Desespero, muitas dúvidas, sites inacessíveis e atrasos no dia D do RGPD

Hoje é o primeiro dia da entrada em vigor do novo Regulamento Geral de Protecção de Dados (RGPD), a nova norma europeia que reforça os direitos dos cidadãos e que está a levar algumas empresas ao “desespero”, com muitas dúvidas, sites norte-americanos inacessíveis e atrasos na aplicação para a Lei nacional.

O RGPD reforça os direitos dos cidadãos europeus e introduz sanções que podem ir, nos casos mais graves, até 20 milhões de euros ou 4% do volume de negócios anual das empresas, a nível mundial, consoante o montante que for mais elevado.

Nos casos menos graves de violação dos dados pessoais, as coimas podem ir até dez milhões de euros ou 2% do volume de negócios anual a nível mundial.

Um dos pontos mais relevantes do novo Regulamento, é que os cidadãos têm que dar consentimento explícito para que os seus dados pessoais sejam usados, com o conhecimento dos fins para que são usados. Além disso, também têm o direito a pedir que os seus dados sejam apagados a qualquer momento.

O RGPD tem aplicação directa em Portugal e entra em vigor nesta sexta-feira, 25 de Maio, mesmo sem que a Lei Nacional que o regulamenta esteja aprovada.

A aplicação do RGPD carece de legislação nacional que o adapte à realidade de cada país, e em Portugal, a proposta de lei elaborada pelo Governo vai ainda ser discutida pelos deputados na especialidade.

Essa proposta do Governo português define uma isenção de multas para o sector público. O Governo argumenta que o Regulamento está pensado para proteger os cidadãos europeus das multinacionais que fazem negócio com os dados pessoais.

Seguradoras não vão cumprir RGPD

Perante o atraso na legislação, coloca-se um problema às Seguradoras que, no pleno cumprimento do RGPD, teriam que eliminar os dados de saúde dos seus clientes,  o que levaria ao cancelamento de inúmeros contratos de seguros de vida, de saúde ou de acidentes pessoais.

“Se levássemos o Regulamento à letra seríamos obrigados a apagar os dados, mas não iremos fazê-lo. Isto é um problema de timing“, explica ao Público o presidente da Associação Portuguesa de Seguradores (APS), José Galamba de Oliveira.

O RGPD determina que “é proibido tratar determinados dados sensíveis como a origem racial, as convicções religiosas ou os dados de saúde”, como nota o Público.

A “falha” na norma europeia poderá ser resolvida com a adaptação para a lei nacional que ainda aguarda aprovação. Todavia, a proposta apresentada pelo Governo “não inclui qualquer disposição para resolver o problema”, sustenta o Público.

José Galamba de Oliveira sustenta que a omissão se terá devido “à pressa” para aprovar a legislação e está certo de que os deputados vão resolver o problema.

“Desespero leva à destruição de bases de dados”

Entretanto, muitas empresas estão a enfrentar o RGPD com mais dúvidas do que certezas. E nos últimos dias, as caixas de correio electrónico têm sido inundadas com diversas comunicações sobre o novo Regulamento e pedidos para reconfirmação das autorizações de utilização dos dados.

“Achamos completamente errado enviar e-mails ou SMS aos clientes a perguntar se devemos continuar a comunicar com eles, quando eles são já clientes”, explica à Meios e Publicidade o country manager da IDC Portugal, Gabriel Coimbra.

“Está explícito que devemos comunicar porque são nossos clientes. Como há uma falta de conhecimento, não temos ainda a lei portuguesa, não há jurisprudência e temos uma maturidade muito baixa no mercado, começamos a ver coisas absurdas como estas”, acrescenta Gabriel Coimbra.

E no meio das dúvidas, “o desespero está a levar à destruição das bases de dados, já que apenas cinco por cento das pessoas vão responder a esses e-mails”, alerta Gabriel Coimbra. “Se as empresas estão a fazer algo com a informação para o qual não foi dado consentimento, aí é que é preciso um novo consentimento”, explica ainda este elemento.

O PSD já acusou o governo por não ter legislado “a tempo” e por estar a criar “problemas às empresas”. “O que se trata é de reforçar a protecção de dados de cada um de nós e o Governo não preparou o tecido empresarial para uma medida desta natureza”, lamentou o vice-presidente da bancada do PSD, Carlos Peixoto, em declarações aos jornalistas.

O deputado social-democrata salienta que, de acordo com as últimas informações, apenas 8% das empresas portuguesas estão preparadas para as novas regras.

“O que aí vem podem ser sanções muito fortes, muito penalizadoras da Comissão Europeia”, alerta.

