Estado deverá ficar isento de multas por violação de dados pessoais

A direita é contra, o Bloco tem dúvidas, mas a esquerda deverá viabilizar a proposta que prevê a isenção do Estado das multas por violação do Regulamento Geral de Proteção de Dados (RGPD).

Nos próximos três anos, as entidades públicas deverão escapar às multas a que estariam sujeitas no caso de violarem as regras do Regulamento Geral de Proteção de Dados (RGPD).

A isenção consta da proposta que o Executivo português apresentou em março do ano passado na Assembleia da República e, apesar das reservas do Bloco de Esquerda, deverá ser viabilizada pela esquerda. De acordo com o Público, o CDS e o PSD são contra.

O Governo justifica esta opção com o facto de o Estado não fazer dinheiro com os dados pessoais dos cidadãos. Na prática, o Estado português usa os dados pessoais apenas para cumprir obrigações legais. Além disso, a proposta sublinha que o RGPD exige um conjunto de alterações nos sistemas informáticos que podem traduzir-se em custos muito elevados.

A direita opõem-se a todos estes argumentos, mas o Bloco de Esquerda parece estar na corda bamba, inclinado a recuar nas suas reservas, abrindo assim caminho à viabilização desta isenção.

O bloquista José Manuel Pureza afirmou ao jornal que “não faz sentido Estado pagar coimas ao próprio Estado”, apesar de reconhecer que esta exceção poderia configurar um retrocesso, uma vez que, desde 1991, a lei de proteção de dados sanciona as entidades públicas da mesma forma que sanciona as privadas.

António Filipe, do PCP, concorda com o bloquista, e defende que as entidades públicas não podem ficar isentas do cumprimento da lei. Contudo, sublinha que “não faz sentido colocar o erário público a pagar-se a si mesmo”. Como solução, o deputado sugere que se poderia tirar “responsabilidades disciplinares” às entidades como penalização.

À direita, o não é redondo. Enquanto que o CDS exige a eliminação desta exceção, o PSD sugere que “as entidades públicas, mediante pedido devidamente fundamentado”, possam solicitar à Comissão Nacional de Proteção de Dados (CNPD) “a dispensa” da sua aplicação durante três anos.

Ao Público, Carlos Abreu Amorim, deputado social-democrata, contextualizou esta proposta com o facto de muitas entidades públicas não disporem dos equipamentos ou recursos financeiros e humanos para garantir o respeito pelo RGPD e com a necessidade de garantir um plano concorrencial entre entidades públicas e privadas que prestam os mesmos serviços (escolas, hospitais, transportes, etc.).

Atualmente, o grupo de trabalho parlamentar criado para discutir a lei que adapta o RGPD à realidade nacional está já numa fase avançada. O RGPD entrou em vigor há quase nove meses, mas a discussão tem continuado, estando agora próxima do fim.

ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Nicotina contribui para cancro do pulmão formar metástases no cérebro

A nicotina, uma substância não carcinogénica presente no tabaco, contribui para que o cancro no pulmão se dissemine no cérebro, formando metástases, concluiu um estudo publicado na revista Journal of Experimental Medicine. Uma equipa de investigadores …

Nas montanhas suíças, há quartos de hotel sem paredes nem teto

Dois artistas concetuais suíços criaram sete "quartos de hotel" ao ar livre, sem paredes nem teto, mas com vistas para as montanhas da Suíça e de Liechtenstein. A dupla suíça, os irmãos gémeos Frank e Patrik …

Risco de segunda vaga de covid-19 é alto em França

Um estudo publicado esta sexta-feira revela que a chamada "imunidade de grupo" está longe de ser alcançada em França. O risco de uma segunda vaga de covid-19 em França é "extremamente elevado", de acordo com um …

Desvendado mistério das cartas censuradas entre a rainha Maria Antonieta e o seu suposto amante

A natureza da relação entre a rainha Maria Antonieta e o conde sueco Axel de Fersen continua a intrigar os historiadores há mais de um século. Eram realmente amantes? Agora, graças a uma nova análise …

Ministra do Madagáscar afastada por querer gastar 1,8 milhões em rebuçados para disfarçar sabor de "Covid-Organics"

A ministra da Educação do Madagáscar foi destituída esta quinta-feira, depois de ter proposto gastar 1,8 milhões de euros em rebuçados, para distribuir em escolas e atenuar o sabor de uma infusão para a covid-19. A …

Santa Clara 3-2 SC Braga | Açorianos estreiam-se na nova casa com vitória sobre os minhotos

O Santa Clara venceu hoje o Sporting de Braga por 3-2, em jogo da 25.ª jornada da I Liga de futebol em que se assinalou também a estreia da Cidade do Futebol como palco de …

O maior e mais antigo monumento Maia já conhecido foi descoberto no México

O maior e mais antigo monumento já conhecido construído pela civilização Maia, batizado como Aguada Fénix, foi encontrado no sudeste do México. De acordo com o site New Scientist, o Aguada Fénix é uma enorme …

Twitter bloqueia vídeo de campanha de Donald Trump com tributo a George Floyd

O Twitter bloqueou um vídeo de tributo a George Floyd feito pela campanha de reeleição do Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump. A rede social colocou um rótulo no vídeo da página da conta @TeamTrump, dizendo …

Depois da covid-19, poder haver uma outra doença respiratória à nossa espera

Com o desconfinamento, vamos gradualmente regressando ao normal, mas agora possivelmente com um novo inimigo. A doença dos legionários pode estar escondida nos edifícios que deixamos para trás. Surtos globais de coronavírus forçaram o encerramento de …

Apple está a seguir iPhones roubados das lojas durante os protestos nos EUA

Os iPhones que têm sido roubados das lojas da Apple durante os protestos contra a violência policial, nos Estados Unidos, foram desativados e estão a ser seguidos pela empresa. De acordo com a revista Newsweek, as …