Esquerdas disputam “paternidade” dos passes sociais

José Sena Goulão / Lusa

Os novos e mais baratos passes sociais, que esta segunda-feira entraram em vigor, arriscam-se a ser a medida mais disputada desta legislatura. No dia em que começaram a vigorar, os líderes dos três partidos que formam a “gerigonça” fizeram questão de sair à rua para celebrar a medida e nenhum deles se esqueceu de mencionar o contributo próprio para a sua concretização.

Foi com uma espécie de mini-tour pela Área Metropolitana de Lisboa (AML) que o primeiro-ministro, António Costa, assinalou a medida. Numa viagem entre a Ericeira e Setúbal, o líder do Executivo socialista fez-se acompanhar com ministros do Ambiente e Infraestruturas, Matos Fernandes e Pedro Nuno Santos, e o presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Medina.

Mas nem só de PS e Governo se fez este percurso: a viagem contou também com a presença do presidente da Câmara de Mafra, o social-democrata Hélder Silva, a que se foram juntando pelo caminho outros autarcas, como a socialista Inês Medeiros (Almada) e os comunistas Bernardino Soares (Loures) e Maria das Dores Meira (Setúbal).

No que respeita à aplicação dos novos tarifários dos passes sociais na AML, Costa considerou que se tratou de um “trabalho notável feito entre autarcas e Governo”.

“Permitiu não só uma redução muito significativa do custo tarifário, mas também fazer uma coisa com que há décadas se sonhava: um único passe que dê para toda a Área Metropolitana e para todos os operadores, seja de autocarro, comboio, barco ou elétrico. Tem a vantagem absolutamente extraordinária de cada um ter a liberdade de escolher os seus trajetos”, defendeu António Costa.

Confrontado com as críticas sobre um possível eleitoralismo da medida, o líder do Governo rejeitou desde logo esse cenário. “Este foi um semente lançada há muito tempo”, recordou o primeiro-ministro, dando conta que a medida arrancou em março do ano passado numa cimeira entre o Governo e as Áreas Metropolitanas de Lisboa e do Porto.

“Agora não faz sentido é parar o país porque vamos três eleições, porque senão o país não fazia mais nada este ano (…) “A oposição, na altura, votou contra, está no seu direito, não podem agora que perceberam que a medida é boa dizer que é eleitoralista”, criticou.

Por sua vez, Matos Fernandes, que rotulou o dia de ontem como um “dia de festa” e “de verdade”, sublinhou a importância da medida quer para os utilizadores como para o planeta. “Rompendo com a tradição, este dia 1 de abril é mesmo o dia da verdade”.

“E o nosso objetivo é agora chegar a 2030 com menos 40% de emissões no setor dos transportes. E, e ao mesmo tempo que tudo isto é feito, fica mais barato, e de que maneira, para as pessoas, porque algumas vão poupar mais de 600 euros por ano e outras até mais do que isso”, acrescentou no seu discurso na cerimónia realizada no salão nobre da Câmara Municipal de Setúbal.

Bloco e PCP “reclamam paternidade” da medida

O PCP, pela voz do seu secretário-geral, mostrou satisfação com a implementação da medida, afirmando que neste caso em concreto o “pobre não pode desconfiar” da esmola.

Jerónimo de Sousa frisou “o papel e intervenção do PCP” no processo e vincou que depois deste “passo decisivo” e “medida de grande envergadura” é necessário reforçar a oferta e a qualidade dos transportes públicos.

“Mesmo no plano ambiental e ecológico, isto é um passo de grande significado, que leva à tal incredulidade de algumas pessoas que não acreditavam. Como diz o nosso povo, ‘quando a esmola é grande o pobre desconfia’. Creio que, neste caso, o pobre não deve desconfiar porque é verdade que vai haver esta redução dos preços dos passes”, afirmou.

“O que ouvi foi o reconhecimento pelo papel e intervenção do PCP neste processo de redução dos passes”, vincou aos jornalistas junto à linha de Sintra, onde assinalou a medida juntamente com vários utentes.

Também a líder bloquista, que escolheu o Cais do Sodré para celebrar a medida, defendeu que é necessário “aumentar a oferta”, recordando o papel do Bloco de Esquerda para a concretização da medida, ainda que de forma menos evidente de que os comunistas.

“É preciso aumentar a oferta”, disse Catarina Martins aos jornalistas. “Precisamos de mais barcos, de mais metros, de mais autocarros, de mais comboios a funcionar, para responder a uma procura que nós esperamos que seja crescente, porque o transporte coletivo é aquele que faz melhor à carteira de cada família”, enumerou

“Um passe mais barato é mais salário e mais pensão ao fim do mês, é o melhor para a organização das cidades e é, definitivamente, o passe” necessário “para o ambiente e para combater as alterações climáticas”.

Apontando ser necessário “fazer mais esforço”, Catarina Martins salientou que também o Bloco tem feito a sua parte. “Temos apresentado no parlamento várias propostas sobre o aumento do investimento, nomeadamente na ferrovia”, afirmou.

Catarina Martins recordou ainda que,”recentemente foi aprovado no Parlamento, por proposta do Bloco de Esquerda (…) a possibilidade de articulação entre CIM [comunidades intermunicipais] e as áreas metropolitanas, para que viagens que as pessoas fazem pendulares, ou seja, para ir e vir ao trabalho todos os dias, mas que não são dentro só de uma área metropolitana ou só de uma CIM também poderem ter este desconto”.

