Ministro diz (agora) que equiparação de licenciaturas não era proposta do Governo

Paulo Novais / Lusa

O ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, disse esta terça-feira que a equiparação das licenciaturas pré-processo de Bolonha a mestrados não constava da proposta do Governo aprovado em fevereiro.

“A proposta inicial do Governo aprovada a 15 de fevereiro não incluía essa hipótese, que surgiu durante o processo de discussão pública e é, por isso, que todos os diplomas legais deste nível são supostos terem discussão pública”, garantiu o governante.

Manuel Heitor, que falava à margem da inauguração de uma unidade pioneira de terapia celular da Universidade de Coimbra, salientou que o diploma “esteve em discussão pública durante quatro meses, nos quais surgiram muitos comentários e muitas opiniões”.

O jornal Público deu esta terça-feira conta de que o Governo recuou na decisão de equiparar as licenciaturas concluídas antes da reforma de Bolonha, até 2006, a mestrados para efeitos de concursos ou de prosseguimentos de estudos.

No quadro europeu “nenhum outro país tinha avançado com este processo [de equiparação] e em Espanha o que foi feito foi uma ligeira alteração ao quadro de qualificações e, por isso, a nossa opção de seguir a estratégia espanhola e não fazer nenhuma alteração ao regime legal”, esclareceu o ministro.

“O processo de Bolonha é de harmonização ao nível europeu e Portugal deve estar sobretudo orgulhoso por ter hoje um processo totalmente integrado no esforço europeu onde não há exceções”, sublinhou.

O ministro salientou ainda que foi simplificado o processo de equivalências, dando a total autonomia às instituições de ensino superior para poderem fazer equivalências e estimular a continuação dos estudos.

Governo recuou

Em março de este ano, Manuel Heitor anunciava que o Governo queria equiparar “para todos os efeitos legais” os bacharelatos e licenciaturas pré-Bolonha a licenciaturas e mestrados pós-Bolonha. Agora, o executivo recua e não efetiva o novo novo regime jurídico de graus e diplomas.

“Será inserida no decreto-lei que estabelece o regime jurídico de graus e diplomas” uma norma que estabelece a equiparação, explicou a tutela em nota enviada na altura à agência Lusa.

Com a reforma de Bolonha – que veio uniformizar os graus académicos e os tempos de formação superior na Europa – a duração do primeiro ciclo (licenciatura) passou a ser de três anos, o mesmo de um bacharelato antes da nova estruturação do ensino superior.

Muitas das licenciaturas pré-Bolonha tinham cinco anos de duração, que é o mesmo tempo atribuído agora aos estudantes que juntam um mestrado (dois anos) à sua formação de 1.º ciclo (três anos).

ZAP // Lusa

PARTILHAR

10 COMENTÁRIOS

  1. O INFARMED vai para o Porto… afinal não vai
    As licenciaturas vão ser equiparadas a mestrados… afinal não vão
    O António Domingues da CGD não tinha de mostrar a declaração de rendimentos… afinal tinha
    O ISV vai ser reduzido… afinal não vai
    O Costa não especula… afinal especula em Lisboa com compras de casas a velhos por tuta e meia
    O Costa vai de calças de ganga à colónia… afinal vai mesmo

  2. engraçada esta questão de bolonha! e da equiparação também não fica atrás na graça.
    só fica beliscado quem votou nestes indivíduos e que é da função publica. No privado querem lá saber se é pré ou pós bolonha ou se tem mestrado ou só licenciatura.
    É a geração dos 750euros (com sorte, pois ainda temos os do ordenado mínimo) e a esta o mercado quer qualificação mas não quer pagar por ela.
    Vamos embalados na historia que “o governo faz assim para dar o exemplo” mas isso é só conversa para a meia dúzia de escolhidos, familiares e amigos dos que já lá estão. Se quisessem mesmo, impunham tabelas salariais para tudo e todos.
    ainda bem que não avançaram com equiparações quando não há nada para equiparar. São coisas muito distintas!Não me quero ver misturado com esta situação actual pois não passei por ela e não tenho nada que ter mestrado quando não frequentei nenhum. Se o quiser ter, estudo para isso!

    • “ainda bem que não avançaram com equiparações quando não há nada para equiparar. São coisas muito distintas!”
      Pode elaborar/esclarecer?

      • Esclareça vossa senhoria se acha que há algo de equivalente entre licenciaturas pré Bolonha e Mestrado pós Bolonha. A inveja é uma coisa muito feia.

        • Só uma nota, tenho mestrado antes e depois de Bolonha. Realmente não consigo equiparar os dois. Era muito mais difícil tirar um mestrado antes do que agora. Daí a minha dúvida.
          É evidente que estes processos serão sempre injustos, por muito que se queira ser justo.
          Acho curioso, no entanto, querer defender uma coisa sem mostrar algum facto que o suporte e pior, quando confrontado com o porquê, peça ao outro para esclarecer.

      • Não se compara pois houve alteração de conteúdos programáticos e suas cargas horárias. o que se dá hoje não é o mesmo que se dava antes.
        não se consegue condensar 5 anos em 3 e para mestrado eram mais 2 anos. com o Bolonha passou-se a fazer em 5 anos o que antes leva obrigatoriamente 7 anos.
        Agora é diferente (melhor ou pior conforme as opiniões) pois é mais rápido e a pessoa pode se lançar no mercado de trabalho e começar a ganhar experiência aos 21 anos de idade.
        Esta sede de equiparar é só para efeitos de concursos públicos e politiquice. É a era das equivalências e das novas oportunidades em que podemos ser muita coisa sem nunca o ter sido.
        Mas é assim porque a lei o permite e a classe politica que faz a lei quer que haja uma faixa cinzenta onde se encaixar e sermos todos doutores.

