Facebook esteve 6 horas em baixo. Fortuna de Zuckerberg encolheu 6 mil milhões

Alex Wong / Getty Images / AFP

Mark Zuckerberg, fundador e CEO do Facebook

Depois de ter tido problemas a nível mundial, durante cerca de seis horas e meia, a rede social Facebook voltou a funcionar pelas 23:00 desta segunda-feira. O apagão custou seis mil milhões de dólares a Mark Zuckerberg

Após mais de seis horas sem serviço, o Facebook, Messenger e Instagram voltaram a estar disponíveis por volta das 23 horas desta segunda feira — altura em que o WhatsApp, também detido pelo Facebook, continuava em baixo.

O responsável pela área da tecnologia do Facebook, Mike Schroepfer, pediu hoje “sinceras desculpas” a todos os utilizadores afetados pela interrupção nos serviços.

Estamos a enfrentar problemas na rede e as equipas estão a trabalhar o mais rápido possível para expurgar e restaurar o serviço o mais depressa possível”, disse Schroepfer na sua conta no Twitter.

Segundo a agência EFE, as redes sociais Facebook, Instagram e WhatsApp registaram problemas a nível mundial, assinaladas com queixas em massa de utilizadores feitas no portal Downdetector.

De acordo com a agência espanhola, utilizadores de países como os Estados Unidos, México, França, Roménia, Noruega, Geórgia e Grécia registaram no portal Downdetector que estão a ter problemas. Em Portugal, os problemas no Facebook e Instagram foram sentidos sensivelmente desde as 16:30, constatou a agência Lusa.

A família de serviços do Facebook “essencialmente desapareceu da internet” durante várias horas, depois de problemas de tráfego que os deixaram indisponíveis aos utilizadores, adiantou a empresa de segurança digital Clouflare, citada pela Agência AFP.

O Facebook não revelou a possível causa da interrupção, mas especialistas em segurança cibernética disseram ter encontrado sinais de interrupção nas rotas que ligam os utilizadores à rede social.

“O Facebook e suas aplicações relacionadas desapareceram da Internet, numa enxurrada de atualizações do Border Gateway Protocol”, explicou John Graham-Cumming, CTO da Cloudflare, no Twitter. Este protocolo é responsável pela troca de informação e garantia de interoperabilidade entre segmentos autónomos de uma rede na Internet.

Na mesma rede social, o CEO e cofundador da Cloudflare, Mathew Prince, publicou um gráfico explicativo da razão que poderá ter levado ao apagão do Facebook.

O apagão ocorre um dia depois de Frances Haugen, ex-funcionária do Facebook, ter denunciado numa cadeia de televisão norte-americana que os responsáveis da rede social sabiam que as suas plataformas estavam a alimentar o ódio, a prejudicar a saúde mental de crianças e adolescentes, e que contribuiu para o ataque ao Capitólio.

Frances Hagen, especialista de dados de 37 anos, trabalhou para empresas como Google e Pinterest, mas sustenta que o Facebook é “substancialmente pior” do que tudo o que já viu antes. A ex-funcionária copiou milhares de documentos internos que mostram que a rede social sabia dos perigos que representava, mas “preferiu manter os lucros”.

Apagão no FB custa seis mil milhões a Zuckerberg

A riqueza pessoal do fundador do Facebook, Mark Zuckerberg, caiu em mais de seis mil milhões de dólares, após os vários problemas nas principais plataformas da empresa tecnológica registados esta segunda-feira.

De acordo com a Bloomberg, Zuckerberg desceu um degrau na lista dos mais ricos do mundo, devido à paralisação global que afetou o Facebook, Messenger, Instagram e WhatsApp.

As ações da gigante tecnológica caíram esta segunda-feira 4,9%, somando-se a uma queda de cerca de 15% desde meados de setembro.

A queda das ações, na segunda-feira, fez com que o valor de Mark Zuckerberg descesse para 121,6 mil milhões de dólares, ficando abaixo do fundador da Microsoft, Bill Gates, na quinta posição no índice Bloomberg Billionaires. A riqueza de Zuckerberg estava em 140 mil milhões de dólares em setembro, segundo o índice.

Em setembro, o The Wall Street Journal começou a publicar uma série de histórias com base em documentos internos, revelando que o Facebook tinha conhecimento de problemas com os seus produtos – como a desinformação sobre o ataque ao Capitólio dos EUA e os malefícios do Instagram para a saúde mental em adolescentes.

