/

“Ananases da liberdade.” China e Taiwan estão de costas voltadas (e a fruta tropical é o centro da discórdia)

1

Esta segunda-feira, o Governo chinês proibiu as importações de ananases taiwaneses, garantindo ter descoberto “pragas prejudiciais”. Taiwan considera, porém, que este corte abrupto não passa de uma jogada geopolítica.

O ananás tornou-se a última vítima da deterioração das relações entre a China e Taiwan, avança o The Guardian, esta terça-feira. A proibição das importações de ananases taiwaneses foi anunciada pelo Governo chinês na sexta-feira, mas entrou em vigor no início desta semana.

As autoridades chinesas alegam ter descoberto “pragas prejudiciais” e defendem a decisão “totalmente racional e necessária” para proteger a sua própria agricultura, mas Taiwan rejeita.

“A súbita decisão unilateral não tem por base a saúde nem o comércio justo”, sublinhou a Presidente Tsai Ing-wen, adiantando que 99,79% dos ananases passaram no controlo de qualidade.

No ano passado, 97% das exportações de ananás de Taiwan tiveram como destino a China. O diário britânico escreve que as autoridades taiwanesas veem semelhanças entre a suspensão da compra dos ananases e as sanções que a China impôs, em 2018, ao vinho australiano através de taxas alfandegárias.

Desta forma, decidiram avançar com uma campanha de sensibilização, batizada de “ananases da liberdade“. A campanha é uma alusão à australiana – “vinho da liberdade” – e apela aos “amigos à volta do globo que se juntem à causa de Taiwan”.

“Aqui vamos nós outra vez! Os nossos ananases foram proibidos pela China para punir os agricultores do Sul. Lembra-se do #FreedomWine da Austrália? Exorto os amigos à volta do globo que se juntem à causa de Taiwan e apoiem o #FreedomPineapple“, escreveu Joseph Wu, o ministro dos Negócios Estrangeiros de Taiwan, no Twitter.

https://twitter.com/MOFA_Taiwan/status/1365261810044080130

Esta proibição surge numa altura especialmente importante para os agricultores, uma vez que coincide com o início da colheita do fruto tropical.

Segundo o Público, o Governo de Taiwan já anunciou medidas de auxílio aos produtores, como apoios financeiros, incentivos à compra local e novas estratégias de marketing para arranjar exportadores alternativos. O valor total destinado ao apoio é de mil milhões de novos dólares taiwaneses, cerca de 30 milhões de euros.

Pequim tem vindo a intensificar os exercícios militares no estreito de Taiwan, pelo que cada intervenção chinesa é encarada com desconfiança.

  Liliana Malainho, ZAP //

1 Comment

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE