“Desconfinamento político” traz críticas à atuação do Governo durante o estado de emergência

Tiago Petinga / Lusa

O ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita

Entre exigências e críticas, da esquerda à direita, o Governo não conseguiu manter o clima de unidade nacional na última análise ao estado de emergência.

Esta quinta-feira, na Assembleia da República, avaliou-se o estado de emergência e, da esquerda à direita, as críticas fizeram-se ouvir. Com a chegada do desconfinamento, desconfinou-se também a política e chegou ao fim o ambiente de unidade nacional.

Numa análise ao relatório do terceiro e último período do estado de emergência, o Governo e os partidos com assento parlamentar decidiram fazer um balanço a todo o modelo que nunca havia sido aplicado em democracia.

Segundo o Expresso, o PSD acusou o Governo de o deixar sozinho na espécie de “colaboração” que determinaram desde o início. Segundo os sociais-democratas, o Executivo não ajudou quando “acelerou rapidamente para o desconfinamento político”, com a polémica Centeno-Novo Banco, ou quando “eufemisticamente não andou bem”, com falhas como os atrasos dos pagamentos no lay-off.

Mais uma razão para o PSD considerar que o Governo nem sempre foi um parceiro à altura tem a ver com o perdão de penas a presos, um ponto de grande discordância política.

O Iniciativa Liberal acusou o PS de ter tendência para se “confundir com o Estado” e mostrar uma “costela totalitária” ao criticar, no relatório, os que não participaram numa “comunhão de vontades política”. Já o CDS, na voz de Telmo Correia, disse que “pedir a um Governo do PS que resista à propaganda é o mesmo que pedir a um alcoólico que deixe de beber ou a um toxicodependente que deixe de consumir”.

A celebração do 1.º de Maio na Alameda, em Lisboa, também mereceu fortes críticas, tanto do CDS como do PAN, que criticaram os comunistas, mas também o Governo por conceder privilégios aos “partidos mais próximos”.

À esquerda, o PCP sublinhou as suas “reservas” sobre a necessidade do estado de emergência e lembrou que houve questões de emergência social e económica que ficaram por resolver.

O deputado socialista Pedro Delgado Alves reconheceu as falhas nos apoios sociais ou nos transportes públicos e prometeu que o PS acolherá as sugestões de melhoria vindas de todos os partidos, da esquerda à direita.

“Propaganda era dizer que tudo correu bem”, rematou Marta Temido, ministra da Saúde. Já Eduardo Cabrita, ministro da Administração Interna, sublinhou várias vezes as provas da “maturidade da democracia” dadas durante o estado de emergência.

Por fim, o governante disse que, no início da próxima semana, o Governo discutirá com os partidos a resposta económica e social e, “nessa resposta, contamos com todos”. “É esse o caminho do futuro, com a maturidade que a democracia portuguesa demonstrou durante o estado de emergência.”

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Leiloada carta de Nobel antissemita a desprezar Einstein e os judeus

Uma carta escrita em 1927 pelo Prémio Nobel Philipp Lenard a um colega a reclamar das conquistas de Einstein e do suposto domínio judaico da ciência foi a leilão no Nate D. Sanders Auctions, em …

Sue, o T-rex, terá tido uma forte dor de dentes devido a uma infeção

Sue, o T-rex cujo esqueleto é um dos mais completos já descobertos até aos dias de hoje, terá sofrido uma forte dor de dentes durante a sua existência. "Dois dentes estão realmente fundidos e um terceiro …

Câmara com IA confundiu careca do bandeirinha com a bola (e arruinou o jogo de futebol)

Os adeptos da equipa de futebol escocesa Inverness Caledonian Thistle FC experimentaram uma hilariante falha tecnológica durante um jogo no fim de semana passado. De acordo com o IFLScience, o clube escocês anunciou há algumas semanas …

"Francisco Louçã fez bullying para precipitar ruptura do Bloco com o PS"

O PS acredita que foi a postura de "bullying" de Francisco Louçã que forçou o Bloco de Esquerda a precipitar uma "ruptura com o PS", conforme avança o deputado João Paulo Correia, vice-presidente da bancada …

Remdesivir: de droga milagrosa a negócio milionário com "muito, muito mau aspeto"

Apresentado como único medicamento anti-viral eficaz no combate à covid-19, foi o primeiro medicamento aprovado pela FDA, regulador farmacêutico americano, no tratamento da doença. Agora, a sua eficácia é contestada — e os negócios milionários …

"Imagine there is no corruption". Há uma campanha contra a corrupção em Portugal nas ruas de Nova Iorque

Um professor português da Universidade de Columbia, nos EUA, tem em marcha uma campanha contra a corrupção em Portugal, com várias acções nas ruas de Nova Iorque. De guitarra em punho e a cantar "Imagine there …

Morreu Sean Connery, Sir James Bond

O actor escocês Sean Connery morreu, neste sábado, aos 90 anos de idade, conforme avança a BBC. As causas da morte não são ainda conhecidas. Sean Connery tornou-se conhecido como "James Bond", tendo sido o primeiro …

"Uma das actividades de maior risco é ir ao restaurante"

Medidas como a proibição de circulação entre concelhos e o recolher obrigatório "são mais simbólicas do que eficazes e efectivas" no combate à covid-19, defende o médico e investigador Carlos Martins, considerando que seria mais …

Vieira da Silva escolhido para conselheiro da CE na presidência portuguesa da UE

O ex-ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, José António Vieira da Silva, foi escolhido como conselheiro especial da Comissão Europeia para preparar o trabalho na área dos direitos sociais durante a presidência portuguesa …

Supremo dá razão a juiz afastado por ter "mau feitio"

O juiz desembargador Eurico Reis viu o Supremo Tribunal de Justiça dar-lhe razão, anulando o concurso interno no Tribunal da Relação de Lisboa onde foi afastado por, alegadamente, ter "mau feitio". O Supremo anula, assim, a …