O Estado da Nação vai hoje a debate na Assembleia da República

O primeiro-ministro abre esta quinta-feira o debate do Estado da Nação, o primeiro da era da nova maioria parlamentar de esquerda, com duração prevista de quase quatro horas.

Segundo o regimento, trata-se de “um debate de política geral, iniciado com uma intervenção do primeiro-ministro sobre o Estado da Nação, sujeito a perguntas dos grupos parlamentares, seguindo-se o debate generalizado que é encerrado pelo Governo”.

Para as 15h00 está marcado o início do plenário e a grelha de tempos prevê que o debate demorará 226 minutos, ou seja, quase quatro horas.

Depois da intervenção inicial de António Costa, que poderá durar até 40 minutos, os partidos terão direito a pedidos de esclarecimento e intervenções, pela seguinte ordem: PSD, PS, BE, CDS-PP, PCP, PEV e PAN.

De acordo com o site do Parlamento, o primeiro pedido de esclarecimento de cada partido poderá ter a duração de cinco minutos e os restantes de dois e o primeiro-ministro “responderá individualmente, sem direito de réplica, a cada um dos primeiros pedidos de esclarecimento, e em conjunto, se assim o entender, aos restantes pedidos dos grupos parlamentares”.

O encerramento do debate caberá ao Governo, tendo para tal um período de dez minutos.

No debate do “Estado da Nação” do ano passado, Pedro Passos Coelho era primeiro-ministro e António Costa liderava então a oposição, estando naquela época os partidos de esquerda em minoria, e o país em clima de pré-campanha, uma vez que estavam marcadas eleições legislativas para 4 de outubro de 2015.

Quatro anos depois de ter chegado ao Governo e de ter conseguido uma ‘saída limpa’ do programa de ajuda externa a que Portugal esteve sujeito entre 2011 e 2014, no ano passado Passos Coelho subiu à tribuna da Assembleia da República para, em jeito de balanço da legislatura, defender que tinha ficado demonstrado que o Governo seguiu a estratégia mais acertada para proteger os portugueses.

Sem António Costa na bancada, uma vez que o secretário-geral do PS não era deputado, coube ao então líder parlamentar socialista, Eduardo Ferro Rodrigues, interpelar o primeiro-ministro no debate do “Estado da Nação”, dando o mote para uma discussão recheada de imagens bíblicas.

Pelo BE, a porta-voz Catarina Martins começou então por acusar o Governo de promover uma “venda de garagem” do país através das privatizações, deixando para a deputada Mariana Mortágua o tema da venda do Novo Banco, e já o secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, acusou o Governo de ter atuado como “inseticida” contra as “pragas” que se abateram no país.

Este primeiro ano parlamentar da maioria de esquerda ficou marcado pela reversão de medidas do anterior Governo, nos salários, saúde e educação e pela aprovação da adoção por casais homossexuais, tendo os acordos de incidência parlamentar entre o PS, o BE, o PCP e o PEV dado uma renovada centralidade à Assembleia da República.

Num balanço à Lusa do primeiro ano da “geringonça”, PSD e CDS-PP disseram que veem sinais de degradação económica, enquanto o PS observou “estabilidade e confiança” e os partidos à esquerda destacaram a recuperação de rendimentos.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Observatório Gaia revoluciona o rastreamento de asteroides

O observatório espacial Gaia da ESA é uma missão ambiciosa que tem o objetivo de construir um mapa tridimensional da nossa Galáxia, fazendo medições de alta precisão de mais de mil milhões de estrelas. No entanto, …

Tempestades de relâmpagos mataram 147 pessoas na Índia em apenas 10 dias

Tempestades de relâmpagos mataram 147 pessoas no estado de Bihar, no norte da Índia, no espaço de dez dias, noticia a AFP, que escreve que os números podem aumentar nos próximos tempos devido às alterações …

Investigação portuguesa descobriu 14 espécies marinhas com potencial para produção de antibióticos

Uma investigação conjunta da Universidade de Aveiro e da Universidade Católica descobriu 14 novas espécies e um género de fungos marinhos, com potencial para produção de antibióticos, revelou esta segunda-feira fonte académica. "Neste momento, estão a …

Impossíveis de cumprir. Directores preocupados com novas regras para as escolas

As orientações da Direcção Geral de Saúde (DGS) para as escolas com vista ao regresso das aulas presenciais, em Setembro, estão a preocupar os directores dos estabelecimentos de ensino. Isto porque as consideram impossíveis de …

Homicídios disparam na maioria das cidades norte-americanas durante a pandemia

O número de homicídios cometidos em solo norte-americano disparou na maioria das cidades do país na primeira metade de 2020, comparativamente com o mesmo período do ano passado, revela uma investigação do New York Times. …

Investigadores desenvolvem robô-cientista (e já descobriu um novo catalisador)

Uma equipa de cientistas da Universidade de Liverpool, no Reino Unido, construiu um robô-cientista móvel inteligente, que realiza experiências sem ajuda humana. O novo robô-cientista toma decisões sozinho e já descobriu um novo catalisador. Segundo a …

Sérgio Figueiredo deixa direção de informação da TVI

Sérgio Figueiredo saiu do cargo de diretor de informação da TVI, anuncia a estação de televisão em comunicado enviado às redações. A cessação de funções é efetiva a partir desta sexta (10) e põe fim a …

Dinamarca lança "passaporte covid-19"

O Governo da Dinamarca lançou o "passaporte covid-19", um documento que atesta que o portador do mesmo não teve um resultado positivo ao novo coronavírus recentemente. Deverá ser utilizado em viagens internas ou externas. De …

Mais oito mortes e 342 novos casos. Mais 305 pessoas dadas como recuperadas

Portugal regista este sábado mais oito mortes por covid-19 e mais 342 casos confirmados em relação a sexta-feira, segundo dados da Direção-Geral de Saúde. De acordo com o boletim epidemiológico diário da DGS, há 46.221 casos …

Ainda há esperança para os gorilas mais raros do mundo. Foram fotografados com crias

Os gorilas do rio Cross, os mais raros do mundo, foram fotografados na Nigéria com algumas crias, aumentando a esperança para esta espécie de primatas. A fotografias foram divulgadas por uma organização não-governamental nigeriana, a …