/

Centeno mantém-se no Governo pelo menos até ao fim da crise

Stephanie Lecocq / EPA

Mário Centeno vai continuar no Governo, contrariando as notícias que afastavam esta possibilidade. Centeno disse que manteria as responsabilidades como ministro das Finanças e como presidente do Eurogrupo.

“Tenho essas responsabilidades, existem e esse é o foco, todos devemos gastar as energias apenas focados na resposta à crise e não a alimentar folhetins que só interessam aos que desenham”, disse o atual ministro das Finanças, citado pela TSF. Como presidente do Eurogrupo, Mário Centeno garante que a resposta europeia “não vai ter limites e vai ser muito solidária”.

“Nunca ninguém me ouviu enjeitar essas responsabilidades”, atirou Centeno, dizendo ainda que o foco deve estar na crise e não em “alimentar folhetins”. As declarações do político surgem após Marcelo Rebelo de Sousa ter promulgado o Orçamento do Estado para 2020, esta segunda-feira.

Centeno admitiu ainda a possibilidade de ser necessário um orçamento retificativo, mas não para já. “Perante estas circunstâncias, a necessidade de um retificativo existe e será avaliada a todo o momento pelo Governo”, explicou.

“Este orçamento tem um conjunto de normas que permitem acomodar boa parte das matérias que temos vindo a legislar. E tem um conjunto vastíssimo de outras normas que permitirá dar uma nova dinâmica”, acrescentou.

Em relação à pandemia de Covid-19, que levou o país o presidente da República a declarar estado de emergência, Centeno mantém uma visão otimista.

“Do comportamento desta semana, vai depender se atingimos ou o pico desta crise sanitária quando as autoridades o preveem entre 9 e 14 de abril. Se assim, for e o nosso comportamento responsável tiver sucesso, podemos a partir daí ver uma redução do número de casos e uma estabilização sanitária para que num prazo que se prevê possa consumir quase todo o segundo trimestre, uma nova possibilidade de retomar a normalidade”, disse.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.