Facebook processado por violar privacidade dos utilizadores

familymwr / flickr

-

O Facebook está a enfrentar nos Estados Unidos uma acção colectiva devido a acusações de que monitoriza as mensagens privadas dos utilizadores.

A acção, interposta num tribunal do norte do Estado da Califórnia, alega que quando os utilizadores da rede social partilham um link para outro site por meio de uma mensagem privada, o Facebook examina a mensagem para fazer um perfil da actividade do usuário na web.

Os responsáveis pela acção alegam que o Facebook intercepta estas mensagens sistematicamente para recolher dados dos utilizadores e lucrar ao ceder esses dados a anunciantes e empresas de publicidade que os agregam e sistematizam.

Por isso a acção exige, por cada utilizador monitorizado, o pagamento de 10.000 dólares, ou 100 dólares por cada dia em que o Facebook realizou as supostas violações de privacidade – o valor que seja mais elevado.

O Facebook, por sua vez, alega que as acusações “não têm mérito”.

“Vamos defender-nos vigorosamente”, informou a maior rede social do mundo.

Investigação independente

O processo cita uma investigação independente que alega ter descoberto que o Facebook analisa o conteúdo das mensagens privadas dos utilizadores “para propósitos não relacionados com a facilitação da transmissão da mensagem”.

Segundo o processo, citado pela BBC, pelo facto de os utilizadores acreditarem que estão “a comunicar num serviço livre de vigilância, é provável que eles revelem fatos sobre si próprios que não revelariam se soubessem que o conteúdo estava a ser monitorizado”.

“Assim, o Facebook posicionou-se de forma a adquirir partes dos perfis dos usuários que provavelmente não estariam disponíveis para outros agregadores de dados.”

Mas nem todos criticam a postura do Facebook ao examinar as mensagens privadas dos utilizadores.

O especialista em segurança Graham Cluley escreveu no seu blog que se o site não examinasse os links partilhados nestas mensagens, o Facebook estaria a fracassar no “dever de cuidar” dos utilizadores.

“Se não se analisar de forma apropriada os links, há um risco muito real de que spam, fraudes, ataques do tipo phishing e URLs de conteúdo criminoso criado para infectar os computadores com malware possam aumentar.”

Políticas de privacidade

Esta não é a primeira vez que o Facebook é criticado devido às suas políticas de privacidade.

Em setembro de 2013, a rede social foi criticada devido a uma proposta de mudança na sua política que iria permitir que fossem criados anúncios publicitários usando nomes e fotos de perfil dos usuários.

A companhia alegou que esta proposta apenas tornava mais clara a linguagem da sua política de privacidade e não fazia nenhuma mudança concreta nesta política.

O Facebook prometeu mudar as palavras usadas na sua política de privacidade depois de um processo de 2011 que resultou no pagamento de 20 milhões de dólares para indemnizar utilizadores que alegaram que os seus dados foram usados pela rede social sem que eles tivessem dado permissão explícita para isso.

ZAP / BBC

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. 1° Se os utilizadores do face book escarrapacham lá toda a sua vida privada, do que têm que se queixar?
    2° Se o governo americano dá o exemplo, porque é que as empresas e particulares têm de proceder diferentemente?
    3° Porque é que eu estou comentando, se a minha opinião desaparece no nada?

Contrato público. Amazon apresenta queixa em tribunal contra Trump

A Amazon revela que os "insistentes ataques públicos e de bastidores" de Donald Trump contra Jeff Bezos causaram "pressão" que levou à perda de contrato público com o Departamento de Defesa.  A Amazon apresentou uma queixa …

Empurrões, insultos e (talvez) um murro: Sérgio Conceição e Pedro Ribeiro perderam as estribeiras no túnel do Jamor

Os treinadores de FC Porto e Belenenses, Sérgio Conceição e Pedro Ribeiro, desentenderam-se no túnel de acesso ao relvado do Estádio Nacional, ao intervalo do jogo em que as duas equipas empataram a uma bola. …

Acordo entre Rússia e Ucrânia para cessar-fogo até ao final do ano

O Presidente da Rússia, Vladimir Putin, e o seu homólogo ucraniano, Volodymyr Zelensky, chegaram na segunda-feira à noite a um acordo de cessar-fogo que deverá ter efeito até ao final do ano de 2019. "As partes …

Nova Zelândia abre investigação. Erupção do Whakaari já fez pelo menos 13 mortos

Pelo menos cinco pessoas morreram e oito continuam desaparecidas, na sequência da erupção do vulcão Whakaari, na Nova Zelândia. As autoridades afirmam que há poucas chances de terem sobrevivido. "Diria com forte convicção de que ninguém …

Falhas no acesso a remédios não são exclusivo do SNS. No resto da Europa também há, diz ministra

A ministra da Saúde afirmou que as falhas no acesso a medicamentos não são "um exclusivo nacional", estando em discussão entre os Estados-membros uma "estratégia global para o acesso ao medicamento". A ministra da Saúde afirmou …

Canal Panda e jogar sem medo. A receita de Lage para vencer os russos do Zenit

O Benfica joga esta terça-feira com o Zenit de São Petersburgo, na sexta e última jornada do grupo G da Liga dos Campeões. Os encarnados precisam de vencer por dois (ou mais) golos para garantir …

Polícia de Hong Kong desativa bombas artesanais escondidas em escola

As autoridades de Hong Kong desativaram duas bombas artesanais numa escola esta terça-feira. Os engenhos foram descobertos por um guarda e desconhece-se se estão associados à crise política que se vive no país. A líder de …

Tancos. Carlos Alexandre quer ouvir António Costa presencialmente

O juiz Carlos Alexandre quer ouvir o primeiro-ministro, António Costa, presencialmente durante a fase de instrução do processo de Tancos, recusando assim que o seu testemunho seja feito apenas por escrito. De acordo com a …

Orçamento de 2020 sem verba para pré-reformas na Função Pública

Alexandra Leitão, ministra da Modernização do Estado e Administração Pública, esclareceu que a proposta do Orçamento do Estado para o próximo ano não deverá reservar qualquer verba para financiar pré-reformas na função pública. Segundo o Diário …

Na medicina medieval, livros astrológicos diziam aos médicos quando tratar os pacientes

Na era medieval, os médicos tinham como seu auxílio um livro onde consultavam as posições dos planetas e das estrelas. A astrologia tinha uma grande influência na prática médica. Os médicos medievais tinham de possuir uma …