Durão Barroso defende coronabonds (mas a prioridade é outra)

Em entrevista à SIC Notícias, Durão Barroso concordou com a criação dos ​​​​​​​coronabonds, mas defendeu que a prioridade é resolver “a crise humanitária”.

Durão Barroso considerou, em entrevista à SIC Notícias, que as instituições europeias têm respondido de forma cabal aos pedidos de apoio dos estados membros no combate a pandemia de covid-19.

Para o ex-presidente da Comissão Europeia, os maiores problemas têm sido colocados por alguns países. Assim, Durão Barroso considerou que a emissão dos chamados “coronabonds” seriam uma boa opção. Por outro lado, alertou que terá de haver cedências de todas as partes, o que será muito difícil.

 

“É necessário que apareça uma coordenação de ajuda orçamental. Quanto a isso, seria bom a meu ver, que fossem as eurobonds. Penso que uma via possível é utilizar o Mecanismo Europeu de Estabilidade, criado em 2008, mas que tem de ser reformulado e ter alguma flexibilidade”, sublinhou.

Apesar de a pandemia de Covid-19 provocar um impacto brutal no crescimento exponencial das dívidas dos países, levando a uma crise económica, Durão Barroso considera que, primeiro, é necessário resolver a crise humanitária.

“Temos tem de pôr a prioridade na questão humanitária. Temos também de pensar como vamos gerir esta dívida no futuro, mas para já a urgência é a urgência humanitária”, disse Durão Barroso, sublinhando que esta “é uma crise de outra dimensão”.

Três anos para montar coronabonds

Em entrevista ao Financial Times, Klaus Regling, diretor-geral do Mecanismo Europeu de Estabilidade, lançou um “balde de água fria” sobre aqueles que veem a emissão conjunta de dívida na zona euro como uma solução urgente para a crise. Tornar operacional um mecanismo de emissão de coronabonds levaria “um, dois ou, até, três anos”, garante.

“Levaria um, dois, ou três anos para criar uma nova instituição europeia para emitir dívida conjunta – e os estados-membros teriam de entregar capital ou garantias, ou empenhar receitas [fiscais] futuras. Não é possível criar títulos de dívida a partir do ar”, afirmou Regling.

Se a intenção é cobrir necessidades financeiras de curto prazo, para investir na saúde ou apoiar as economias, Regling acredita que “a única forma que existe é usar as instituições existentes, com os mecanismos que já existem

A presidente da Comissão Europeia, Ursula Von der Leyen está do lado do bloco de países que são contra os coronabonds, o instrumento de dívida conjunta que é o ponto da discórdia. A Alemanha também se opõe aos coronabonds, tal como Holanda, Áustria e Finlândia, enquanto Portugal, Espanha, Itália e França são defensores deste apoio.

Durante a crise da zona euro, entre 2010 e 2014, a hipótese de emissão de dívida europeia foi muito discutida, a pedido dos países mais afetados pela subida dos juros das suas dívidas nacionais.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Cientistas encontram dois fragmentos do meteorito de Barcelona

Cientistas espanhóis encontraram dois pequenos fragmentos do chamado meteorito de Barcelona, que caiu, há mais de 300 anos, no dia de Natal. No dia 25 de dezembro de 1704, um meteorito rasgou os céus e caiu …

"Pressionaram-me para o denunciar". Higuita recorda amizade com Escobar

A relação de amizade entre René Higuita e Pablo Escobar levou a que o ex-futebolista fosse seguido pelas autoridades. A polícia chegou a pressioná-lo para denunciar Escobar. O antigo internacional colombiano René Higuita é provavelmente uma …

George Floyd. Portugal junta-se às manifestações mundiais contra o racismo

Cinco cidades portuguesas juntam-se hoje à campanha de solidariedade mundial contra o racismo, associando-se à luta pela dignidade humana na sequência da morte, a 25 de maio, do afro-americano George Floyd, sob custódia da polícia …

Covid-19. México investiga mercado negro de atestados de óbito falsos

As autoridades da Cidade do México anunciaram que estão a investigar um suposto mercado negro de atestados de óbito relacionado com a covid-19, no dia em que o país registou 625 mortes nas últimas 24 …

Astrónomos descobrem "réplica" do Sol e da Terra a três mil anos-luz

O que diferencia esta descoberta de outros exoplanetas parecidos com a Terra é que a sua estrela tem uma semelhança impressionante com o nosso Sol. Entre os dados da missão Kepler, uma equipa de investigadores identificou …

Sem romarias e festas, milhares de famílias estão a entrar em falência

Milhares de famílias cujo rendimento depende das romarias e festas populares estão a atravessar sérias dificuldades económicas. Os prejuízos ultrapassam os 50 milhões de euros. A suspensão das festas populares e romarias religiosas em todo o …

Corpo de Maria Velho da Costa ficou 11 dias na morgue. Filho critica MP e fala em "massacre psicológico"

Os restos mortais da escritora Maria Velho da Costa, que faleceu a 23 de Maio, ficaram no Instituto de Medicina Legal, em Lisboa, durante 11 dias, sem que a família tivesse conhecimento de que já …

"Vocês são uns ingratos". Vieira arrasa equipa após empate com o Tondela

Luís Filipe Vieira foi ao balneário falar com os jogadores após o empate com o Tondela. O presidente benfiquista mostrou-se irritado e acusou os futebolistas de ingratidão. Depois do empate do SL Benfica com o CD …

Costa tirou o tapete ao seu "super-ministro" (que é cada vez mais candidato a líder do PS)

Pedro Nuno Santos, ministro das Infraestruturas, já foi um peso-pesado do Governo de António Costa, mas o primeiro-ministro desautorizou-o na discussão sobre o futuro da TAP, num claro sinal de que a "lua-de-mel" entre os …

Há dois candidatos na calha para suceder a Centeno. Siza Vieira fora da corrida

Pedro Siza Vieira era apontado como o favorito a suceder a Mário Centeno na pasta das Finanças, mas recusou essa possibilidade. Nelson de Souza e João Leão são agora os dois principais candidatos. Com a saída …