Os relatórios – relativizados pelo Facebook em público – chamaram a atenção de congressistas e, esta segunda-feira, Frances Hagen apresentou-se em público como sendo a denunciante do caso à imprensa.

Em resposta, o Facebook enfatizou que os problemas das suas plataformas, incluindo a polarização política, são complexos e, alertou, não são provocados apenas pela tecnologia.

“Dá conforto às pessoas presumir que deve haver uma explicação tecnológica ou técnica para as questões de polarização política nos EUA”, referiu à CNN o vice-presidente de assuntos globais do Facebook, Nick Clegg.

Com paralisação das redes sociais, não foi só Mark Zuckerberg a ressentir-se. Segundo uma estimativa da organização não governamental NetBlocks, que se dedica à cibersegurança, a economia mundial perdeu mais de 950 milhões de dólares após as mais de seis horas de problemas técnicos na empresa de Mark Zuckerberg.

ZAP // Lusa / AFP

PARTILHAR

RESPONDER

Pedro Sánchez promete abolir a prostituição em Espanha, por considerar que esta "escraviza" as mulheres

Espanha é um dos países europeus com mais trabalhadoras na indústria do sexo, as quais são sobretudo originárias de países da Europa mais pobres, da América Latina e de África. O primeiro-ministro espanhol Pedro Sánchez anunciou …

"Um milagre". Dois jovens sobreviveram quase uma semana no deserto australiano

Dois jovens, de 14 e 21 anos, sobreviveram durante quase uma semana no deserto, sem água e sem comida, depois de se terem perdido no Território do Norte, na Austrália. A polícia fala num verdadeiro …

Carlos Moedas

Moedas vai "dar tudo como presidente" e exige que seja respeitada a legitimidade do seu mandato

Carlos Moedas tomou posse, esta segunda-feira, como novo presidente da Câmara de Lisboa, tendo falado dos objetivos para o próximo quadriénio e deixado um elogio ao seu antecessor e alguns avisos à esquerda. Depois dos cumprimentos …

Chanceler austríaco Sebastian Kurz

Sondagens falsas e notícias favoráveis. O lado negro de Sebastian Kurz foi desmascarado

Sebastian Kurz e pessoas que lhe são próximas foram acusados de tentar garantir a sua ascensão à liderança do partido e do país com a ajuda de sondagens manipuladas e notícias favoráveis na imprensa, financiadas …

Tem uma carreira de sonho na Nike, mas cometeu um homicídio há 65 anos

O presidente da Jordan Brand, Larry Miller, revelou que, há 56 anos, matou um adolescente nas ruas de Filadélfia, nos Estados Unidos. O presidente da Jordan Brand — marca do ex-jogador de basquetebol Michael Jordan — …

Rio diz que decisão sobre eventual recandidatura está "quase tomada"

O presidente do PSD afirmou, esta segunda-feira, que a decisão sobre a sua eventual recandidatura está "quase tomada" e será anunciada em breve. Em declarações aos jornalistas à chegada à tomada de posse do novo presidente …

Mihajlovic: "Vou tentar manter a calma, mas é difícil"

Treinador do Bolonha furioso com os cartões amarelos mostrados para "compensar" uma expulsão. Beto voltou a marcar. Udinese e Bolonha entraram em campo neste domingo como protagonistas de um dos jogos menos mediáticos da oitava jornada …

Marcelo Rebelo de Sousa

Marcelo avisa que não pode haver "casos de mau uso e de fraude" com os fundos europeus

O Presidente da República avisou, esta segunda-feira, que a "última coisa" que pode acontecer com os fundos europeus são "casos de maus uso e de fraude", garantindo que os portugueses "não perdoariam" que isso acontecesse. Questionado …

O empresário John Textor

Nova direção do Benfica vai reunir-se com John Textor

O empresário John Textor, que celebrou um acordo com José António dos Santos para aquisição de 25% do capital social da SAD do Benfica, vai ser recebido pela nova direção do clube esta quinta-feira. "Após explícita …

Vítimas do ataque na Noruega foram mortas com facadas e não com arco e flecha

A polícia norueguesa esclareceu, esta segunda-feira, que as cinco vítimas mortais do ataque perpetrado na semana passada foram esfaqueadas, afastando assim a tese inicial que as mortes tinham sido provocadas por um arco e flechas. Segundo …