António Costa quer “coligação” entre o Estado e as empresas

Tiago Petinga / Lusa

O primeiro-ministro afirmou esta sexta-feira que pretende levar em breve à concertação social a discussão de um plano para elevar e tornar mais competitivo o nível de rendimentos em Portugal, falando numa “coligação” entre Estado e empresas.

Este objetivo político foi assumido por António Costa na intervenção que proferiu num almoço promovido pelo International Club of Portugal, em Lisboa, que teve como linha central o carácter “vital” de uma inversão da demografia, sobretudo através de novos incentivos para a fixação de quadros no país, assim como para a estabilização da vida económica das jovens famílias.

“Bem sei que não basta o incentivo fiscal para que muitos dos postos de trabalho que são necessários preencher em Portugal sejam competitivos face a outros mercados – e esse é seguramente um dos grandes desafios que em sede de concertação social vamos ter que discutir no início da próxima legislatura“, declarou o líder socialista, estando a ouvi-lo o presidente da CIP, António Saraiva.

O primeiro-ministro sustentou que, atualmente, já ninguém duvida que uma empresa para ser competitiva “tem de começar a ser competitiva na contratação dos melhores recursos humanos”.

“Objetivamente, temos de nos ajudar uns aos outros, porque sabemos bem qual o esforço que as empresas têm de fazer para acompanhar uma maior política de rendimentos, mas também conhecemos as limitações que o Estado tem para continuar a melhorar o rendimento das famílias por via das transferências não monetárias”, disse, numa alusão a medidas como a criação de mais escalões em sede de IRS, a distribuição gratuita de manuais escolares ou a redução dos passes de transporte.

“Tal como o Estado compreende que as empresas têm limitações na capacidade de resposta ao crescimento dos salários, também as empresas devem compreender as limitações que o Estado tem para poder fazer crescer muito mais as transferências não monetárias para melhorar o rendimento líquido disponível. Por isso, temos de fazer todos uma coligação para, em conjunto, melhorarmos o nível de rendimentos, sem que isso afete a competitividade das empresas e, igualmente, a estabilidade macroeconómica em Portugal”, defendeu.

Os empresários, gestores, banqueiros e outros membros do International Club of Portugal que estavam presentes no Ritz mostraram-se agradados com a iniciativa do primeiro-ministro. Tanto que o presidente do clube, Manuel Ramalho, deu o seu voto de confiança a Costa para as próximas eleições.

“Estamos a poucas semanas de mais um importante ato eleitoral para o nosso país e o que é que eu, como responsável máximo por uma instituição isenta e independente como o ICP, posso desejar? Tudo indica que o seu partido vai ganhar as próximas eleições, consta que provavelmente por maioria absoluta, só posso dizer que se for bom para Portugal desejo que o senhor ganhe”, disse.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Itália mantém recolher obrigatório no Natal e Ano Novo

O ministro dos Assuntos Regionais italiano anunciou esta segunda-feira que o recolher obrigatório se vai manter durante o Natal e Ano Novo, no mesmo dia em que o Governo aprovou um novo plano de apoio …

Papa Francisco defende distanciamento social e é criticado por radicais de direita

Num artigo no New York Times sobre o Dia de Ação de Graças, o Papa Francisco defendeu as restrições levantadas para combater a pandemia covid-19, acabando por ser criticado por alguns radicais de direita, que …

Dez empresas e três pessoas acusadas no caso do vulcão na Nova Zelândia que fez 22 mortes

Dez empresas e três pessoas foram acusados de não cumprirem obrigações de segurança quando um vulcão na Nova Zelândia entrou em erupção em 2019, matando 22 pessoas, anunciou hoje a agência responsável pelas normas de …

Taxa de desemprego desce em setembro para os 7,9%

A taxa de desemprego recuou em setembro para 7,9%, menos 0,2 pontos do que em agosto e mais 1,4 pontos que no mesmo mês de 2019, segundo dados esta segunda-feira anunciados pelo Instituto Nacional de …

Multinacionais com mais respeito pelos direitos humanos e ambiente? Suíços dizem não

A Suíça rejeitou este domingo, em referendo, uma iniciativa que queria impor obrigações legais mais rígidas às empresas, no que se refere ao respeito pelos direitos humanos e padrões ambientais, segundo projeções adiantadas por instituto …

Brasil. Forças alternativas a Bolsonaro e Lula conquistam metade das capitais estaduais

Na segunda volta das municipais brasileiras, disputadas em 57 dos 5565 municípios do país e envolvendo mais de 38 milhões de eleitores, os políticos apoiados pelo Presidente Jair Bolsonaro e os candidatos do Partido dos …

Surto de gripe aviária no Reino Unido origina o abate de 10 mil perus

Mais de 10 mil perus vão ser abatidos no Reino Unido, devido a um surto de gripe aviária detetado numa quinta na cidade de Yorshire, no norte do país, anunciou este domingo o Governo britânico. Segundo …

Portugal com mais 78 mortos e 3.262 novos casos

Portugal contabiliza esta segunda-feira mais 78 mortos relacionados com a covid-19 e 3.262 novos casos de infeção com o novo coronavírus, segundo a Direção-Geral da Saúde (DGS). Desde o início da pandemia, Portugal já registou 4.505 …

Ministra da Saúde timorense ordena apagar referências a uso de preservativos em cartazes

A ministra da Saúde timorense ordenou retirar a recomendação de uso de preservativo em cartazes distribuídos pelo país para marcar o Dia Mundial de Luta contra a SIDA, por oposição “moral” ao que considera ser …

Messi marcou na goleada do Barça e homenageou Maradona

O Barcelona regressou neste domingo às vitórias na Liga espanhola de futebol e subiu ao sétimo lugar da prova, ao golear por 4-0 na recepção ao Osasuna, em jogo da 11.ª jornada, marcado por homenagens …