OE2020. Catarina Martins critica chantagem da Comissão Europeia a cada ano

Bloco de Esquerda / Flickr

A coordenadora do Bloco de Esquerda, Catarina Martins

A coordenadora do Bloco de Esquerda criticou esta terça-feira a chantagem da Comissão Europeia em relação a Portugal repetida a cada legislatura e a cada ano, reiterando a disponibilidade “para negociar um Orçamento do Estado que recupere salários, pensões, investimento público”.

A Comissão Europeia solicitou ao Governo português que apresente uma versão atualizada do projeto orçamental para 2020 “tão cedo quanto possível”, observando que o esboço recebido na semana passada aponta para o risco de um desvio das metas fixadas.

“A Comissão Europeia faz sempre este seu pequeno número. Começa uma legislatura ou vai-se debater um Orçamento do Estado e a Comissão Europeia diz que Portugal não pode investir ou que Portugal não pode recuperar salários e pensões porque será desastroso para a economia”, condenou a líder do BE, Catarina Martins, à saída de uma reunião com o Livre, no parlamento, em Lisboa.

A chantagem da União Europeia “é conhecida” e “é repetida a cada legislatura, é repetida a cada ano”, apontou Catarina Martins. “E o que é que nós aprendemos ao longo dos últimos quatro anos? É que a Comissão Europeia não tem razão e que a única forma de recuperar a economia do país é, em vez de acatar as instruções da Comissão Europeia que vê Portugal como um país de depósito de mão de obra barata para a Europa, fazer o contrário”.

O Bloco de Esquerda, segundo a sua líder, “aqui estará com toda a disposição para negociar um Orçamento do Estado que recupere salários, pensões, investimento público”, deixando claro que não tem “nenhuma disponibilidade para aceitar a chantagem da Comissão Europeia”, tal como não teve no passado.

“O que define o que vai acontecer é a capacidade do nosso país e deste parlamento aprovar um Orçamento do Estado que fragiliza a economia como quer a Comissão Europeia ou se, pelo contrário, há a capacidade de não aceitar que Portugal seja sempre o país da mão de obra barata e sem investimento e, pelo contrário, termos um caminho que recupere salários, que recupere pensões, que tenha o investimento necessário”, antecipou.

Para a coordenadora bloquista, a legislatura que agora termina provou que “quando se recupera salário e pensão a economia fica mais forte, a economia fica melhor”.

Ainda não há data para reunião com o PS

Sobre uma nova reunião com o PS, Catarina Martins disse que “ainda não” há uma nova data e questionada sobre o novo executivo, reiterou o que já tinha dito na reunião da Mesa Nacional de sábado, defendendo que “o que vai definir o Governo são as políticas”.

“Há uma continuidade. Resta saber é para fazer o quê. Nós aqui estaremos para um trabalho que possa ser feito de convergência à esquerda”, sublinhou.

Em relação ao novo Ministério da Modernização do Estado e da Administração Pública, liderado por Alexandra Leitão, Catarina Martins, tal como já tinha avançado em entrevista ao Expresso neste fim-de-semana, registou a escolha de alguém que “quando estava na educação não foi capaz de negociar com os professores as suas carreiras”.

“Espero que essa incapacidade não se venha a traduzir numa incapacidade de diálogo com as várias áreas de administração e, pelo contrário, se queira agora dialogar com as várias profissões”, afirmou Catarina Martins.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

"Evento raro". Nasceu uma baleia-branca no maior aquário do mundo (e o momento foi gravado)

Whisper, uma baleia-branca de 20 anos, deu à luz uma cria saudável em 17 de maio após uma gravidez de 15 meses, marcando a chegada do mais novo cetáceo do Georgia Aquarium, numa altura em …

Telemóveis são uma ferramenta poderosa contra a desigualdade de género em África

Ao dar às mulheres acesso a informação que, de outra forma, era quase impossível de obter, os telemóveis estão a salvar e a transformar vidas. De acordo com o site IFLScience, o estudo responsável por esta …

Desde março, morreram mais de 100 elefantes no Botsuana. Ninguém sabe porquê

As autoridades do Botsuana estão a investigar a morte de 110 elefantes na região do Delta do Okavango desde março, anunciou esta semana o Ministério do Meio Ambiente, Conservação de Recursos Naturais e Turismo daquele …

Um robô aprendeu a fazer uma omelete. E ficou melhor do que o esperado

Uma equipa de engenheiros da Universidade de Cambridge, no Reino Unido, treinou um robô a preparar uma omelete. Para os investigadores, avaliar se um robô cozinhou uma refeição com sucesso é uma fonte interessante de …

Covid-19 já matou mais no Reino Unido do que os bombardeamentos alemães da II Guerra

A pandemia de covid-19 já matou mais pessoas no Reino Unido do que os bombardeamentos alemães durante a II Guerra Mundial. O novo coronavírus oriundo da China já matou cerca de 50.000 pessoas em território …

Estudo mostra que os cães querem mesmo resgatar os seus donos do perigo

Um novo estudo mostra que os nossos amigos de quatro patas querem realmente salvar-nos em momentos de aflição, mas desde que saibam como o fazer. De acordo com o site Science Alert, os investigadores reuniram 60 cães …

Derek Chauvin foi detido, mas os precedentes mostram que o polícia pode sair impune

Derek Chauvin, o polícia responsável pela morte de George Floyd, foi detido e aguarda a sua primeira audiência. No entanto, há precedentes que sugerem que o agente pode sair impune. Derek Chauvin tem a sua primeira …

Cientistas encontram dois fragmentos do meteorito de Barcelona

Cientistas espanhóis encontraram dois pequenos fragmentos do chamado meteorito de Barcelona, que caiu, há mais de 300 anos, no dia de Natal. No dia 25 de dezembro de 1704, um meteorito rasgou os céus e caiu …

"Pressionaram-me para o denunciar". Higuita recorda amizade com Escobar

A relação de amizade entre René Higuita e Pablo Escobar levou a que o ex-futebolista fosse seguido pelas autoridades. A polícia chegou a pressioná-lo para denunciar Escobar. O antigo internacional colombiano René Higuita é provavelmente uma …

George Floyd. Portugal junta-se às manifestações mundiais contra o racismo

Cinco cidades portuguesas juntam-se hoje à campanha de solidariedade mundial contra o racismo, associando-se à luta pela dignidade humana na sequência da morte, a 25 de maio, do afro-americano George Floyd, sob custódia da polícia …