/

Restauração e hotelaria queixam-se da fraca adesão ao IVAucher (e pedem que a medida seja prolongada)

Patrícia de Melo Moreira / AFP

Em julho, o primeiro mês de IVAucher, os consumidores acumularam 10% da dotação total. Restauração, hotelaria e cultura – os três setores envolvidos – defendem mudanças no programa e o seu prolongamento.

Segundo noticia o ECO, os contribuintes acumularam 21,2 milhões de euros no primeiro mês do IVAucher e já só têm mais dois meses para atingir os 200 milhões de euros orçamentados pelo Governo.

Os três setores envolvidos consideram estes valores baixos e mostram-se pouco confiantes com este programa.

Tanto a restauração, como a hotelaria e a cultura referem a fraca adesão dos contribuintes, sendo que as associações pedem mudanças e mais publicidade ao IVAucher e, sobretudo, mais apoios.

Em declarações ao ECO, Daniel Serra conta que, inicialmente, tinha uma “expectativa bastante elevada” quanto ao IVAucher, mas que isso acabou por mudar.

O presidente da Pro.Var – Promover e Inovar a Restauração Nacional afirma ter notado “um aumento do pedido de fatura com NIF”, mas que os restaurantes “não notaram, mesmo de clientes habituais, nenhum acréscimo substancial”.

Desta forma, a restauração defende que o IVAucher deveria ser alargado tempo. “O Governo devia prolongar a medida no primeiro trimestre do próximo ano”, afirma Daniel Serra.

Por sua vez, o representante defende ainda que a medida precisa de mais publicidade. “Era interessante aumentar a visibilidade, gastar algum dinheiro em promoção”, frisa.

Na hotelaria o problema é o mesmo. “Preocupa-nos um pouco se o cliente percebe as vantagens e o que tem de fazer, e os números dizem que não [percebe]”, realça Raul Ribeiro Ferreira, presidente da Associação dos Diretores de Hotéis de Portugal (ADHP)

Do lado da cultura, Rui Galveia afirma que tem notado “um esforço das pessoas” em irem a mais espetáculos. “As pessoas esforçam-se e envolveram-se na iniciativa [IVAucher], mas é óbvio que o valor é baixo”, refere ao ECO o coordenador do Sindicato dos Trabalhadores dos Espetáculos do Audiovisual e dos Músicos (CENA-STE).

Ainda assim, os dados das Finanças mostram que o IVAucher está a estimular os consumidores a pedirem fatura com NIF, registando-se um aumento de 34% face a junho do ano passado.

O programa, que arrancou a 1 de junho, permite acumular o IVA gasto na restauração, alojamento e cultura até 31 de agosto, para depois ser descontado, até um máximo de 50%, em compras nesses mesmos setores entre 1 de outubro e 31 de dezembro.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

  ZAP //

 

 

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.