Família Real do Dubai diz que a princesa Latifa está a ser “tratada em casa”

BBC

A princesa Latifa está “a ser cuidada em casa”, disse a Família Real, dias após o surgimento de vídeos nos quais acusava o pai – o governante do Dubai – de mantê-la como refém.

Em comunicado enviado pela embaixada dos Emirados Árabes Unidos em Londres, citado pelo jornal britânico The Independent, a Família Real do Dubai disse que gostaria de agradecer àqueles que expressaram preocupação pela bem-estar da princesa Latifa, mas que isso “não reflete a posição real”.

Vídeos aparentemente enviados para os seus amigos e partilhados com redes de notícias esta semana mostraram a princesa Latifa a acusar o seu pai, o governante do Dubai, o xeque Mohammed bin Rashid Al Maktoum, de mantê-la como refém numa “villa-prisão”, depois de ter tentado fugir dos Emirados Árabes Unidos em 2018.



“Estou numa villa. Sou refém e esta villa foi transformada numa prisão. Todas as janelas estão fechadas com grades, não consigo abrir nenhuma janela. Há cinco polícias do lado de fora e dois dentro de casa. Nem posso ir à rua apanhar ar fresco“, revela nas imagens divulgadas.

A princesa adiantou que não sabe quando será libertada e que teme pela sua segurança. “Todos os dias me preocupo com a minha segurança e a minha vida. Não sei se vou sobreviver a esta situação. A polícia ameaçou-me, disseram-me que ficarei toda a vida na prisão e não voltarei a ver o sol outra vez”, acrescenta. A situação “está a ficar desesperante a cada dia que passa”. “Só quero ser livre (…). Não sei o que estão a planear fazer comigo“, realça.

O xeque Mohammed negou repetidamente as acusações e disse que estava a agir nos melhores interesses da sua filha.

No entanto, um tribunal do Reino Unido concluiu que o poderoso governante orquestrou os sequestros das suas duas filhas Latifa e da sua irmã mais velha Shamsa e “continua a manter um regime pelo qual essas duas jovens são privadas de liberdade”.

A situação da princesa Latifa chamou a atenção do mundo pela primeira vez quando apareceu num vídeo lançado em 2018, detalhando como queria escapar de Dubai e que havia tentado anteriormente em 2002.

Em março de 2018, a princesa conseguiu fugir num iate, mas foi capturada na costa da Índia por um grupo de homens armados e regressou aos Emirados.

O seu paradeiro e estado de saúde permaneceram desconhecidos até dezembro desse ano, quando o governo dos Emirados divulgou uma imagem, onde a princesa aparece com Mary Robinson, ex-comissária das Nações Unidas para os Direitos Humanos.

Depois de Latifa, a princesa Haya, sexta mulher do emir do Dubai, fugiu do Dubai para o Reino Unido, disposta a conseguir o divórcio, mas temendo pela sua vida. Haya e os dois filhos poderão estar sob proteção da família real britânica.

Em junho do ano passado, outra jovem gravou um vídeo a pedir ajuda para escapar dos seus pais. Maitha al Maktum, garantiu que não aguentava mais e que planeava sair na mesma noite. Como Latifa, uma das filhas do emir de Dubai, a sua prima Maitha queria fazer com que essa mensagem a protegesse do esquecimento. “Se me apanharem, estou morta”, disse.

Maria Campos Maria Campos, ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Claro que está a ser “tratada” como a ditadura (que faz de conta que e um país moderno civilizado) dos Emirados costuma tratar os dicidentes!…

RESPONDER

Hegemonia económica da China cada vez mais longe. Queda demográfica coloca Pequim sob pressão

O objetivo do país é tornar-se na maior potência económica do mundo nos próximos anos, mas a corrida pela hegemonia - disputada com os EUA - pode não ser uma meta fácil de alcançar. O …

Miss Universo 2021. Concorrente da Singapura usa roupa com o slogan "Stop Asian Hate"

Bernadette Belle Ong, uma concorrente do Miss Universo 2021, vestiu uma roupa com as cores de Singapura que continha as palavras Stop Asian Hate ("parem com o ódio contra os asiáticos"). Bernadette Belle Ong aproveitou o …

A Índia está a tornar quase impossível a vacinação dos sem-abrigo

A Índia está a dificultar o processo de vacinação dos sem-abrigo, uma vez que o programa requer um número de telemóvel e uma morada residencial. Muitas pessoas não têm nem um, nem outro.  Na Índia, quase …

Violência contra as mulheres é "uma pandemia", alerta ONU

Uma década após a criação da Convenção de Istambul, o marco dos tratados de direitos humanos para acabar com a violência de género, as mulheres enfrentam um ataque global aos seus direitos e segurança, alertaram …

Já se sabe qual a ocasião mais perdida do ano devido à pandemia (e há uma campanha para compensar)

Tomar um café com um amigo ou um familiar é o momento mais perdido do último ano devido à pandemia de covid-19. Nos últimos 12 meses, e em todas as cidades europeias, estima-se ter havido …

Reino Unido quer reconhecer animais como seres com sentimentos

O Governo britânico anunciou um amplo plano de defesa dos animais que inclui medidas como o reconhecimento dos animais como seres com sentimentos, a proibição da exportação de animais vivos e da importação de troféus …

PAN rejeita "via verde" para o Governo (e admite travar próximo Orçamento "se necessário")

O PAN não pretende oferecer “uma via verde para o Governo fazer o que bem entender” e admite mesmo travar o Orçamento de Estado "se for necessário". As palavras são da presidente do Grupo Parlamentar do …

Bloco quer administração da RTP nomeada pela Assembleia da República

O Bloco de Esquerda fez várias propostas à revisão do contrato de concessão do serviço público de rádio e televisão. Do lado dos trabalhadores da RTP, a proposta foi arrasada. O Governo colocou em consulta pública, …

Decisão da insolvência da Groundforce pode demorar dois meses. Salários de maio em risco

Os salários de maio de 2400 trabalhadores da Groundforce devem ser pagos dentro de duas semanas, mas é grande a probabilidade de que isso não aconteça, à semelhança do que ocorreu em fevereiro, elevando as …

Pedro Nuno Santos garante que investimento público em redes de nova geração vai avançar

Pedro Nuno Santos garantiu, na quinta-feira, que o “investimento público” em redes de comunicações eletrónicas “vai avançar”, de forma a levar conectividade às regiões do país onde as redes das operadoras privadas não chegam. O ministro …