/

Deputado do PS nega presença-fantasma no Parlamento. Facebook desmente-o

11

Nuno Sá / Facebook

O deputado do PS Nuno Sá.

Há mais um caso de um deputado com uma presença-fantasma no Parlamento. Desta vez, é afectada a bancada do PS e o deputado Nuno Sá que nega não ter estado no plenário a 12 de Junho de 2017. Só que o Facebook diz outra coisa.

O jornal Observador noticiou que o deputado socialista Nuno Sá faltou à reunião parlamentar de 12 de Junho de 2017, apesar de ter a presença marcada. Todavia, essa presença seria impossível para o deputado que estaria, na altura, em Vila Nova de Famalicão, no distrito de Braga, onde era candidato às eleições autárquicas.

Todavia, o deputado assegura que esteve na reunião plenária, segundo revela um comunicado da Direcção do Grupo Parlamentar do PS divulgado pela TSF.

O Observador reporta que há um vídeo da reunião parlamentar de 12 de Junho de 2017 que indica que Nuno Sá não se encontrava lá. Até porque nesse mesmo dia, terá visitado uma fábrica em Famalicão e terá assistido ainda às marchas populares.

No Facebook do deputado, há um vídeo em que ele aparece a falar na parte exterior das instalações da fábrica, a Caixiave, e que foi publicado a 12 de Junho de 2017, pelas 20 horas.

“Na manhã desta segunda-feira, 12 de Junho, estive na Caixiave, na freguesia de Ribeirão, no âmbito da iniciativa “Deputado em Acção”“, escreve Nuno Sá a par do vídeo, frisando que esteve reunido “com o eng.º Carlos Sá, CEO do Grupo Caixiave, e o dr. Artur Leite, membro da administração”.

A Direcção do Grupo Parlamentar do PS refere que o deputado garantiu que “esteve presente na reunião plenária em causa e que desenvolveu já as diligências, junto dos serviços da Assembleia da República, para o completo esclarecimento da situação”.

Além disso, Nuno Sá assegura que renunciará ao seu mandato caso se comprove “a irregularidade que lhe é apontada, mesmo que, como agora reitera, nunca tenha solicitado a qualquer pessoa para proceder a qualquer registo indevido da sua presença em reunião plenária”.

O presidente do PS, Carlos César, tinha prometido que o partido não seria complacente com “comportamentos fraudulentos” entre os deputados.

O caso das presenças-fantasma no Parlamento já afectou também vários deputados do PSD, designadamente o ex-secretário-geral do partido, José Silvano, Feliciano Barreiras Duarte, Duarte Marques e José Matos Rosa.

  SV, ZAP //

11 Comments

    • O que César vai dizer?! Ora essa, ele não precisa. Tal como não é preciso lá (AR) estar para estar, também não é preciso dizer para ser dito.

  1. E se fosse só este…
    E aqueles/as que moram em Lisboa e consideram uma qualquer morada bem longe da capital onde eventualmente poucas ou nenhumas vezes foram?! E disto há muito no PS…

    • Mas o que é que Lisboa,Porto ou Coimbra interessam ou têm a ver com o caso? Deixem-se de parolice?O grave são as falcatruas constantes!!!Mais grave serão os casos dos deputados insulares que recebem,como eu (por residir na Madeira),subsídio de transporte,sem terem gasto um tusto ou saído da ilha?!Classe cada vez mais MISERÁVEL!!!

  2. De César o que é de César…
    De Carlos o que é de Carlos ou já nos esquecemos das viagens…..
    Pouca vergonha e o otário de Zé do povo a pagar….

  3. O Senhor Depurado tem toda a razão. Afinal, não existem fantasmas. Só na nossa imaginação. Já o dom da ubiquidade existe. E outros senhores deputados são disso prova. Parabéns, foi talvez o maior feito de sempre da AR!

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.