Centeno aprovou nova injecção no Novo Banco em Abril. Costa insiste que não sabia

O pedido para transferir mais 850 milhões de euros dos cofres do Estado para o Fundo de Resolução, para financiar o Novo Banco, chegou ao Ministério das Finanças no início de Abril. Mário Centeno não pôs entraves à transferência que António Costa insiste que desconhecia.

A transferência de 850 milhões de euros para o Fundo de Resolução, a título de empréstimo do Estado para serem injectados no Novo Banco, criou mal-estar no Parlamento, com o Bloco de Esquerda a pedir explicações. Isto porque António Costa tinha garantido que não haveria mais ajudas ao Banco até que os resultados da auditoria que está em curso fossem conhecidos.

Confrontado com a transferência, Costa realçou que não tinha conhecimento dela e chegou a pedir desculpa a Catarina Martins pela informação errada que tinha dado.

Ora, o Público apurou que o “Governo sabia oficialmente desde o início de Abril” que o Novo Banco precisava de mais 850 milhões de euros do Fundo de Resolução. O pedido para a transferência terá chegado ao Ministério das Finanças nessa altura, recebendo o aval do gabinete de Mário Centeno.

O jornal sublinha que o “Governo teve um mês para travar a injecção no Novo Banco”. Mas “em nenhum momento desta fase final do processo foi colocado qualquer entrave à injecção do dinheiro, nem condicionada a decisão à auditoria que está em curso”, destaca o jornal.

Esta auditoria pretende, designadamente, avaliar decisões tomadas no âmbito dos créditos problemáticos que ajudam a explicar a necessidade das injecções de capital.

O Público repara que quer Centeno, quer Costa, poderiam ter travado a transferência do dinheiro, mas isso “forçaria uma negociação com o Banco Central Europeu“, o que seria complicado a meio de uma crise gravíssima por causa da pandemia de covid-19. Isto porque a venda do Banco ao Fundo Lone Star prevê injecções de até 3,9 mil milhões de euros.

Mas no meio das contas, ressalta à vista a aparente “divergência” entre o primeiro-ministro e o ministro das Finanças, como repara o Expresso, notando que “ou Centeno ignorou as palavras de Costa na Assembleia da República ou não teve conhecimento dessa promessa do chefe do Governo”.

“Até ver, a descoordenação entre os dois não terá consequências políticas além do desconforto público”, analisa ainda o semanário.

Costa insiste que “não tinha sido informado de que na véspera o Ministério das Finanças já tinha procedido a esse pagamento”, conforme declarações divulgadas pelo Expresso.

Esta alegada “divergência” é importante tanto mais quando se admite a possibilidade de Centeno vir a assumir o cargo de Governador do Banco de Portugal, órgão que supervisiona o Novo Banco. Isto numa altura em que recebe críticas pela sua liderança no Eurogrupo, com um jornal alemão a antecipar que está de saída do organismo. Centeno mantém o tabu sobre a sua intenção de continuar ou não.

Governo diz que só está a cumprir “o contrato” de venda

O Governo alega que a nova injecção feita no Novo Banco segue o que “está predefinido no contrato” de venda da instituição bancária, em 2017, garantindo tratar-se de um empréstimo ao Fundo de Resolução.

“O Novo Banco foi vendido em 2017 e existe um contrato que determina que, mediante a apresentação das contas do Novo Banco e depois de serem auditadas pelos auditores do Novo Banco, verificadas pela agência de verificação, validadas pela comissão de acompanhamento e aprovadas pelo Fundo de Resolução, exista lugar a injecções de capital”, declara o secretário de Estado Adjunto e das Finanças, Ricardo Mourinho Félix.

“Não tendo o Fundo de Resolução meios suficientes por si para fazer essas injecções de capital, pode – e é o caso – financiar-se junto do Tesouro e pedir um empréstimo“, acrescenta.

“As contas do Novo Banco foram apresentadas e o momento em que são feitas as injecções não varia muito de ano para ano”, refere ainda Ricardo Mourinho Félix, garantindo que a nova injecção agora conhecida vem no seguimento do que “está predefinido no contrato”.

Mourinho Félix esclarece também, em declarações ao Público, que “a auditoria não pode ser condição para a injecção porque o que diz a lei 15/2019 é que a auditoria é depois da injecção de fundos”.

O Secretário de Estado aponta ainda que “o empréstimo foi feito na véspera do debate” no Parlamento e que, por isso, “a informação ainda não tinha sido dada” ao primeiro-ministro. “O esclarecimento foi feito de seguida”, garante.

O dinheiro recebido pelo Novo Banco totaliza 2.978 milhões de euros desde 2017, dos quais 2.130 milhões de euros foram de empréstimos do Tesouro.