Sites norte-americanos inacessíveis

A lei que também tem aplicação fora do território da União Europeia, desde que estejam em causa dados de cidadãos europeus, está entretanto a deixar alguns sites norte-americanos inacessíveis, a quem acede da Europa.

É o caso do jornal Los Angeles Times que mostra uma mensagem onde explica que o site está “actualmente indisponível na maior parte dos países europeus”, enquanto se prepara a plena conformidade com o RGPD.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Uma estupidez sem limites..
    Ninguém sabe nada, ninguém informa nada, quem deveria saber também não sabe, estamos bem entregues à bicharada, para se aplicarem multas..
    Tantas palestras dadas, para dizer sempre o mesmo, aplicabilidade ou medidas, essas são zero…
    Já esgotei a quem recorrer
    Informador fiscal pôs-se de lado, formações zero, medidas zero… enfim
    Esta tudo doido…No mundo inteiro

  2. Em dois anos o Governo não fez a Lei que regulamentará este RGPD.
    Mas agora estas Leis são da competência do Governo?
    Pelo comentário do Deputado do PSD parece que durante estes dois anos andaram a passar férias.
    E os outros (incluindo os da geringonça) também estiveram a dormir.
    Eu renovei o consentimento nas empresas em quem confio e de quem recebo regularmente informação.
    Aquelas que diariamente inundam o meu e-mail, telemovel, telefone ou publicidade escrita não solicitada não dei qualquer resposta e estou a aguardar as suas noticias para exercer os direitos que neste momento já estão consagrados no RGPD.Vou gostar de ver o que irá acontecer.Em portugal.como no resto,NADA.

RESPONDER

Misteriosa mensagem esculpida numa rocha em França foi finalmente decifrada

A inscrição, gravada há 250 anos numa rocha na região francesa da Bretanha, foi finalmente decifrada graças a um concurso lançado pelo município. O mistério, que há muitos anos intrigava a comunidade científica e curiosos de …

Transferência de Bruno Fernandes rendeu 16 milhões ao BCP e ao Novo Banco

A transferência de Bruno Fernandes do Sporting para o Manchester United foi rentável não apenas para o clube de Alvalade, mas também para os Bancos que são os principais financiadores do emblema. Millennium BCP e …

Braga 0-1 Rangers | "Guerreiros" eliminados por pé Kent

O Sporting de Braga caiu nos 16 avos-de-final da Liga Europa. Após a derrota por 3-2 na visita ao Rangers na semana passada, após estar a vencer por 2-0, os “arsenalistas” foram donos e senhores …

Violada, drogada e raptada. Cantora Duffy explica o seu desaparecimento da cena musical

A cantora galesa Duffy que fez sucesso, em 2008, com a música "Mercy", esteve vários anos afastada dos holofotes do mundo da música e explica, agora, que isso se deveu ao facto de ter sido …

Neeleman continua na TAP, mesmo com a entrada da Lufthansa

David Neeleman vai manter-se como acionista da companhia aérea portuguesa, mesmo que a Lufthansa venha a entrar no capital da TAP. Sabe-se que a Lufthansa está a estudar, juntamente com a United Airlines, a aquisição dos …

Escócia aprova plano para dar tampões e pensos grátis a todas as mulheres

O Parlamento escocês aprovou, esta terça-feira, um projeto de lei para disponibilizar gratuitamente produtos de higiene feminina a todas as mulheres. A Escócia será o primeiro país a avançar com uma medida deste tipo. O plano …

Bruxelas regista lentidão no desenvolvimento da ferrovia e dos portos portugueses

A Comissão Europeia fez hoje várias observações sobre a lentidão do desenvolvimento de projetos na ferrovia e nos portos portugueses, num relatório elaborado no âmbito do pacote de inverno do semestre europeu. Abordando os setores ferroviário …

Há dois anos, o Governo deu luz verde a doutoramentos nos politécnicos (mas ainda não mudou a lei)

O Governo deu luz verde aos doutoramentos nos politécnicos e, por isso, criou em 2018 uma lei para mudar o panorama. Contudo, esta só funciona se a Lei de Bases mudar. Em 2018, o Conselho de …

Neymar recusa treinar depois de não ser convocado

O futebolista brasileiro Neymar, que joga atualmente no PSG, recusou-se a treinar no dia seguinte a não ter sido convocado para o jogo frente ao Dijon, para a Taça de França, revelou esta quarta-feira o …

"Poesia de emergência". Espanhóis criam número de telefone para quem quiser ouvir poemas

O projeto "Poesia de Emergência" nasceu no início de 2018 e tem mais de uma centena de voluntários que recitam poemas próprios autores conhecidos. Basta ligar para um número.   A ideia, que já tem voluntários em …