão deixar de ser obrigatórias a partir do final do mês. Esta tarde, na reunião do Infarmed, os peritos vão propor a libertação. Esta quinta-feira, …

Eletricidade vai ficar mais cara a partir de outubro

A fatura da eletricidade vai voltar a subir 3% no dia 1 de outubro, depois de ter subido outros 3% a 1 de julho. O preço da eletricidade vai voltar a aumentar, a partir de 1 …

As vacas podem aprender a ir à casa de banho - e assim ajudar a salvar o Planeta

Os excrementos largados pelas vacas podem ser bastante prejudiciais para o Planeta, mas esta situação pode ser controlada se estes animais aprenderem a usar algo inesperado para a espécie de quatro patas - uma casa …

A receita para produzir cimento em Marte pode levar sangue, suor e lágrimas

Investigadores propõe que se produza cimento em Marte ou na Lua combinando poeira com sangue, suor e lágrimas de astronautas. No seu discurso inaugural como primeiro-ministro do Reino Unido, em 1940, Winston Churchill mostrou como as …

Podem já ter existido buracos negros microscópicos

Investigadores sugerem que, nos primeiros momentos do Big Bang, podem ter existido buracos negros primitivos do tamanho de um átomo de potássio. Desde sempre, os seres humanos quiseram explicar os fenómenos mais imprevisíveis e perturbadores do …