“Naufrágio” ou nem por isso? O que se passa com as principais selecções europeias?

Vincent Mignott / EPA

Raheem Sterling cai perto de Joshua Kimmich, no Inglaterra-Alemanha

Liga das Nações demonstrou equipas “tremidas”, incluindo Portugal. Faltam menos de dois meses para o Mundial 2022.

Estávamos preparados para iniciar este artigo com o facto de nenhuma selecção semi-finalista do Europeu 2020 (entre as que vão estar no Mundial 2022) ter conseguido a presença nas meias-finais da Liga das Nações.

Mas a Espanha estragou este primeiro parágrafo que estava planeado, ao vencer em Braga por 1-0, afastando Portugal do torneio e apurando-se para as meias-finais, tal como na edição anterior.

Mesmo assim, a fase de grupos da actual Liga das Nações deixou sinais preocupantes na maioria das principais selecções europeias de futebol.

A Liga das Nações não é propriamente o torneio mais importante no mundo mas, se olharmos para as ficas dos jogos, verificamos que os principais jogadores estiveram sempre em campo. As selecções não se apresentaram com equipas B, ou com juniores.

No Grupo 2, o de Portugal, as duas selecções teoricamente mais fortes – Portugal e Espanha – não foram propriamente deslumbrantes. Exceptuando as vitórias tranquilas e convincentes portuguesas diante de Suíça e República Checa, ambas por 4-0.

De resto, exibições “tremidas”, resultados apertados e a Espanha, que brilhou no Europeu no ano passado, só conseguiu o apuramento com um golo em Braga a dois minutos do fim. Quer Portugal, quer Espanha, venceram apenas três dos seis jogos. Tal como a Suíça, aliás.

O “grupo da morte” foi o 3, com Itália, Alemanha e Inglaterra – que, a uma jornada do fim, estavam todas atrás da Hungria na classificação.

A campeã europeia Itália não entra nestas contas de preparação porque nem vai estar no Qatar. Mas a Inglaterra, que estará no Mundial 2022 e chegou à final do último Europeu, venceu…zero jogos. A sempre favorita Alemanha não esteve muito melhor: só ganhou um duelo.

No Grupo 4 esteve a Bélgica, número 2 na tabela FIFA, que também só ganhou três dos seis compromissos – mas aqui ficou atrás de outra selecção forte, a dos Países Baixos.

Deixámos o Grupo 1 para o fim, propositadamente. A Dinamarca, semi-finalista no Europeu 2020, foi superada pela Croácia e não estará nas meias-finais.

Mas neste grupo esteve também…a França. Os campeões mundiais ficaram no terceiro lugar, só ganharam um jogo e terão baixado muito as expectativas dos seus compatriotas, que querem a revalidação do título.

Depois da última jornada (mais uma derrota, na Dinamarca), o seleccionador Didier Deschamps assegurou: “Não acho que isto seja um naufrágio. Tivemos muitas oportunidades, mas fomos fracos e cometemos erros. Não é uma questão de sistema. Também vi grandes seleções perderem nestes dias. Não devemos pensar que somos mais fortes do que os outros. Temos de lutar”.

O Mundial 2022 começa no dia 20 de Novembro.

  Nuno Teixeira da Silva, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.