Enriquecimento injustificado. Depois do ralhete de Marcelo, todos os partidos admitem mexer na lei

Mário Cruz / Lusa

O Partido Socialista insistia que a lei que visa criminalizar quem não declara acréscimo de rendimentos já existe. Agora, depois do apelo do Presidente da República, já admite que há “aperfeiçoamentos” a fazer.

Na segunda-feira, o Presidente da República pediu que se encontre o meio adequado para criminalizar o enriquecimento injustificado, defendendo que este passo já devia ter sido dado e que “há vários caminhos” para o fazer respeitando a Constituição.

“Eu para aí há dez anos defendia que era preciso prever um crime, chamasse-se ele como se chamasse, que, respeitando a Constituição, punisse aquilo que é um enriquecimento, nomeadamente de titulares dos poderes públicos, que não tem justificação naquilo que é a remuneração do exercício de funções públicas”, disse Marcelo Rebelo de Sousa.

Já se esperou tempo demais“, acrescentou.

De acordo com o Expresso, o ralhete do Presidente parece ter surtido efeito nos partidos, principalmente no PS, que votou contra as iniciativas legislativas que iam nesse sentido.

Agora, há socialistas que admitem dar atenção à proposta da Associação Sindical dos Juízes (ASJP) que propõe um caminho alternativo à criminalização de quem tem um acréscimo significativo de riqueza sem justificar a sua origem. Entre eles está o vice-presidente da bancada socialista e membro da comissão parlamentar da Transparência, Pedro Delgado Alves, e o deputado e presidente dessa comissão, Jorge Lacão.

“A Associação Sindical dos Juízes apresenta uma proposta, em minha opinião, digna de merecer ponderação com aspetos que podem representar um aperfeiçoamento dos propósitos já consignado na lei”, escreveu Lacão, num artigo de opinião no Público.

Em declarações à TVI, Delgado Alves disse também que a proposta dos juízes dá um passo em frente, embora insista que o crime de enriquecimento não declarado, na prática, “já existe”.

Ana Catarina Mendes, líder da bancada parlamentar, disse na Circulatura do Quadrado que o problema não era a falta de leis para provar discrepâncias nos rendimentos, mas sim a falta de eficácia por parte de quem tem de as analisar.

O vice-presidente da bancada entende que o problema está na Entidade da Transparência, criada para fiscalizar essas omissões, que está a ter um “parto difícil” e ainda não tem sede. Ainda assim, admitiu que o contributo da ASJP dá mais um passo que permite passar a “fronteira” do crime do enriquecimento não declarado (que já está preconizado na lei) rumo ao crime do “enriquecimento injustificado“.

“É importante que não se falhe desta vez”, salientou o deputado, lembrando que o Governo esteve no último ano a preparar a estratégia nacional de combate à corrupção, que em breve será vertida em propostas de lei. Acontece que a estratégia não inclui a criminalização do enriquecimento ilícito.

O Bloco de Esquerda e o PCP querem reabrir o dossiê do enriquecimento injustificado, pelo que a responsabilidade está agora nas mãos do PSD.

“Qualquer força política que apresente algo que vá neste sentido [no sentido da ocultação de riqueza, sem haver inversão do ónus da prova], o PSD está disponível para negociar, encontrar pontes, e aprovar. Mas não é toma lá dá cá, queremos estudar, ouvir especialistas”, disse David Justino, vice-presidente do PSD, em entrevista ao Polígrafo/SIC.

À Lusa, fonte da direção do PSD reforçou a ideia da disponibilidade, embora insista que há três planos diferentes que precisam de ser mexidos: uma coisa é a reforma da Justiça, mais ampla, outra é o combate à corrupção, e outra ainda é a particularidade da criminalização do enriquecimento ilícito.

Isto significa, na prática, que nem a criminalização do enriquecimento ilícito resolve o problema da corrupção, nem o problema da corrupção resolve o problema da Justiça como um todo. Apesar disso, há abertura por parte do PSD.

