“Os números falam por si”. Fauci critica reação dos Estados Unidos à pandemia e politização das máscaras

O principal epidemiologista norte-americano, Anthony Fauci, criticou a política errática do Governo do Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, em relação à covid-19, e lamentou o escasso uso de máscaras devido a motivações políticas.

Durante uma conferência virtual organizada pela Universidade de Melbourne, Anthony Fauci elogiou os esforços da Austrália e da Nova Zelândia contra a pandemia, admitindo que não pode dizer o mesmo do seu país.

“Os números falam por si”, disse, Anthony Fauci referindo-se aos quase nove milhões de infeções e mais de 228.000 mortos nos Estados Unidos, onde as máscaras faciais, considerado um elemento-chave na prevenção da transmissão, “quase se tornaram uma declaração política”, defendeu.

“Na verdade, as pessoas são ridicularizadas por usarem máscara. Depende do lado particular do espetro político em que se encontram, o que é muito doloroso para mim como médico, cientista e funcionário da saúde pública”, frisou.

Nos Estados Unidos, com uma forte polarização sobre as políticas relativas à covid-19 tomadas pela administração de Trump, existem também movimentos anti-vacina.

Na opinião de Fauci, este “ceticismo” é “parcialmente alimentado pelos sinais mistos enviados pelo (…) Governo, que não têm sido muito úteis”, num contexto em que a tarefa de estabelecer uma política unificada sobre a pandemia é também dificultada pela independência de cada estado na tomada de decisões.

Fauci disse que o problema das estratégias pandémicas díspares se tornou evidente quando os Estados Unidos tentaram reabrir a economia, sem necessariamente seguir recomendações sobre como fazê-lo com segurança.

“Temos de tentar articular a importância de caminhar nessa fina linha entre manter a saúde pública sem prejudicar a economia”, disse.

O alto funcionário público norte-americano, que foi recentemente atacado por Trump, que disse que “as pessoas estão cansadas de covid-19 e de ouvir Fauci e todos estes idiotas”, também defendeu a sua independência como cientista.

“Quando se está no mesmo pódio que os políticos, não se deve ter medo de dizer a alguém algo que eles não vão gostar de ouvir”, afirmou Fauci.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 1,1 milhões de mortos e mais de 44 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP. A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

  // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Novo ano letivo marcado pelo recorde de pedidos de bolsas de estudo no superior

Número crescente de alunos e perda de rendimentos das famílias são duas das razões apontadas para os pedidos recorde. O ano letivo 2021/22 ainda agora arrancou, mas já está a bater recordes no que respeita aos …

Urgências em Lisboa estão cheias. Situação pode piorar nas próximas semanas

As urgências do Hospital de Santa Maria, em Lisboa, e do Hospital Beatriz Ângelo, em Loures, estão em situação crítica, com tempos de espera elevados. A situação de calamidade multiplica-se em vários hospitais do país, de …

Portugal já tem 86% da população totalmente vacinada contra a covid-19

A vacinação completa contra a covid-19 abrange já 86% da população portuguesa e são já mais de nove milhões de pessoas as que têm pelo menos uma dose da vacina, de acordo com os dados …

Direção do CDS desautoriza Telmo Correia e defende eleições "o mais brevemente possível"

A direção do CDS-PP não gostou de ouvir o líder parlamentar dizer que a melhor altura para realizar eleições legislativas seria no final de janeiro ou fevereiro. Depois de uma reunião com o presidente da Assembleia …

Órban e Le Pen apoiam a Polónia e criticam "imperialismo" da UE

O primeiro-ministro húngaro, Viktor Órban, e a líder da União Nacional (RN, na sigla em francês), Marine Le Pen, manifestaram esta terça-feira apoio à Polónia no conflito que mantém com a UE, a qual acusam …

Após goleada frente ao Bodø/Glimt, Mourinho põe de lado quatro jogadores

Em duas convocatórias consecutivas, José Mourinho deixou de fora quatro futebolistas que participaram na derrota por 6-1 frente ao Bodø/Glimt. Naquela que foi a maior derrota de sempre da carreira de José Mourinho, o Tottenham perdeu …

O que cai e o que fica: as medidas que o chumbo do OE deita por terra e as que permanecem

O grosso das medidas previstas na proposta de Orçamento do Estado para 2022 não deverá sair do papel. As aprovadas em Conselho de Ministros, por sua vez, manter-se-ão viáveis, já foram discutidas fora da sede …

Truque permite que o Orçamento não seja votado esta quarta-feira

Há um mecanismo que, se for acionado, permite que o Orçamento do Estado para 2022 sobreviva mesmo que não seja votado. O Orçamento do Estado para 2022 pode baixar à comissão sem votação. Este mecanismo, nunca …

Conceição reconhece supremacia do Santa Clara e admite culpa na derrota

O treinador do FC Porto, Sérgio Conceição, reconheceu que o Santa Clara foi superior e diz-se culpado pela derrota pesada que deixa o clube fora da Taça da Liga. O FC Porto está fora da Taça …

"Vechtpartij", quadro de Jan Steen.

Antigos jogos de bebida acabavam em vinho derramado e esfaqueamentos

Hoje vistos como jogos de diversão para jovens, na antiguidade, os drinking games (jogos de bebida) eram comuns em toda a sociedade — e, por vezes, terminavam mal. O kottabos era um antigo jogo de bebida …