Centeno aprovou nova injecção no Novo Banco em Abril. Costa insiste que não sabia

O pedido para transferir mais 850 milhões de euros dos cofres do Estado para o Fundo de Resolução, para financiar o Novo Banco, chegou ao Ministério das Finanças no início de Abril. Mário Centeno não pôs entraves à transferência que António Costa insiste que desconhecia.

A transferência de 850 milhões de euros para o Fundo de Resolução, a título de empréstimo do Estado para serem injectados no Novo Banco, criou mal-estar no Parlamento, com o Bloco de Esquerda a pedir explicações. Isto porque António Costa tinha garantido que não haveria mais ajudas ao Banco até que os resultados da auditoria que está em curso fossem conhecidos.

Confrontado com a transferência, Costa realçou que não tinha conhecimento dela e chegou a pedir desculpa a Catarina Martins pela informação errada que tinha dado.

Ora, o Público apurou que o “Governo sabia oficialmente desde o início de Abril” que o Novo Banco precisava de mais 850 milhões de euros do Fundo de Resolução. O pedido para a transferência terá chegado ao Ministério das Finanças nessa altura, recebendo o aval do gabinete de Mário Centeno.

O jornal sublinha que o “Governo teve um mês para travar a injecção no Novo Banco”. Mas “em nenhum momento desta fase final do processo foi colocado qualquer entrave à injecção do dinheiro, nem condicionada a decisão à auditoria que está em curso”, destaca o jornal.

Esta auditoria pretende, designadamente, avaliar decisões tomadas no âmbito dos créditos problemáticos que ajudam a explicar a necessidade das injecções de capital.

O Público repara que quer Centeno, quer Costa, poderiam ter travado a transferência do dinheiro, mas isso “forçaria uma negociação com o Banco Central Europeu“, o que seria complicado a meio de uma crise gravíssima por causa da pandemia de covid-19. Isto porque a venda do Banco ao Fundo Lone Star prevê injecções de até 3,9 mil milhões de euros.

Mas no meio das contas, ressalta à vista a aparente “divergência” entre o primeiro-ministro e o ministro das Finanças, como repara o Expresso, notando que “ou Centeno ignorou as palavras de Costa na Assembleia da República ou não teve conhecimento dessa promessa do chefe do Governo”.

“Até ver, a descoordenação entre os dois não terá consequências políticas além do desconforto público”, analisa ainda o semanário.

Costa insiste que “não tinha sido informado de que na véspera o Ministério das Finanças já tinha procedido a esse pagamento”, conforme declarações divulgadas pelo Expresso.

Esta alegada “divergência” é importante tanto mais quando se admite a possibilidade de Centeno vir a assumir o cargo de Governador do Banco de Portugal, órgão que supervisiona o Novo Banco. Isto numa altura em que recebe críticas pela sua liderança no Eurogrupo, com um jornal alemão a antecipar que está de saída do organismo. Centeno mantém o tabu sobre a sua intenção de continuar ou não.

Governo diz que só está a cumprir “o contrato” de venda

O Governo alega que a nova injecção feita no Novo Banco segue o que “está predefinido no contrato” de venda da instituição bancária, em 2017, garantindo tratar-se de um empréstimo ao Fundo de Resolução.

“O Novo Banco foi vendido em 2017 e existe um contrato que determina que, mediante a apresentação das contas do Novo Banco e depois de serem auditadas pelos auditores do Novo Banco, verificadas pela agência de verificação, validadas pela comissão de acompanhamento e aprovadas pelo Fundo de Resolução, exista lugar a injecções de capital”, declara o secretário de Estado Adjunto e das Finanças, Ricardo Mourinho Félix.

“Não tendo o Fundo de Resolução meios suficientes por si para fazer essas injecções de capital, pode – e é o caso – financiar-se junto do Tesouro e pedir um empréstimo“, acrescenta.

“As contas do Novo Banco foram apresentadas e o momento em que são feitas as injecções não varia muito de ano para ano”, refere ainda Ricardo Mourinho Félix, garantindo que a nova injecção agora conhecida vem no seguimento do que “está predefinido no contrato”.

Mourinho Félix esclarece também, em declarações ao Público, que “a auditoria não pode ser condição para a injecção porque o que diz a lei 15/2019 é que a auditoria é depois da injecção de fundos”.

O Secretário de Estado aponta ainda que “o empréstimo foi feito na véspera do debate” no Parlamento e que, por isso, “a informação ainda não tinha sido dada” ao primeiro-ministro. “O esclarecimento foi feito de seguida”, garante.

O dinheiro recebido pelo Novo Banco totaliza 2.978 milhões de euros desde 2017, dos quais 2.130 milhões de euros foram de empréstimos do Tesouro.

Desta vez, dos 1.037 milhões de euros que o Fundo de Resolução pôs no Novo Banco, 850 milhões de euros vieram directamente do Estado.

Também em 2018, dos 1.149 milhões de euros postos no Novo Banco, 850 milhões de euros vieram de um empréstimo do Tesouro.

