//

Casal McCann recorre ao Supremo contra Gonçalo Amaral

2

Mario Cruz / Lusa

Kate e Gerry McCann, os pais de Maddie

Os pais de Maddie recorreram ao Supremo Tribunal de Justiça, numa última tentativa para contrariar a decisão que, em abril passado, absolveu o ex-inspetor de indemnizar o casal.

Segundo o Diário de Notícias, que cita a imprensa britânica, o recurso para o Supremo Tribunal de Justiça foi apresentado esta segunda-feira.

No entanto, a intenção de avançar contra Gonçalo Amaral foi conhecida exatamente no mesmo dia em que o ex-inspetor da PJ foi absolvido de pagar uma indemnização ao casal.

Em causa estava o pagamento de 500 mil euros aos pais de Maddie, por causa da publicação do livro “A Verdade da Mentira”, que levantou suspeitas em como estes seriam responsáveis pelo desaparecimento da menina.

Na altura, o Tribunal da Relação considerou que a ação movida pelo casal era “totalmente improcedente” porque o ex-inspetor tinha o “direito constitucional a exprimir a sua opinião”.

Além disso, o livro em questão voltou a ser colocado à venda, uma decisão que não agradou ao casal McCann.

Maddie foi dada como desaparecida, no dia 3 de maio de 2007, depois de ter sido deixada sozinha, juntamente com os dois irmãos, no apartamento algarvio onde a família passava férias.

Quase dez anos depois, ainda não é conhecido o paradeiro da criança que, na altura do desaparecimento, tinha apenas três anos.

ZAP

2 Comments

  1. Em Portugal, abandonar crianças sozinhas em casa é (segundo a Lei), passível de pena de prisão. Torna-se escandaloso e imoral que um casal abandone três filhos de tenra idade num quarto de hotel, para ir a um convívio entornar garrafas e despejar copos.

    Portanto, torna-se ainda mais vergonhoso que dois adultos de uma suposta classe média alta, venham pedinchar uma qualquer indemnização, pelo facto de o principal investigador, depois de ter abandonado ou ter sido afastado do inquérito, ter dado a sua opinião sobre este caso num livro que escreveu.

    Eles, segundo a Lei portuguesa, são culpados de crime por negligência e deveriam estar enclausurados numa célula especialmente construída para pais desnaturados.

    O autor do livro, não é o criminoso!

    Os criminosos são esses pais, que demonstraram não preencherem o mínimo de requisitos para terem o direito à guarda dos dois filhos que ainda lhes restam.

    Gente da classe média alta inglesa, mas com atitudes de muito-baixo-nível!

  2. Estes “artistas” não tem mesmo vergonha!…
    Perdem mais tempo em tribunais do que a procurar a própria filha (e isso já diz muito sobre eles)!..

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE