Crianças do Estado Islâmico treinam decapitações com bonecas

(cv) YouTube

-

A estratégia do Estado Islâmico na Síria e no Iraque passa pelo uso de crianças em atentados suicidas, na frente de combate e também em vídeos de decapitações. E nos campos de treino do grupo terrorista, rapazes com idades a partir dos 8 anos aprendem a decapitar pessoas com bonecas.

Um adolescente de 14 anos, que conseguiu fugir de um campo de treinos do Estado Islâmico, conta à Associated Press como passou cinco meses a fazer “exercícios, treinos com armas e estudos Corânicos”, como foi obrigado a bater no próprio irmão para ficar “mais forte” e como os guerrilheiros lhes batiam “em todo o lado”.

Este jovem da minoria curda Yazidi, capturado juntamente com o irmão mais novo e com a mãe no Iraque, recebeu o nome muçulmano de Yahya no campo de treinos e foi obrigado a ver vídeos de decapitações, tal como os outros cerca de 120 rapazes com idades entre os 8 e os 15 anos que aí se encontravam.

O adolescente conta que os guerrilheiros lhes diziam que um dia também eles teriam que executar uma decapitação e para treinarem davam-lhes uma boneca e uma espada.

“Então, ensinaram-me como segurar na espada e disseram-me como golpear. Disseram-me que era a cabeça dos infiéis”, conta o jovem à Associated Press.

A actuação do Estado Islamico na Síria e no Iraque passa por matar os homens e raptar as mulheres e as crianças. E se elas – independentemente da idade – são usadas para escravidão sexual, eles são reeducados, forçados a converterem-se ao Islamismo e a tornarem-se guerrilheiros “jihadistas”.

Há relatos de crianças raptadas nas ruas e de outras convencidas a juntarem-se ao grupo terrorista a troco de presentes e de doces e, muitas vezes, contra a vontade dos próprios pais.

Depois, são vítimas de uma verdadeira lavagem cerebral, treinando nos campos durante 8 a 10 horas por dia, para serem usados em atentados suicidas e até nas decapitações de reféns.

Nas últimas semanas, foram divulgados na Internet vídeos com uma criança que não aparenta ter mais de 10 anos a decapitar um soldado sírio e  com 25 rapazes a darem um tiro na cabeça, sem hesitações, a 25 soldados sírios capturados.

Considerados “Ashbal”, o árabe para “crias de leão“, estes rapazes são rebaptizados com nomes muçulmanos e preparados para servirem a causa do Estado Islâmico cegamente.

De acordo com a organização britânica Observatório Sírio para os Direitos Humanos, só neste ano, juntaram-se ao Estado Islâmico 1100 crianças sírias com menos de 16 anos. E há a certeza de muitos casos que não estão documentados, o que aumenta o número até níveis desconhecidos.

Os dados da mesma organização apontam para a morte de 52 crianças, incluindo oito bombistas suicidas.

SV, ZAP

PARTILHAR

6 COMENTÁRIOS

  1. Triste muito triste porque afinal onde está o resto do Mundo que nada faz.
    ( E ainda bem que não andamos a ensinar os nossos jovens a fazer decapitações…
    Ser solidário sim! )
    Esta parte era bom se fosse verdade pois hoje em dia o que mais se ensina é serem desonestos e olharem primeiro para os seus umbigos pois por alguma razão estamos hoje em dia como estamos em todas as partes do Mundo, mas isto é a minha opinião e claro que também existem pessoas de bem mas começa a ser um bem escasso.

Responder a Viés Cancelar resposta

Viagens ao Espaço têm um novo perigo desconhecido para os astronautas

Há um perigo inerente às longas viagens espaciais dos astronautas desconhecido até aos dias de hoje. Um novo estudo aponta que os cosmonautas podem ver o seu fluxo sanguíneo revertido na parte superior do corpo. A …

Macrocilix maia, a misteriosa traça que tem moscas a comer fezes nas suas asas

Macrocilix maia é uma espécie de traça que se destaca pela forma como se camufla dos seus predadores. Nas suas asas vê-se duas moscas a comer excrementos de pássaro. A natureza nunca falha em surpreender-nos e …

Há provas que ligam misteriosa doença que paralisa crianças a vírus raro

Pela primeira vez, foram encontradas provas da associação do Enterovírus D68, um vírus raro até há algum tempo, à Mielite Flácida Aguda, uma doença semelhante à poliomielite que tem afectado centenas de crianças, provocando a …

Antigos egípcios podem ter encurralado milhões de pássaros só para os mumificar

Novas evidências de ADN sugerem que os antigos Egípcios capturavam pássaros selvagens para sacrifícios ritualísticos (e para os poderem mumificar depois). As catacumbas egípcias contêm milhares de pássaros mumificados, especificamente íbis-sagrados (Threskiornis aethiopicus), empilhados uns sobre …

Estudo mostra que sondagens tendenciosas enviesam eleições políticas

Através de experiências práticas, uma investigação recente sugere que as sondagens tendenciosas podem influenciar e enviesar as eleições políticas, até mesmo nas grandes democracias. Enquanto uma eleição se aproxima no Reino Unido e uma votação presidencial …

A Rússia criou a arma mais mortífera da história. Foi há 72 anos

Comummente conhecida por AK-47, a espingarda Kalashnikov foi responsável por milhões de mortes durante a nossa História, sendo uma das armas mais populares do mundo e a mais fabricada pela indústria de armamento. Segundo o The Conversation, …

Luxemburgo 0-2 Portugal | Campeão marca presença no Euro

Portugal venceu o Luxemburgo por 2-0 e apurou-se para a fase final do Euro2020 – a 11ª presença consecutiva da turma das “quinas” em fases finais de grandes competições. Num encontro mal jogado, em parte pelas …

Hologramas e outras tecnologias podem ajudar a combater incêndios florestais

Portugal continua a ser assombrado pela destruição sem precedentes dos incêndios florestais. Agora é a hora de aproveitar as nossas ferramentas tecnológicas e encontrar maneiras inovadoras de ajudar a aliviar o problema e também evitar …

Pombos estão a perder dedos ou patas por causa da poluição

Basta passar algum tempo na praça de uma cidade para ver que alguns pombos têm patas feridas ou dedos em falta. Embora possamos pensar que isto é causado por algum vírus ou pelos eventuais desentendimentos …

Descoberto no Japão fóssil de pássaro com 120 milhões de anos

O fóssil de um pássaro do Cretáceo recentemente descoberto no Japão pode levar os cientistas a repensarem alguns detalhes sobre a evolução do voo. Há cerca de 120 milhões de anos, um pássaro com o tamanho …