Do Governo ao Sporting, todos sacodem a água do capote. Festa foi comunicada à CML como “manifestação”

José Sena Goulão / EPA

O Governo já abriu um inquérito à atuação da PSP nos festejos leoninos. O secretário de Estado descartou responsabilidades na preparação da festa. Vários especialistas consideram que vai haver um aumento de contágios.

Esta quarta-feira, o primeiro-ministro, António Costa, esteve na Assembleia da República para quatro horas de debate político, tendo sido encostado às cordas por causa de temas como a festa sportinguista, a situação em Odemira e o Novo Banco.

Relativamente aos festejos leoninos, Costa recusou “atirar pedras” ao clube, aos adeptos ou à polícia e anunciou que o Governo já pediu à Inspeção-geral da Administração Interna a abertura de um inquérito à atuação da PSP.

“O senhor ministro da Administração Interna já teve ocasião de fazer um despacho, primeiro solicitando à PSP informações sobre como tinha sido articulado todo o planeamento com o conjunto das entidades envolvidas, desde o Sporting Clube e Portugal à Câmara Municipal de Lisboa e à Direção-geral da Saúde, e solicitando à Inspeção-geral da Administração Interna um inquérito à atuação da Polícia de Segurança Pública naquele contexto de ontem”, anunciou António Costa.

De manhã, o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, já tinha feito críticas ao que se tinha verificado na noite passada na capital lisboeta. “Quem deve prevenir não conseguiu prevenir e quem deveria prevenir são, naturalmente, as entidades responsáveis por isso”, mas também “todos os cidadãos”.

Ao final da tarde, a Câmara de Lisboa informou que não será permitida a presença de adeptos na receção à equipa na autarquia, que está marcada para a próxima semana. A cerimónia está reservada a convidados e atletas do clube, em especial das escolas, bem como aos órgãos de comunicação social.

Também ontem, em declarações aos jornalistas, João Paulo Rebelo, secretário de Estado do Desporto, disse que estava a par das reuniões tidas entre autoridades de saúde, forças de segurança e agentes desportivos para tentar antecipar e organizar a festa, mas que não esteve envolvido nesses encontros.

O governante lembrou que fez um apelo aos adeptos, no início da semana, para terem o melhor comportamento possível, tendo em conta a pandemia, mas que isso não se verificou. “A responsabilidade dos adeptos, como todos pudemos ver, não foi atendida“, cita a rádio TSF.

O secretário de Estado garantiu, no entanto, que não está a fugir às suas responsabilidades. “Não é querer estar, como diz o povo, a sacudir a água do capote. Mas a verdade é que não é o secretário de Estado do Desporto, tal como não é por haver uma manifestação de professores onde haja desacatos que é chamado à coação o ministro da Educação”, considerou.

Festa foi comunicada à Câmara como “manifestação”

Segundo o jornal Público, a Juventude Leonina, claque que organizou o evento de celebração do título, garantiu ter informado as entidades relevantes, nomeadamente ao “gabinete de apoio do Presidente da Câmara Municipal de Lisboa, à Direção-Geral da Saúde, às forças de segurança e demais instituições envolvidas”.

O jornal apurou que, apesar do palco, ecrãs para ver o jogo, música e bebidas, a Juve Leo realizou a concentração nas imediações do estádio invocando que se trataria de uma “manifestação” que iria decorrer entre as 14h00 e as 23h00.

A autarquia já confirmou que “recebeu comunicação de manifestação junto ao estádio de Alvalade, que remeteu, conforme a lei, para a PSP”, destacando que “o direito de manifestação não está (e não pode estar) sujeito, nos termos da Constituição, a qualquer autorização ou condicionamento por parte das Câmaras Municipais”.

Durante a preparação da organização da festa, segundo o mesmo diário, existiram divergências entre a DGS e a PSP. A Câmara chegou a recomendar um percurso mais longo para o autocarro, o que permitiria uma maior distribuição dos adeptos, mas as forças de segurança consideraram que seria uma opção “muito complexa”.

Segundo a SIC Notícias, a reunião de planeamento, na passada sexta-feira, foi presidida pelo chefe de gabinete do secretário de Estado da Administração Interna e estiveram presentes a PSP, representantes da Câmara de Lisboa, do Sporting e da DGS.

O clube leonino avançou com a ideia do desfile do autocarro, algo a que a PSP se opôs desde início, por considerar que esta iniciativa levaria a grandes aglomerados, tal como se veio a verificar.

Ao que o canal televisivo apurou, na segunda-feira, o diretor nacional da PSP tomou a iniciativa de enviar um ofício ao Ministério da Administração Interna (MAI) a solicitar uma intervenção política.