        • “não se consegue condensar 5 anos em 3 e para mestrado eram mais 2 anos. com o Bolonha passou-se a fazer em 5 anos o que antes leva obrigatoriamente 7 anos.” – não está a dizer uma coisa e o seu contrário?

  3. É curioso este facilitismo que grassa nos nossos governantes. Tudo se resolve em cima do joelho. Haja injustiça ou não. Copiamos o que no estrangeiro se faz, nem que seja idiótico. Quando me licenciei tive que estudar durante 6 anos numa universidade. Anos em que fiz exames, trabalhos, relatórios em suma fui avaliado, e bem, por forma a que os professores no final dos meus seis anos de trabalho e de muito esforço me pudessem emitir o grau de licenciado. Ora bem após Bolonha a licenciatura que antigamente demorava seis anos de estudo a fazer passou a ser de 3 anos e, com mais 2 fica-se com o grau de mestre.
    Resumindo um curso que no pré Bolonha requeria estudos a tempo integral de 6 anos passou a 5 e ainda por cima com um grau académico superior.
    Antigamente para se ser mestre tinha que se tirar uma licenciatura de 5 ou 6 anos consoante o curso e andar na faculdade mais uns anitos para fazer o mestrado.
    Isto não é despiciendo como muitos comentários podem querer parecer pois numa situação de concurso o grau de mestrado é superior a licenciatura. A não ser que os equiparem.
    A questão que coloco agora, pois sou um pai preocupado, é a seguinte:
    Não deveria eu aconselhar os meus filhos que estão a estudar no ensino básico a aguardar uns anitos pois talvez daqui por uns anos venha um acordo pós “outra cidade qualquer” em que com 9 anos de ensino básico já se é Professor Doutor? É que assim escusava de gastar dinheiro na faculdade.

  4. Um licenciado de 5 anos em Portugal tinha extamente as mesmas habilitações que um licenciado de 3 anos noutro país da Europa.

    A questão de Bolonha á harmonizar as habilitações na UE. Esqueçam o nome.

    Passa a ser, no pós- Bolonha: 3 anos licenciatura e 5 anos mestrado.

    Alguns cursos tiveram que ser ajustados.

    Algumas universidades optaram por mestrados integrados.

    Os detentores de cursos pré-Bolonha tiveram oportunidade de ajustar o grau académico, contactando a instituição de ensino que lhes concedeu o grau.

    Como em todos os processo, haverá celeuma. No global e nos dias corrente, é muito mais justo

  5. O seu mestrado pré-bolonha de 7 anos era extamente equivalente em termos de qualificação aos mestrados de 5 anos de alguns paises da UE

RESPONDER

Tragédia no Canal da Mancha. Quatro migrantes morreram em alto mar após Governo rejeitar rota segura

De acordo com as autoridades francesas, quatro migrantes - incluindo duas crianças de cinco e oito anos - morreram ao tentar chegar ao Reino Unido de barco através do Canal da Mancha. O pequeno barco …

Detidos 21 suspeitos de desviarem fundos para financiar Puigdemont na Bélgica

A operação da polícia espanhola contra o alegado desvio de fundos públicos para financiar as despesas do ex-presidente regional catalão Carles Puigdemont fugido na Bélgica resultou hoje em 21 detidos ligados ao movimento independentista na …

Ativista detido depois de tentar retirar uma escultura indonésia do Museu do Louvre

Mwazulu Diyabanza foi detido na semana passada em Paris, depois de tentar retirar uma escultura indonésia do Louvre. O ativista congolês disse que a ação foi parte de um protesto para que os museus europeus …

Proteção Civil do Porto já pediu recolher obrigatório e recomenda novo estado de emergência

A Proteção Civil do distrito do Porto já avançou com o pedido ao Governo de recolher obrigatório para a região. Marco Martins sugere ainda o regresso ao estado de emergência. Marco Martins, responsável pela proteção Civil …

Exames nacionais de 2021 mantêm normas excecionais criadas no anterior ano letivo

Os professores vão voltar a contabilizar, na classificação dos próximos exames nacionais, apenas as respostas às perguntas obrigatórias e àquelas em que o aluno tenha melhor pontuação, à semelhança das normas excecionais aplicadas no ano …

PSD-Madeira critica preços "pornográficos" e "obscenos" nas viagens da TAP no Natal

O PSD-Madeira voltou nesta quarta-feira a criticar os preços praticados pela TAP nas viagens para a região, referindo que na época do Natal chegam a atingir 1.143 euros, e considerou os valores “pornográficos” e “obscenos”. “São …

Autarca de Roma revela que máfia italiana planeou um ataque contra si e a sua família

A presidente da Câmara de Roma, Virginia Raggi, revelou que grupos do crime organizado planearam matá-la e a sua família porque ela os estava a atacar em partes da capital italiana que dominam. Aos 37 anos, …

OE2021. "Quem vota contra quer outro modelo ou desistiu de melhorar o SNS", diz Temido

A ministra da Saúde, Marta Temido, sustentou esta quarta-feira que os partidos que vão votar contra o Orçamento do Estado para 2021 querem outro modelo de sistema de saúde ou desistiram de melhorar o SNS. Numa …

Mais 3.960 casos e 24 mortes. É o pior dia desde o início da pandemia

Portugal registou nas últimas 24 horas mais 3.960 casos positivos e 24 mortes por covid-19. Os dados foram divulgados no mais recente boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). Este foi o pior dia desde o …

Reconhecimento para cuidadores informais vai ser mais fácil e rápido

O pedido de estatuto de cuidador informal fica, a partir de hoje, mais fácil, deixando de ser necessário apresentar atestado médico e permitindo que documentos que impliquem atos médicos possam ser apresentados posteriormente. De acordo com …