Desta vez, dos 1.037 milhões de euros que o Fundo de Resolução pôs no Novo Banco, 850 milhões de euros vieram directamente do Estado.

Também em 2018, dos 1.149 milhões de euros postos no Novo Banco, 850 milhões de euros vieram de um empréstimo do Tesouro.

Já referente a 2017, dos 792 milhões de euros injectados, 430 milhões de euros vieram de um empréstimo público.

ZAP ZAP // Lusa

PARTILHAR

8 COMENTÁRIOS

  1. Um PM afirmar que desconhecia a decisão de um ministro, putativamente seu subalterno, ainda o deixa ficar pior na fotografia, do que se fosse o próprio a decidir.
    – É mesmo a república das bananas!

  2. Não sei como é que ainda não foi apresentada a demissão desse senhor Ministro. Será necessário um abaixo-assinado?

  3. O Banco parece ter sido praticamente oferecido a um grupo americano e andamos a esta distância ainda a alimentá-lo, por má gestão ou por falta de clientela, se não dá, há que fechar portas e não nos sugarem a massa que o senhor ministro cativa e que deveria ir para a saúde, educação e segurança.

  4. Este foi considerado o Banco Bom mas só é bom como poço sem fundo.
    Mais valia oferecerem o banco, tinha menos custos.

  5. Pois claro, não sabia! Aginal o que está a fazer na ‘governança’ se não ”sabe” de coisas importantíssimas? Pelos vistos qualquer um, pode sacar e movimentar milhões das contas do Estado (do erário público) e até podem roubá-los porque um homem que se diz 1ºministro , ‘não sabia’! Enquanto entregam 800 milhões de mão-beijada ao Novo Banco não há dinheiro para nos devolverem o que descontamos a mais no IRS!

RESPONDER

Cavaco acusa Governo de Costa de continuar a alimentar "monstro" da despesa pública

Cavaco Silva volta a criticar o Governo de Costa, desta vez por criar “impostos adicionais” sobre “tudo o que mexe” para alimentar “o monstro” da despesa pública. O ex-primeiro-ministro e antigo Presidente da República Aníbal Cavaco …

Dívidas de Vieira investigadas. Com falência à vista, grupo do líder do Benfica pagou viagens de luxo

Afinal, o Fundo de Resolução nunca aceitou a reestruturação das dívidas do grupo empresarial de Luís Filipe Vieira, ao contrário do que foi dito aos deputados na Comissão Parlamentar de Inquérito aos grandes devedores do …

João Rendeiro condenado a 10 anos de prisão

João Rendeiro, antigo presidente do Banco Privado Português (BPP), foi condenado a 10 anos de prisão efetiva esta sexta-feira. O tribunal condenou o ex-presidente do Banco Privado Português (BPP), João Rendeiro, a 10 anos de prisão …

Bloqueio de migrantes. Salvini não vai a julgamento

Matteo Salvini, líder do Liga, não vai a julgamento na sequência do bloqueio do desembarque de migrantes a bordo do navio da Guarda Costeira italiana "Gregoretti", em julho de 2019. Esta sexta-feira, um tribunal italiano decidiu …

Promulgado diploma sobre acesso às praias (com alerta para novo regime de multas)

O "regime contraordenacional, que está previsto para o não cumprimento de um conjunto de regras que temos na área covid, também é aplicado" às regras relativas às praias. O Presidente da República promulgou, esta sexta-feira, o …

PCP vai votar contra reforma das Forças Armadas

Os comunistas consideram tratar-se de uma "alteração significativa" da estrutura de comando, sem dar resposta "a problemas que persistem há largos anos" na instituição militar". O PCP vai votar contra as propostas do Governo para a …

Biden diz que ataque a oleoduto veio da Rússia. Mas exclui envolvimento do Kremlin

O Presidente dos Estados Unidos (EUA), Joe Biden, afirmou na quinta-feira que o ciberataque que paralisou durante vários dias a maior rede de oleodutos do país foi proveniente da Rússia, mas exclui envolvimento do Governo …

Máscaras vieram para ficar. Mas pode haver exceções

A máscara de proteção individual vai continuar a fazer parte do nosso dia-a-dia. No entanto, pode haver exceções para os já vacinados contra a covid-19. O Governo convidou os especialistas a criarem um novo plano e …

Chega quer que agentes da PSP e GNR usem câmaras de vídeo nas lapelas e nas viaturas

O deputado único do Chega entregou esta quinta-feira um projeto de resolução no Parlamento que recomenda a colocação de câmaras de vídeo nas lapelas das fardas e nas viaturas das forças de segurança, a fim …

Em dia sem registo de mortes, Portugal contabiliza 450 novos casos

Esta sexta-feira, Portugal não regista qualquer óbito. Nas últimas 24 horas, houve 450 novos casos positivos de infeção, de acordo com o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). Não morreu ninguém infetado com o novo …