Já referente a 2017, dos 792 milhões de euros injectados, 430 milhões de euros vieram de um empréstimo público.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

9 COMENTÁRIOS

  1. Um PM afirmar que desconhecia a decisão de um ministro, putativamente seu subalterno, ainda o deixa ficar pior na fotografia, do que se fosse o próprio a decidir.
    – É mesmo a república das bananas!

  2. VERGONHOSO, Não há dinheiro para a Saúde, Segurança, educação etc… e há para transferir mais 850 milhões de euros dos cofres do Estado para o Fundo de Resolução, para financiar o Novo Banco!!!!!!
    É UM ROUBO E IGNORAM O POVO…
    Estes são criadores de uma nova ditadura, VOTEM OUTRA VEZ EM ANTÓNIO GOSTA E EM PS E VERÃO O CAIR NO ABISMO!
    ESSA GENTE SE JULGA DONOS DE ISTO TUDO.
    DEUS NÃO DORME….

  3. Não sei como é que ainda não foi apresentada a demissão desse senhor Ministro. Será necessário um abaixo-assinado?

  4. O Banco parece ter sido praticamente oferecido a um grupo americano e andamos a esta distância ainda a alimentá-lo, por má gestão ou por falta de clientela, se não dá, há que fechar portas e não nos sugarem a massa que o senhor ministro cativa e que deveria ir para a saúde, educação e segurança.

  5. Este foi considerado o Banco Bom mas só é bom como poço sem fundo.
    Mais valia oferecerem o banco, tinha menos custos.

  6. Pois claro, não sabia! Aginal o que está a fazer na ‘governança’ se não ”sabe” de coisas importantíssimas? Pelos vistos qualquer um, pode sacar e movimentar milhões das contas do Estado (do erário público) e até podem roubá-los porque um homem que se diz 1ºministro , ‘não sabia’! Enquanto entregam 800 milhões de mão-beijada ao Novo Banco não há dinheiro para nos devolverem o que descontamos a mais no IRS!

Mais oito mortos e 328 infetados. Câmara de Lisboa tem 33 casos "ativos"

Há mais oito mortos e 328 casos positivos em Portugal nas últimas 24 horas. A Câmara de Lisboa regista atualmente 33 casos de infeção por covid-19 “ativos”. Portugal regista, esta quinta-feira, mais oito mortos e 328 …

Limitação dos apoios a sócios-gerentes não é "justa", diz Confederação das empresas

A Confederação das Micro, Pequenas e Médias Empresas não entende a razão para limitar a ajuda a sócios-gerentes ao valor de 1.905 euros, proposta que não consideram justa. Em entrevista à Rádio Observador na quinta-feira, o …

Devolução de manuais. Diretores acusam políticos de "brincar às escolinhas"

Os diretores escolares criticaram hoje o 'timing' da proposta de suspensão de devolução de manuais escolares, acusando os políticos de andar a “brincar às escolinhas” sem perceberem o trabalho que implica reutilizar milhões de livros. O …

Passageiros dos EUA e PALOP têm de apresentar teste negativo de covid-19

O Governo prorrogou várias medidas restritivas do tráfego aéreo com destino e a partir de Portugal, com novas orientações e exceções, num despacho publicado terça-feira em Diário da República. Segundo noticiou o Expresso, um comunicado do …

PGR angolana diz que Isabel dos Santos pode ser ouvida em Portugal

Isabel dos Santos pode ser ouvida em Portugal ou noutro país com acordos judiciários com Angola, no âmbito do processo-crime por alegada má gestão e desvio de fundos da Sonangol, disse à Lusa fonte da …

Autoridades descartam participação da milícia "Escritório do Crime" no caso Marielle Franco

O envolvimento da milícia conhecida como "Escritório do Crime" no homicídio da vereadora e ativista Marielle Franco chegou a ser investigado, mas foi descartado pela polícia brasileira. O delegado brasileiro Daniel Rosa, da cidade do Rio …

Desconfinamento não foi suficiente. Desemprego volta a subir em Espanha para valores de 2016

O número de desempregados inscritos nos serviços públicos de emprego em Espanha voltou a aumentar em 5.107 pessoas em junho, uma desaceleração em relação a maio, atingindo um total de 3.862.883 espanhóis. De acordo com os …

Governo vai monitorizar discurso de ódio na Internet

O Governo vai monitorizar o discurso de ódio nas plataformas online, estando "em vias" de dar início à contratação pública de um projeto que deverá traduzir-se num barómetro mensal de acompanhamento e identificação de sites. Segundo …

Tribunal britânico decide que é Guaidó (e não Maduro) quem manda nas reservas de ouro da Venezuela

A justiça britânica decidiu esta quinta-feira que é o líder da oposição venezuelana Juan Guaidó e não o Presidente Nicolás Maduro quem tem autoridade sobre as reservas de ouro da Venezuela depositadas no Banco de …

Mistério resolvido. Cientistas descobriram como é que as cobras "voam"

Nem todas as cobras se movem arrastando-se discretamente pelo chão. Há uma cobra do género Chrysopelea que parece voar de árvore em árvore. Agora, os cientistas descobriram como é que estes animais se movem pelo …