Entretanto, a PSP já veio explicar que o desfile da equipa entre o estádio e a Rotunda do Marquês de Pombal não foi cancelado depois de ponderados “os impactos negativos na ordem e tranquilidade públicas, resultantes da sua anulação”, cita o Público.

“A PSP planeou e executou um policiamento de grande envergadura, em diversas cidades na sua área de responsabilidade territorial”, destacando ainda que os festejos resultaram “em alterações relevantes da ordem pública”.

O Sporting, por sua vez, garante que não organizou nem autorizou a festa nas imediações de Alvalade e atirou responsabilidades para a Juventude Leonina, com quem mantém um diferendo judicial.

Aumento de infeções? Especialistas estão divididos

Em declarações ao mesmo matutino, vários especialistas não têm dúvida de que houve falta de planeamento por parte das autoridades.

“É claro que houve falta de planeamento adequado. Deveriam ter sido criados mais espaços para as pessoas se separarem, mas permitiu-se a aglomeração de uma grande massa de pessoas num único sítio”, afirmou Bernardo Gomes, professor na Faculdade de Medicina e no Instituto de Saúde Pública da Universidade do Porto.

“O que nós vimos ontem foi precisamente o contrário de um planeamento de festejos. Vimos o caos que aconteceu: milhares de pessoas sem máscara que se juntaram sem respeitar distâncias. Houve um caos que se instalou e que obrigou a uma intervenção policial, com alguns feridos”, disse, por sua vez, Celso Cunha, professor do Instituto de Higiene e Medicina Tropical da Universidade Nova de Lisboa.

Em declarações à rádio TSF, o epidemiologista Manuel Carmo Gomes lançou um apelo para que o Sporting promova, em conjunto com a DGS, testes massivos a quem esteve na festa.

Gostava de ver o clube envolvido a mostrar responsabilidade social e a envolver-se neste apelo aos adeptos para que se testem, idealmente, colaborando com as autoridades de saúde, lado a lado, incentivar os adeptos a testarem-se”.

“O presidente do clube é um clínico e percebe, com certeza, a necessidade disto e da importância que o próprio clube tem em apelar às próprias pessoas que se testem. Vamos minimizar as consequências”, apelou.

Citado pelo Expresso, o virologista Paulo Paixão também já tinha considerado que “fazia sentido organizar um rastreio em massa” para acautelar eventuais consequências.

Em declarações à Rádio Observador, o especialista Pedro Pita Barros também defendeu que a festa verde e branca pode vir a ter consequências negativas. “Os festejos do Sporting são preocupantes e vão aumentar os níveis de contágio.”

Por seu lado, o investigador da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, Carlos Antunes, considera que, face à atual prevalência de covid-19 em Portugal, o risco de os festejos desencadearem um descontrolo epidemiológico é baixo.

“Do ponto de vista matemático, sabendo a natureza do contágio, o risco é baixo. Por cada 10 mil que lá estiveram sairão de lá quatro pessoas infetadas”, explicou.

No entender do especialista, a probabilidade de terem estado pessoas infetadas nos festejos em Lisboa é baixa, uma vez que a prevalência da doença na região de Lisboa e Vale do Tejo é de 0,04%.

Contudo, o investigador também considera prudente que quem esteve nos festejos reduza os seus contactos e realize um auto-teste dois a três dias depois. “Se houver esta prudência, então a situação é de menor risco ainda”, frisou.

Esta quarta-feira, a DGS já divulgou um conjunto de recomendações para os adeptos que estiveram nos festejos do título, entre as quais reduzir os contactos nos próximos 14 dias, estar atento a sintomas de covid-19 e, se possível, fazer um teste entre o quinto e o décimo dia a contar das celebrações.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

9 COMENTÁRIOS

  1. De toda maneira são todos culpados, PSP, DGS, Sporting e Câmara. Surto em Lisboa, dentro de 15 dias surto no Porto com 12 000 ou mais adeptos. Se perdemos o verão turístico como na ano passado,haverá culpados?

  2. xiii… todos chutam e à boa maneira portuguesa ninguem é ou será culpado.
    E se o pedido foi para uma manifestação deixa-se vender bebidas sabendo que o consumo é proibido na via pública?

    Sabendo o que se sabia será que na câmara quem recebeu os docs não sabia do que se tratava? os adeptos iam manifestar-se contra ou a favor de quê?
    A policia a ver o que ia acontecendo já a partir do inicio da manha não podia ter tomado outras medidas como por exemplo fazer dispersar as pessoas ou “prender” quem estava a vender bebidas na via pública?

