Comprador rejeita carga do primeiro navio a sair da Ucrânia. Há 26 mil toneladas de milho sem destinatário

1

Erdem Sahin / EPA

Razoni

A embaixada da Ucrânia no Líbano informou esta terça-feira que o comprador libanês a quem se destinavam os cereais do primeiro cargueiro a sair de um porto ucraniano após o início do conflito rejeitou receber as 26.527 toneladas de milho, devido a um atraso de cinco meses na entrega.

O cargueiro Razoni “está agora à procura de outro consignatário para descarregar a carga, seja no Líbano/Tripoli [segunda maior cidade no Líbano] ou em qualquer outro país/porto”, escreveu a embaixada no Facebook.

Uma porta-voz do ministro da economia libanês, Amin Salam, adiantou que o Governo não está diretamente envolvido nesta matéria, visto que a carga de cereais se destinava para um comprador privado, avançou a Bloomberg. As Nações Unidas também não vão interferir no assunto.

O Razoni saiu da Ucrânia na semana passada e deveria ter chegado ao Líbano no domingo. Obrigada a mudar de rota, está agora ancorada na costa Sul da Turquia.

Há, no total, dez embarcações que já saíram de portos ucranianos com bens alimentares. A viagem do Razoni seria a oportunidade para muitos dos tripulantes conseguirem reunir-se com as famílias, depois de meses retidos no porto de Odessa.

Aguarda-se agora por uma solução que permita escoar o milho transportado pelo cargueiro com bandeira da Serra Leoa.

  ZAP //

1 Comment

  1. Isto merece ser investigado. Depois de 5 meses de espera e uma semana após o navio zarpar e estar a chegar ao destino é que o importador diz que já não quer o produto?! Aqui há marosca!

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.