O CDS também está a trabalhar no tema e deverá apresentar uma proposta para a semana. A proposta do Bloco deverá ver a luz do dia esta quarta-feira.

Liliana Malainho, ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Vão ser milhentos a se “auto-denunciar” antes que as novas leis entrem em vigor.
    Assim serão todos ilibados por prescrição do crime e podem continuar a vidinha como se nada fosse.
    Será como os cartões amarelos no futebol que voltam à estaca zero depois do segundo.

  2. Estes políticos de meia tijela falam muito, trabalho = 0. Já andam a falar neste assunto há mais de 10 anos, mas como Não lhes interessa não mexem em nada. Canalhas.

RESPONDER

Vulcão, La Palma

O Cumbre Vieja também tem negacionistas. "É tudo orquestrado"

Nos últimos dias, as redes sociais têm-se tornado o palco dos "negacionistas dos vulcões" que defendem que, por trás da erupção do Cumbre Vieja, há mão humana. Nas redes sociais já há negacionistas do vulcão Cumbre …

Selecção da Lituânia falhou os Mundiais porque...chegou atrasada

Per Strand venceu, António Morgado ficou em sexto, mas os ciclistas da Lituânia acabaram por marcar a prova de estrada de juniores, nos Mundiais em Flandres. Per Strand Hagenes é o novo campeão mundial júnior de …

Gil Vicente 1-2 Porto | Dragão canta de galo com dois golaços

Foi sofrer até ao fim. Sérgio Conceição tinha alertado que não seria fácil bater o Gil Vicente e foi isso que ocorreu na noite desta sexta-feira em Barcelos. O FC Porto apenas a um minuto dos …

Na II Guerra Mundial, um erro "humilhante" destruiu dois imponentes navios de guerra da Marinha Real

No dia 10 de dezembro de 1941, os japoneses afundaram os imponentes Prince of Wales e Repulse. A culpa foi do almirante Thomas Phillips que, na sequência de um "erro humilhante", acabou também por falecer. Winston …

O robô Atlas, da Boston Dynamics, faz parkour (e até dá um mortal para trás)

O Atlas é, sobretudo, um projeto de investigação: um robô que ajuda os engenheiros da Boston Dynamics a trabalhar em melhores sistemas de controlo e perceção. O parkour é um verdadeiro desafio para os seres humanos, …

Na Tailândia, um "cemitério" de táxis foi transformado numa horta sobre rodas

Desde pimentos a pepinos, beringelas e até mangericão. Num parque de estacionamento ao ar livre em Banguecoque, os táxis abandonados transformam-se em hortas para alimentar os trabalhadores. A pandemia de covid-19 obrigou os táxis de Banguecoque …

Morreu o "último nazi" canadiano, aos 97 anos

Um ucraniano que serviu como tradutor no regime nazi morreu na quinta-feira na sua casa, em Ontário, no Canadá, encerrando uma luta de décadas para deportá-lo e acusá-lo de cúmplice no assassinato de dezenas de …

No Sri Lanka, elefantes traficados foram resgatados. Mas voltaram às pessoas que os compraram ilegalmente

Um tribunal do Sri Lanka devolveu elefantes resgatados a pessoas influentes que foram acusadas de os terem comprado ilegalmente. Durante alguns anos, elefantes selvagens permaneceram na corda bamba de uma intensa batalha de custódia judicial entre …

Sporting 1-0 Marítimo | Porro volta a decidir de penálti

Que sofrimento! É normal ver os “grandes” dominarem por completo os seus adversários, mas nesta partida entre Sporting e Marítimo, em Alvalade, praticamente só houve uma equipa a atacar e a procurar o golo. Ainda assim, …

A falhar pagamentos e com 260 mil milhões de dívida - como é que a Evergrande chegou até aqui?

A situação da imobiliária chinesa Evergrande, que tem uma dívida maior do que a economia portuguesa, está a deixar o mundo ansioso sobre uma eventual repetição da história da crise de 2008, que começou com …