Estado poderá recorrer a contratos a termo mais longos do que o privado

Miguel A. Lopes / Lusa

O ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, José António Vieira da Silva

O Estado vai poder recorrer a contratos a prazo mais longos do que o privado. O diploma, aprovado no mês passado no Parlamento, prevê para o setor privado a redução da duração máxima dos contratos a termo certo de três para dois anos, com a duração máxima dos contratos a termo incerto a passar de seis para quatro anos, uma situação que não se aplica ao Estado.

Segundo noticiou o Jornal de Negócios esta segunda-feira, citado pela Rádio Observador, apesar de o Estado ter chegado a defender condições idênticas tanto para o privado como para o público, os novos limites referentes à duração dos contratos a termo que irão constar do Código de Trabalho não são aplicáveis à Função Pública.

De acordo com três juristas consultados pelo Jornal de Negócios – os advogados Pedro Madeira Brito, Miguel Lucas Pires e Paulo Veiga e Moura -, o Governo optou por não alterar as respetivas normas na Lei Geral do Trabalho em Funções Públicas (LTFP).

O que significa que o Estado continuará a ter a possibilidade de fazer contratos a termos mais longos: três anos nos contratos a termo certo (versus dois anos no privado) e sem limite nos contratos a termo incerto (versus quatro anos no privado).

Os especialistas consultados asseguraram que aumentam, assim, as diferenças entre o setor privado e público, sendo que neste último poderão coexistir trabalhadores com dois regimes. Isto porque existem dois regimes laborais para os trabalhadores do Estado: o contrato de trabalho em funções públicas e o contrato individual de trabalho, associado à lei laboral do setor privado.

O diploma em questão terá ainda de ser promulgado pelo Presidente da República. Ao Jornal de Negócios, o Ministério das Finanças recusou-se a prestar comentários.

TP, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Precários à espera de apoio extraordinário estão a receber multas do fisco

A Associação de Combate à Precariedade denunciou que a Autoridade Tributária (AT) está a aplicar multas de 75 euros a trabalhadores precários que ficaram sem rendimento e estão a recorrer ao novo apoio extraordinário a …

Portugal regista mais seis óbitos e 688 novos casos

Portugal contabiliza esta segunda-feira mais seis mortos relacionados com a covid-19 e 688 novos casos de infeção com o novo coronavírus, segundo o último boletim divulgado epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). Desde o início da …

Novo lay-off é para "aguentar o emprego e as empresas" (mas agrava cortes dos trabalhadores)

O novo regime de lay-off anunciado pelo Governo, para apoiar as empresas com "perdas mais significativas", nomeadamente na área do turismo, visa "aguentar o emprego e as empresas", segundo o ministro da Economia, Siza Vieira, …

Jornal "The Guardian" sugere que Portugal é um país racista e compara Ventura a Bolsonaro

O jornal britânico "The Guardian" noticiou, esta segunda-feira, alguns dos mais recentes acontecimentos racistas que têm ocorrido no país, afirmando no seu título que "Portugal regista um aumento da violência racista com ascensão da extrema …

Jornal Washington Post declara apoio a Biden e quer afastar "o pior presidente dos tempos modernos"

O jornal de referência Washington Post declarou esta segunda-feira o seu apoio ao candidato democrata à presidência dos EUA, Joe Biden, para derrotar o republicano Donald Trump, que considera “o pior Presidente dos tempos modernos”. No …

Portugal não recorrerá aos empréstimos do fundo de recuperação da UE

O primeiro-ministro António Costa salientou esta terça-feira que Portugal "recorrerá integralmente" aos cerca de 15,3 mil milhões de euros em subvenções que poderá receber do fundo de recuperação europeu, mas adiantou que não utilizará a …

Isabel dos Santos impugna nacionalização da Efacec

A empresária angolana Isabel dos Santos avançou com uma ação para impugnar a nacionalização da Efacec, decisão que foi anunciada pelo ministro da Economia, Pedro Siza Vieira, no início de julho. Numa nota enviada às …

Brexit. Na nona e última ronda, Von der Leyen está convencida de que acordo é possível

A União Europeia (UE) e o Reino Unido voltam esta terça-feira às negociações, na nona e última ronda para sair do impasse em questões como as pescas e concorrência e chegar a um acordo de …

Fundo de Resolução deve ser analisado com rigor, diz BCP. Presidente do banco defende moratórias

O presidente da Comissão Executiva do Millennium BCP, Miguel Maya, disse na segunda-feira que o tema do financiamento do Fundo de Resolução deve ser analisado com o "máximo cuidado e rigor", afirmando não ter nenhuma …

Falhas nas escolas: Falta de funcionários, alunos reprovados e Internet lenta condicionam resultados

Dois em cada três estudantes portugueses frequentam escolas onde os diretores apontam a falta de pessoal não docente como um dos fatores que condiciona a capacidade de ensinar. Chumbos ou Internet lenta também são condicionantes …