José Sena Goulão / Lusa

O primeiro-ministro, António Costa (C), acompanhado pelo ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos (E), pelo ministro do Ambiente e da Transição Energética, Matos Fernandes (D)

Também António Costa reconheceu que a medida poderá precisar de um “período de ajustamento” face à procura, garantindo, contudo, que esta relação entre a procura e a oferta será ajustada.

A medida, que conta já com três “pais”, vai custar 117,5 milhões de euros, juntando os valores atribuídos pelo Estado e pelas respetivas autarquias, ascendendo a um valor 38% superior ao que foi inicialmente apontado pelo Governo no Orçamento de Estado.

Enquanto os partidos da “geringonça” reclamam parte da “paternidade” da medida, e seguindo o conselho do primeiro-ministro, o melhor será mesmo desfrutar da medida, que, segundo defendeu António Costa, vai estimular também o turismo.

“Podem vir a Setúbal comer um belíssimo choco frito, ir a Vila Franca de Xira comer umas magníficas enguias, podem ir provar queijadas a Sintra, ir comer ouriços do mar a Mafra, podem ir comer um gelado em Cascais”, exemplificou.

SA, ZAP // Lusa

PARTILHAR

5 COMENTÁRIOS

  1. o ridiculo desta selfie…

    uns srs que apenas andam de transportes públicos qd é para a foto.

    qto à paternidade já se sabe que esbanjar dinheiro dos outros é sempre obra dos mesmos, o colectivismo.
    segundo notícia de ontem parece que já derrapou 38% o custo, de 80 e tal milhões para 117 creio que eram os valores apresentados na notícia….

  2. Uma vez que o passe é mais barato, agora só resta saber se esses senhores vão continuar a usar os transportes públicos ou utilizar as viaturas oficiais.

  3. Daqui por algum tempo quando o buraco financeiro aumentar iremos ver se algum deles pretenderá tomar a iniciativa de se assumir como pai da criança.

RESPONDER

Campo magnético da Terra pode mudar 10 vezes mais rápido do que se pensava

As mudanças na direção do campo magnético da Terra podem ocorrer dez vezes mais rápido do que se pensava até então, sugerem novas simulações levadas a cabo por cientistas da Universidade de Leeds (Reino Unido) …

O buraco negro mais faminto do Universo engole por dia uma massa equivalente à do Sol

No centro do quasar mais brilhante já descoberto "mora" um dos maiores buracos negros que é também o mais "faminto" de todo o Universo: por dia, engole o equivalente à massa do nosso Sol. As …

Cientistas investigam estranho gelo cor-de-rosa num glaciar dos Alpes italianos

Uma equipa de cientistas anunciou esta segunda-feira estar a tentar averiguar a origem de gelo cor-de-rosa num glaciar nos Alpes italianos. O fenómeno deverá ser provocada por algas que aceleram os efeitos das mudanças climáticas. A origem …

Especialistas de 32 países alertam OMS: covid-19 também se transmite pelo ar

Numa carta aberta à Organização Mundial de Saúde, 239 cientistas pedem que a organização reveja as recomendações que tem emitido, alertando para o facto de a covid-19 poder transmitir-se pelo ar. Numa carta dirigida à Organização …

Moreirense 0-0 Sporting | Nulo em jogo de pólvora seca

A 30ª jornada fechou no Minho com um nulo entre Moreirense e Sporting, que continua sem derrotas sob o comando de Rúben Amorim. A formação leonina poderia muito bem ter vencido em Moreira de Cónegos, pois …

Armazém flutuante. A China está a guardar petróleo no mar (e já se sabe porquê)

A China está a guardar uma quantidade épica de petróleo no mar. De acordo com a CNN, o país comprou tanto petróleo estrangeiro a preços baratos que formou um congestionamento maciço de navios-tanque no mar, …

Peregrinos em Meca proibidos de tocar ou beijar a Caaba por causa da covid-19

Os muçulmanos que vão participar na peregrinação a Meca não poderão tocar ou beijar a Caaba nem a "pedra negra", presentes na Grande Mesquita, local considerado como um dos mais sagrados pelo Islão, informaram as …

Países Baixos continuam a abater milhares de martas. 20 quintas afetadas pela pandemia

Esta segunda-feira, as autoridades holandesas abateram milhares de martas em mais duas fazendas onde foram detetados surtos de covid-19. Esta segunda-feira, as autoridades abateram milhares de martas em mais duas fazendas, sendo agora 20 as quintas …

Cientistas criam robô para fazer testes à covid-19 (e proteger os profissionais de saúde)

O Korea Institute of Machinery & Materials (KIMM) desenvolveu um novo robô de coleta remota de amostras que elimina o contacto direto entre os profissionais de saúde e os pacientes, potencialmente infetados com o novo …

"Não use desodorizante". A peculiar estratégia de Berlim para promover o uso de máscaras nos transportes públicos

"Não use desodorizante". Esta é a peculiar campanha adotada pela empresa que controla os transportes públicos em Berlim, na Alemanha, para promover o uso correto de máscaras, evitando assim novos casos de covid-19.  Tal como escreve …