Há pontos de contacto e linhas vermelhas na relação amor-ódio que desenha o futuro do OE2021

O PCP foge por entre os dedos, o Bloco de Esquerda está cheio de dúvidas e o PSD é o terceiro interveniente à espera de intervir. A viabilização do Orçamento do Estado para 2021 é uma incógnita cheia de juras de amor e alguns pés atrás.

A geringonça já não é o que era e a versão 2.0 está longe no horizonte. Apesar de todos os “senão” que se intrometem no caminho e atrapalham a viabilização tranquila do documento, ainda há pontos de contacto entre as visões dos ex-parceiros.

Este é o caso do subsídio de desemprego. Segundo o Expresso, o Bloco de Esquerda e o PCP estão alinhados na redução do tempo de descontos necessário para ter acesso ao apoio e querem ambos retomar os valores da lei de 2009, que definiam o salário mínimo nacional (SMN) como limite mínimo atribuível.

Não se conhecem grandes detalhes da discussão do Orçamento Suplementar, mas Ana Catarina Mendes já admitiu que é possível haver avanços nesta matéria.

Outro ponto de contacto entre o Governo e o Bloco de Esquerda é a criação da nova prestação social de cidadania, uma prestação transitória, provavelmente por dois anos, para todos os cidadãos que, durante a pandemia, não tiveram acesso a apoios. Os pormenores ficam por alinhavar, nomeadamente a partir de que rendimento o apoio será atribuído.

Uma outra medida que o Governo aceita na negociação das alterações ao código de trabalho é a garantia de que os trabalhadores contratados em outsourcing serão abrangidos pelos contratos coletivos de trabalho da respetiva empresa, o que garantirá direitos laborais e salariais que os precários não têm até hoje.

O matutino avança ainda que, neste campo, irá também avançar uma alteração ao regime de teletrabalho e alterações que abranjam os trabalhadores das plataformas digitais.

O salário mínimo nacional não une, mas também não separa. O plano do Governo traça um aumento de 150 euros até 2023 (35 euros este ano e os restantes aumentos na ordem dos 40 euros). Acontece que, face à pandemia, o Executivo avisou que o aumento não pode ser tão avultado – ora, a bandeira vermelha hasteou e o BE não gostou.

Depois de deixar claro que seria muito mau sinal que os aumentos definidos deixassem de ser “compassados”, o partido de Catarina Martins estabeleceu um mínimo: 35 euros. O Governo de António Costa ainda não disse que sim, mas também não disse que não.

Linhas vermelhas

Um dos temas mais sensíveis a marcar a atualidade deste verão marca também as negociações do Orçamento do Estado para 2021. Chama-se Novo Banco e veio para agitar as águas.

O Bloco de Esquerda exige que o Governo não injete nem mais um euro; a saída do presidente da instituição; do presidente do Fundo de Resolução; e ainda uma nova auditoria, feita por uma comissão pública de organismos do Estado. Desprovido de apoio parlamentar, o Governo pediu aos bancos que fizessem um empréstimo ao Fundo de Resolução, para que o dinheiro chegue por outra via.

O que outrora foi uma reivindicação, passa agora a ser uma intransigência: aumentar as indemnizações por despedimento e os dias de férias ao que existia antes da troika é uma linha vermelha para o BE, ao que o Governo contra-ataca, afirmando que se trata de uma matéria intocável por ter sido negociada com as instituições europeias.

Por último, na sequência da crise provocada pela pandemia, o Bloco exige que o Governo proíba as empresas com lucros e que recebem apoios estatais de fazer despedimentos no próximo ano. Mas o Governo diz que isso não é possível, dado que a regra teria de se impor tendo em conta as últimas contas aprovadas destas empresas, as de 2019.

A ordem de trabalhos é intensa: há tempestades sem fim à vista, incógnitas à espera de uma resolução, uma crise política a evitar e um Orçamento do Estado para viabilizar.

Liliana Malainho LM, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Relógio japonês parado pelo terramoto de 2011 volta a funcionar novamente (graças a outro sismo)

Um relógio japonês com 100 anos de idade que deixou de funcionar depois do devastador terramoto de 2011 voltou a trabalhar após um novo sismo este ano. De acordo com o jornal Maunichi Shumbun, o relógio, …

Ventura tem "receio" que partido seja ilegalizado

Este domingo, o Chega vai organizar uma manifestação contra a ilegalização do partido. André Ventura admitiu ter um "receio muito significativo". O Observador avança que a manifestação tem início no Príncipe Real, passa pelo Tribunal Constitucional …

Três mortos e 441 novos casos em Portugal

Este domingo, Portugal regista mais três mortes e 441 novos casos de infeção, de acordo com o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). De acordo com o último boletim da Direção-Geral da Saúde, o país …

Grande Crise do Ketchup. A pandemia atacou um mercado improvável (e já há um mercado negro para o molho)

Os problemas da cadeia de suprimentos estão a chegar a um canto distante do universo empresarial: os pacotes de ketchup. O ketchup é o molho de mesa mais consumido nos restaurantes dos Estados Unidos, com cerca …

Autoridades brasileiras ilibam João Loureiro

João Loureiro já não é suspeito no processo que envolve a apreensão de um avião com 500 quilos de cocaína, segundo as autoridades brasileiras. As autoridades brasileiras descartaram, este sábado, qualquer ligação do advogado português João …

No Canadá, há dois rios que se encontram (mas não se misturam)

Em Nunavut, no Canadá, há dois rios que se encontram, mas não perdem a sua aparência individual enquanto se movem sinuosamente pela tundra. O Back River flui para o norte em direção ao Oceano Ártico. Ao …

Russos acusados de explosão na República Checa são suspeitos de envenenar Skripal

Os dois suspeitos russos, envolvidos na explosão que matou duas pessoas em 2014 na República Checa, têm os mesmos passaportes que os dois homens acusados de envenenar, com o agente nervoso novichok, o espião Sergei …

Numa cidade na Nova Zelândia, a Páscoa resume-se a exterminar coelhos

Em Alexandra, na região de Otago, os coelhos são considerados pragas, uma espécie que ameaça a biodiversidade do país e a agricultura. Elle Hunt, correspondente do The Guardian em Auckland, na Nova Zelândia, escreveu um artigo …

Reavaliação de barragens da EDP ficou por fazer, depois de Governo ter recuado na decisão

No início do ano passado, o ministério do Ambiente considerou ser necessário reavaliar as barragens da EDP, mas a Agência Portuguesa do Ambiente (APA) e a Parpública disseram não ter competências para fazer a avaliação …

Portugal bateu recorde de vacinação no sábado. Foram administradas 120 mil vacinas

Este sábado, Portugal registou um recorde diário de pessoas vacinadas contra a covid-19. No total, foram administradas 120 mil doses da vacina. De acordo com os números avançados pela task force responsável pelo plano de vacinação, …