    Enfim… temos aquilo que merecemos…

  3. Quem colocou os ecrãs no exterior, foi com que intenção? Não venha dizer que não adivinhava, pois essa até um tótó sabia? Quem foi para a rua celebrar? E agora o governo é que tem culpa? A polícia não conseguia dar conta de tanto maluco junto.

  4. Mas alguém tem dúvida quem é o culpado disto tudo?!! Acho que o presidente da república foi bem claro. De resto, é a segunda vez que “pede” a demissão da criatura em causa.

  5. Eu sou adepto de futebol como uma grande maioria dos portugueses são, sou amante de desporto motorizado de duas rodas ou quatro rodas, mas tenho plena consciência que ainda estamos em tempo de contenção, como è sabido no algarve foi realizado as provas rainhas de formula 1 e moto GP no entanto proibido POR TODAS AS AUTORIDADES DO PAIS!!! Porque iria ser um uma descriminação para o resto do pais e agora veem esta “festa” em que pelos vistos ninguém è culpado??? Nada se passou??? Vivemos em que estado de direito??? Que pessoas eram aquelas…? Longe de mim querer ofender alguém mas o Costinha, o Cabritinha, o professor martelo e o resto….andam precisando urgentemente de uma lição.

  6. Travar uma onda daquelas sem que antes o governo e autoridades nada tenham feito para evitar tal aglomeração não parece tarefa possível, outras parecem estar a caminho devido ao futebol, vamos aguardar para ver.

RESPONDER

Explosão suspeita em complexo de edifícios na Suécia causa mais de 20 feridos

Mais de 20 pessoas ficaram feridas, três delas com gravidade, após uma explosão num complexo de edifícios no centro de Gotemburgo, na Suécia. A polícia está a investigar as causas do incidente e admite a …

Costa pode remodelar Governo após choque eleitoral (com Medina à cabeça)

António Costa pode estar a preparar uma remodelação no Governo, com Fernando Medina à cabeça. António Costa já veio negar essa possibilidade. O primeiro-ministro António Costa está preparado para fazer uma remodelação no Governo, após a …

Portugal com mais 600 casos de covid-19 e sete óbitos. Internamentos baixam das quatro centenas

Portugal registou, nas últimas 24 horas, 600 novos casos e sete mortes na sequência da infeção por covid-19, de acordo com o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). Segundo o último boletim da Direção-Geral da …

Autárquicas não contaminam processo orçamental. Esquerda chuta eleições para canto e mantém pressão

Depois de uma empolgante noite eleitoral, avizinham-se duas semanas de negociações entre os partidos e o Governo. Os trabalhos de negociação do Orçamento do Estado para 2022 (OE2022) estão mais atrasados do que o habitual devido …

Igreja desaba com a força da lava do vulcão em La Palma

Uma igreja na ilha espanhola de La Palma desabou depois de ter sido atingida pela lava do vulcão que entrou em erupção no passado domingo, dia 19. Após ter escapado por pouco no início da semana …

Homem que tentou matar Ronald Reagan vai ser libertado em 2022

Na altura o homem foi considerado inimputável pela justiça devido a problemas mentais. Depois de ter saído de um hospital psiquiátrico em 2016, John Hinckley Jr vai ficar em liberdade total de 2022. A 31 de …

Coreia do Norte lança "projétil não identificado"

A Coreia do Norte lançou um "projétil não identificado" no mar ao largo da sua costa oriental, disseram esta madrugada os militares sul-coreanos. Tanto o Japão como os Estados Unidos já condenaram o lançamento. A Coreia …

Pandemia, campanha anticomunista ou geringonça? As justificações para a derrota do PCP

Pandemia, campanha anticomunista, geringonça ou outra coisa qualquer? O que justifica a hecatombe do PCP nas duas últimas eleições autárquicas? A noite eleitoral foi um tombo para o PCP, que, além de não ter conseguido recuperar …

"Os eleitores fizeram-se ouvir muito bem". SPD responde à CDU e quer aliança com os Verdes e FDP

Armin Laschet tinha anunciado que a CDU queria liderar o executivo apesar do mau resultado, o que já motivou uma resposta do SPD. O líder dos conservadores está também debaixo de fogo dentro do próprio …

Durante a Administração Trump, CIA terá abordado hipótese de raptar e até assassinar Assange

Em 2017, a CIA terá considerado raptar e discutido planos para assassinar o fundador do WikiLeaks, Julian Assange, atualmente preso em Londres. Membros seniores da CIA discutiram a possibilidade de raptar e de assassinar Julian Assange …