Catalunha marca referendo independentista para 1 de outubro

Alejandro Garcia / EPA

Carles Puigdemont, presidente do governo regional catalão, pediu um referendo independentista para 1 de outubro. Rajoy considera inconstitucional

Por cá, haverá eleições autárquicas. No país de “nuestros hermanos” um referendo para decidir se a Catalunha é, ou não, independente. Rajoy, primeiro-ministro espanhol, reagiu de imediato à decisão do Executivo catalão e pediu parecer do Conselho de Estado para recorrer da lei do referendo na Catalunha.

O Governo da Catalunha (Generalitat) assinou, esta quarta-feira, um decreto que convoca para 1 de outubro a realização de um referendo independentista nesta comunidade autónoma espanhola, uma decisão que o executivo nacional de Mariano Rajoy considera inconstitucional.

O diploma, que abre uma grave crise com o poder central, foi assinado pelo conjunto do Governo da Catalunha (Generalitat de Catalunya), num gesto simbólico destinado a marcar a união do Executivo perante a ameaça de processos judiciais contra os seus membros.

A assinatura do documento pelo presidente do Executivo catalão, Carles Puigdemont, ocorreu duas horas depois da aprovação pelo Parlamento regional do projeto de lei para a realização de um referendo independentista na Catalunha, aprovado pelo voto a favor de 72 deputados.

O Governo de Madrid já anunciou que considera o referendo ilegal e que o irá combater no Tribunal Constitucional, referindo que está ferido de inconstitucionalidades graves ao colocar em causa a unidade do Estado espanhol.

Numa reação quase imediata à marcação da data da consulta popular, o primeiro-ministro espanhol, Mariano Rajoy, pediu um parecer urgente do Conselho de Estado sobre a lei do referendo, aprovada pelo Parlamento da Catalunha, para poder apresentar esta quinta-feira um recurso contra essa iniciativa no Tribunal Constitucional.

Rajoy pediu, de acordo com a agência EFE, que o parecer lhe fosse entregue o mais rapidamente possível, logo que o Parlamento catalão aprovasse a nova lei do referendo.

Assim que o Governo espanhol tiver em mãos o parecer do Conselho de Estado, Rajoy presidirá a uma reunião extraordinária do Conselho de Ministros para aprovar o recurso que será apresentado logo de seguida ao Tribunal Constitucional.

O parecer prévio do Conselho de Estado é obrigatório para que o Governo possa recorrer da lei do referendo. Os deputados independentistas, maioritários desde 2015, inscreveram no texto do projeto de lei a convicção de que “o povo da Catalunha é uma entidade política soberana”.

Para garantir que o referendo se realizará na data marcada, os deputados manifestaram até disponibilidade para aprovar um “regime jurídico excecional”, que prevalecerá sobre todas as normas que possam entrar em conflito com o projeto lei, o que na prática significa um aviso e um desafio sério às instituições espanholas.

Os independentistas reclamam há muito tempo um referendo sobre a independência da Catalunha, em moldes semelhantes aos que foram realizados no Quebec, no Canadá, e na Escócia, no Reino Unido.

Em 2014, os independentistas organizaram uma “consulta simbólica” sob a forma de referendo não vinculativo na Catalunha, em que participaram 2,3 milhões de pessoas, 80% das quais se pronunciaram pela independência.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Meteoritos desconhecidos podem estar a "bombardear" a atmosfera da Terra à velocidade da luz

Não é segredo que a Terra ocasionalmente recebe rochas do Espaço que explodem na atmosfera ou causam impacto na superfície. A Terra também vê chuvas de meteoros regularmente sempre que passa por nuvens de detritos …

Descoberto o ingrediente secreto para desenvolver um escudo contra radiação espacial mortal

Investigadores da Universidade Estadual da Carolina do Norte desenvolveram uma nova técnica para proteger eletrónicos da tecnologia de exploração militar e espacial da radiação ionizante. A nova abordagem é mais económica do que as técnicas …

Guardas e familiares das vítimas pediram clemência. Mas Nicholas Sutton foi executado

O norte-americano foi executado, esta quinta-feira, no Tennessee, devido ao assassinato de quatro pessoas, apesar de alguns pedidos de clemência por parte de guardas prisionais e familiares das vítimas. De acordo com a CNN, Nicholas Sutton, …

O primeiro drone acrobático tripulado de sempre é testado a fazer piruetas

Um novo vídeo mostra que o "Big Drone", da Drone Champions AG, é capaz de fazer acrobacias alucinantes com um passageiro dentro. A tecnologia dos drones melhora de vento em popa com o passar dos anos …

Fenómeno extremo ameaça corais na Grande Barreira na Austrália. E já matou quase metade

A Grande Barreira de Coral da Austrália pode estar a enfrentar a terceira "descoloração" no espaço de cinco anos, fenómeno provocado por um aumento da temperatura das águas do mar. Como avançou o Expresso, este fenómeno …

Trump critica cerimónia dos Óscares, "Parasitas" e Brad Pitt

O Presidente norte-americano criticou a cerimónia dos Óscares, esta quinta-feira, nomeadamente a atribuição do prémio de Melhor Filme para o sul-coreano "Parasitas" e ainda o ator Brad Pitt. Na noite desta quinta-feira, num comício em Colorado …

Paris lança número de emergência para fazer frente à crise de percevejos

O Governo francês lançou uma campanha, esta quinta-feira, para fazer frente à crise de percevejos que se instalou em Paris. Segundo a agência France-Press, citada pelo The Guardian, casas e hotéis da capital francesa estão a …

"Radical chique" e "ressentido". Filho de Paulo Branco pode ter sido o pivot do escândalo sexual em França

Juan Branco, o filho do produtor de cinema Paulo Branco, é o homem do momento em França. O advogado de 30 anos saltou para as luzes dos média no âmbito da divulgação do vídeo sexual …

Alcochete. "Se Mustafá estivesse lá aquilo não tinha acontecido"

O arguido Emanuel Calças disse, esta sexta-feira, em tribunal que, se Mustafá estivesse com o grupo que invadiu a academia do Sporting, "aquilo não tinha acontecido". "Tenho a certeza de que se o Mustafá estivesse presente …

Coronavírus ameaça o têxtil português (mas também é uma "oportunidade")

O sector têxtil nacional está ameaçado e pode parar a produção já em Março. Tudo devido à falta de matéria-prima que vem da China e que se deve à epidemia do novo coronavírus. A "situação …