Casa Branca tenta impedir publicação do livro do ex-conselheiro John Bolton

Gage Skidmore / Flickr

Gage Skidmore

John Bolton, ex-conselheiro nacional de segurança de Donald Trump

Em causa está um livro de memórias do ex-conselheiro de segurança nacional John Bolton, que contém informações confidenciais, como o pedido de Trump a Zelensky em relação ao filho de Joe Biden.

A Casa Branca proibiu esta quarta-feira o ex-conselheiro de segurança nacional John Bolton de publicar partes de um livro de memórias, considerando que contém informações confidenciais, segundo um documento enviado a advogados.

John Bolton escreveu um livro de memórias em que relata, entre outros, um episódio em que o Presidente Donald Trump pede ao seu homólogo ucraniano, Volodymyr Zelensky, que investigue a atividade de um filho do ex-vice-Presidente Joe Biden junto de uma empresa da Ucrânia, como condição para ajuda militar.

O relato desse episódio confirma a versão que está na base dos dois artigos para destituição que estão em julgamento político no Senado, acusando o Presidente dos Estados Unidos de abuso de poder e de obstrução ao Congresso.

Este conteúdo do manuscrito serviu para a oposição democrata pedir a audição de John Bolton no Senado, no âmbito do julgamento político, contra a vontade da maioria republicana, que quer impedir novas testemunhas no processo de ‘impeachment’ e, na segunda-feira, considerou “inadmissível” a informação prestada por Bolton.

Esta quarta-feira, a Casa Branca enviou uma carta aos advogados do antigo conselheiro de segurança nacional, informando que o manuscrito analisado “parece conter informações confidenciais”, algumas das quais “estão classificadas como extremamente secretas (top secret)”.

A Casa Branca diz mesmo que essas informações podemcausar danos excecionalmente graves à segurança nacional”.

Assim, segundo a carta, o Conselho de Segurança Nacional (que foi liderado por Bolton), determina que “o manuscrito não pode ser publicado (…) sem a remoção dessas informações confidenciais”.

A carta não clarifica se o episódio relacionado com o caso ucraniano, que está a ser julgado no Senado, se inclui nas informações classificadas.

Os promotores democratas do julgamento político de Trump já disseram que querem ouvir John Bolton no Senado e esta quarta-feira a Imprensa norte-americana revela que o líder da bancada republicana, Mitch McConnell, pode não conseguir manter a maioria para rejeitar este pedido.

O senador republicano Mitt Romney disse terça-feira que gostaria de ouvir o depoimento de John Bolton, dando a entender que votará favoravelmente uma resolução que parta dos democratas nesse sentido, ficando apenas a faltar o voto de três outros republicanos para que tal aconteça.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

22 mil pessoas vão assistir (no estádio) ao Super Bowl

Um terço das pessoas presentes será composto por profissionais de saúde. Quatro equipas ainda na luta pelo título do campeonato principal de futebol americano. O dia 7 de fevereiro vai contar com uma "visão rara" nos …

Investigadores "voltam atrás no tempo" para calcular idade e local de explosão de supernova

Os astrónomos estão a "voltar atrás no tempo" num remanescente de supernova. Usando o Telescópio Espacial Hubble da NASA, refizeram o percurso dos estilhaços velozes da explosão a fim de calcular uma estimativa mais precisa …

Cientista dos EUA acredita que o monstro do Lago Ness pode ser uma antiga tartaruga marinha

Um importante cientista dos Estados Unidos acredita que desvendou o mistério do Monstro de Lago Ness e pensa que a criatura é uma espécie ancestral de tartaruga marinha. Henry Bauer, professor aposentado de Química e Estudos …

Biden quer banir uma palavra das leis de imigração dos Estados Unidos

Se o projeto de lei proposto por Joe Biden, recém-eleito Presidente dos Estados Unidos, for aprovado, a palavra alien ("estrangeiro") vai desaparecer das leis de imigração norte-americanas, sendo substituída pelo termo noncitizen ("não cidadão"). A …

“As pessoas são mortas na mesquita, na rua e no trabalho". Em Cabul, reina o medo

Os assassínios seletivos de jornalistas, políticos e defensores dos direitos humanos são cada vez mais frequentes no país, com Cabul e várias províncias a registarem um aumento da violência nos últimos meses. O medo está …

"Fiquem em casa". Enfermeiros deixam "grito de alerta desesperado" aos portugueses

A Ordem dos Enfermeiros lançou esta sexta-feira uma campanha de sensibilização a apelar aos portugueses para ficarem em casa, afirmando que é “um grito de alerta desesperado face à situação de catástrofe que se vive …

Senado francês aprovou lei que protege os sons e cheiros do campo

O Senado francês aprovou a lei, esta quinta-feira, que protege o "património sensorial" das áreas rurais do país, depois de várias queixas sobre os ruídos e cheiros típicos do campo. De acordo com o canal televisivo …

Identificado em Portugal o primeiro caso da variante da África do Sul

O primeiro caso de covid-19 associado à variante genética da África do Sul foi identificado esta sexta-feira em Portugal pelo Instituto Nacional de Saúde Ricardo Jorge (INSA), adiantou à agência Lusa a instituição. O caso identificado …

Está a nascer o primeiro comboio português a hidrogénio (e vai substituir o Vouguinha)

Já arrancou o projecto para o desenvolvimento do primeiro comboio português a hidrogénio. A iniciativa visa transformar as automotoras a gasóleo que circulam na Linha do Vouga - o comboio chamado Vouguinha - por células …

Guardiola diz que Bernardo Silva "sempre foi importante" para City

O treinador Pep Guardiola disse esta sexta-feira que o português Bernardo Silva “está de volta” ao melhor nível e que “sempre foi importante" para o Manchester City, depois de ter "sentido" dificuldades na temporada passada. “Ele …