Novo Banco: “É tudo profundamente imoral” e Centeno “enganou os portugueses”

Mário Cruz / Lusa

Luis Marques Mendes

No seu habitual espaço de comentário na SIC, Luís Marques Mendes analisou as contas do Novo Banco, considerando os 1.149 milhões de euros pedidos ao Fundo de Resolução configuram uma “calamidade”. E vai mais longe: apesar de a situação estar dentro da legalidade, afirma, “é tudo profundamente imoral”.

O antigo líder do PSD referia-se à injeção de capital de 1.149 milhões de euros pedida pelo Novo Banco, depois de ter apresentado prejuízos recorde de 1.412,6 milhões em 2018. Marques Mendes considera que os portugueses têm razões para se preocuparem com este caso e “não vai ficar por aqui”, vaticina.

No seu comentário na SIC, Marques Mendes recordou que ficou definido nas condições da venda do banco ao fundo Lone Star que “o comprador poderia recorrer até aos 3,9 mil milhões de euros” ao Fundo de Resolução, para compensar os créditos problemáticos. Créditos estes que são a “herança”, o “legado de Ricardo Salgado” que vinha dos tempos do BES e que ainda pesam bastante no balanço do Novo Banco”.

“É um buracão monumental. Mas o problema foi criado há dois anos quando foi feito o contrato de compra e venda, que o Banco de Portugal negociou e Mário Centeno aprovou”, afirmou, referindo-se à almofada de 3,9 mil milhões à disposição do banco.

O conselheiro de Estado aponta ainda o dedo ao Ministro das Finanças, acusando-se de não ter falado a verdade, quando “criou a expectativa de que aquela almofada [financeira] provavelmente não seria utilizada”. Para o comentador político, Mário Centeno cometeu um “erro monumental” e “enganou os portugueses”, frisou. “Mário Centeno não falou a verdade às pessoas há dois anos. Não falou a verdade”, salientou.

“Evidentemente que se há uma almofada o que o comprador vai fazer – se há dinheiro à mão de semear, se há dinheiro fácil – é ir buscar ao mealheiro em vez de tentar cobrar aqueles créditos complicados”, disse. É por isso que “os portugueses têm todas as razões para se indignar”. “E aqui é que está a enorme imoralidade”, considerou.

Para Marques Mendes, esta almofada estava prevista como uma solução de último recurso e, por isso, é uma atitude legal “mas é profundamente imoral”, considerou. Marques Mendes admite que não sabe se haveria outra solução, mas considera desde logo que a nacionalização do banco “poderia ser igual, ou pior”.

Na passada sexta-feira, Centeno ordenou uma auditoria para escrutinar o processo de capitalização do Novo Banco. Marques Mendes considera que é uma “manobra política”, apenas para “desviar as atenções” da calamidade do banco.

“Não é genuíno. Porque Mário Centeno já sabia, porque já tinha inscrito uma verba no Orçamento de Estado para este efeito”. E para analisar a mesma questão já tinha sido criada  “uma Comissão de Acompanhamento, composta por três pessoas”, recordou Marques Mendes. Se Centeno tinha dúvidas quanto aos créditos, deveria ter ordenado a auditoria no início, antes da venda, disse o comentador.

Neste domingo, o Presidente da República disse estar de acordo com o pedido de auditoria anunciado pelo Governo às contas do Novo Banco, considerando que “os portugueses têm o direito de saber o que se passou” desde a resolução desta instituição.

“Eu penso que aquilo que foi pedido pelo senhor ministro das Finanças foi bem pedido, uma auditoria. Os portugueses têm o direito de saber o que se passou desde que foi determinada a resolução, já lá vão muitos anos, com sucessivas gestões e saber concretamente qual o destino do dinheiro dos contribuintes. Esse esclarecimento é importante”, afirmou Marcelo Rebelo de Sousa.

ZAP //

PARTILHAR

6 COMENTÁRIOS

  1. Este minorca mafioso “encendeia” tudo e depois sai-se com esta pérola:
    “Marques Mendes admite que não sabe se haveria outra solução”
    Ele percebe muito de bancos e agora até é presidente da CGD Angola – tudo devido à sua alta competência… ou não!…

  2. Tudo o que está aqui descrito faz parte de um plano para lavar a corrupção banditismo e bandalheira do Partido Socialista nos mandatos António Guterres e José Socrates. Só falta mesmo começar a discutir a burla com os dinheiros da Segurança Social.

RESPONDER

"Satisfaz o ego, mas vai ter custos". Teodora Cardoso acha que Centeno não devia ter ido logo para o BdP

A ex-presidente do Conselho de Finanças Públicas (CFP) deu uma entrevista na qual abordou vários temas, desde a crise económica desencadeada pela pandemia à saída do ex-ministro das Finanças para o Banco de Portugal.  Em entrevista …

TAP quer limitar direito à greve e menos férias. Sindicatos indignados

Vários sindicatos que receberam a proposta da TAP para um acordo de emergência a vigorar até ao final de 2024 estão indignados com várias das medidas previstas no documento. Segundo a rádio TSF, que teve acesso …

Ministro do Ambiente ouvido no parlamento sobre venda de seis barragens da EDP

O ministro do Ambiente é esta terça-feira ouvido no parlamento, a propósito da venda de seis barragens da EDP, situadas na bacia hidrográfica do Douro, a um consórcio liderado pela Engie, por 2,2 mil milhões …

Boris Johnson diz que "não existem respostas fáceis" para elevada mortalidade no país

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, disse esta quarta-feira que "não existem respostas fáceis" para o facto de o Reino Unido ser o país na Europa com mais mortes atribuídas a covid-19, ao ultrapassar a barreira …

Biden põe termo a contratos com as prisões privadas

A conselheira em política interna do Presidente dos Estados Unidos (EUA), Susan Rice, informou que Joe Biden iria assinar na terça-feira um decreto para pôr termo à utilização das prisões privadas do país no sistema carcerário …

Rodrigues dos Santos quer dar a mão ao PSD para derrotar Medina em Lisboa

Francisco Rodrigues dos Santos considera que uma coligação PSD/CDS-PP nas eleições autárquicas é a “única hipótese” para derrotar o atual presidente da Câmara de Lisboa, o socialista Fernando Medina, mas recusa adiantar quem poderá ser …

Patrões não podem recusar apoio nem faltas justificadas aos pais

Especialistas destacam que as entidades empregadoras não podem opor-se às faltas justificadas de pais que fiquem em casa para tomar conta dos filhos, nem recusar-se a prestar o apoio excecional à família. Com o encerramento das …

Voos e 2 mil libras. Reino Unido oferece incentivos a cidadãos da UE que queiram abandonar o país

O Governo britânico está a oferecer incentivos financeiros para os cidadãos da União Europeia (UE) deixarem o Reino Unido, meses antes do prazo para solicitar o estatuto de residente permanente De acordo com o jornal britânico …

Novo máximo diário de mortes por covid-19. Há mais 15.073 novos casos e 293 óbitos

Portugal registou esta quarta-feira 15.073 novos casos de infeção por covid-19 e mais 293 mortes, o maior número de óbitos em 24 horas desde o início da pandemia, segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde …

Três sismos abalaram a cidade de Granada na passada noite. Pedro Sánchez pede "calma"

Mais de meio milhão de pessoas que vivem em Granada, sul de Espanha, despertaram hoje inquietas depois do sobressalto causado durante a noite por três sismos de magnitude superior a quatro graus seguidos de 30 …