Domingues sai (com mais 6 administradores) mas entrega a declaração

João Relvas / Lusa

António Domingues, o novo presidente da Caixa Geral de Depósitos

Depois da saída de António Domingues, anunciada este domingo à noite, segue-se a demissão de mais seis administradores. O primeiro-ministro já afirmou que um novo nome para a presidência da Caixa será anunciado ainda esta semana.

A Caixa Geral de Depósitos comunicou esta segunda-feira à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) a renúncia ao cargo do seu presidente, António Domingues, bem como de seis vogais do conselho de administração.

Do elenco que compõe o conselho de administração da CGD, além do presidente, saem três administradores executivos e outros três não executivos.

Segundo a nota enviada pela Caixa ao mercado, renunciaram aos cargos os administradores executivos Emídio da Costa Pinheiro, Henrique Noronha Menezes e Paulo Rodrigues da Silva. Saem também os administradores não executivos Pedro Norton de Matos, Angel Corcóstegui Guraya e Herbert Walter.

Desta forma, restam apenas quatro membros em funções: João Paulo Tudela Martins, Pedro Humberto Monteiro Durão Leitão, Tiago Ravara Belo de Oliveira Marques e Emílio Rui Vilar.

O primeiro-ministro já reagiu à demissão em massa da nova equipa da Caixa e garantiu que ainda esta semana será anunciado o sucessor de Domingues.

“Esta semana apresentaremos o nome”, afirmou António Costa esta manhã aos jornalistas, durante uma visita à fábrica da Peugeot, em Mangualde.

Esta manhã, a SIC Notícias avançou que o presidente demissionário ia entregar a sua declaração de rendimentos e património ao Tribunal Constitucional. Esta será uma forma de mostrar que a sua demissão nada tem que ver com a polémica das declarações.

Segundo o canal televisivo, Domingues terá pedido para abandonar o cargo porque considerou que a Caixa já era um assunto “demasiado politizado” e, por isso, “qualquer decisão que tomasse seria usada como arma entre os partidos”.

Entretanto, fonte do Palácio Ratton já confirmou à Lusa que vários elementos da administração da CGD entregaram hoje as suas declarações de rendimentos e património.

A demissão do ex-Presidente foi anunciada ontem à noite através de um comunicado do Ministério das Finanças, que acrescentou ainda que “a renúncia só produzirá efeitos no final do mês de dezembro”.

Por seu lado, a Comissão Europeia aguarda que o Governo nomeie uma nova equipa de gestão, sem comentar o caso.

“A Comissão tomou conhecimento do anúncio. Aguardamos que as autoridades portuguesas apresentem uma nova equipa de gestão”, disse um porta-voz do executivo comunitário à Lusa, sem fazer qualquer comentário ao processo que resultou na demissão de António Domingues.

Demissão “já só peca por tardia”

As primeiras reações partidárias ao anúncio da demissão surgiram por parte do Bloco de Esquerda e do PCP.

A bloquista Mariana Mortágua considerou que a demissão “já só peca por tardia” porque “quem não reconhece a lei não serve” para o banco público.

“A demissão de António Domingues da presidência da administração da CGD já só peca por tardia. O inexplicável arrastamento deste processo ao longo de três meses foi prova de uma irresponsabilidade que agora se encerra”, afirmou.

“Quem se demite por não estar disposto às regras de transparência a que o cargo obriga, nunca esteve à altura de assumir esse cargo”, disse ainda.

Já o dirigente comunista Jorge Pires disse desejar que a CGD ajude a economia portuguesa, sem atender aos “falsos argumentos” de CDS-PP e, sobretudo, PSD que “escondem o objetivo da privatização” do banco público.

Do lado da oposição, o porta-voz do CDS-PP, João Almeida, acusou hoje o Governo socialista, nomeadamente o primeiro-ministro, de “incompetência e irresponsabilidade”.

“O CDS assinala aquele que é mais um momento grave”, afirmou o democrata-cristão, em conferência de imprensa no Parlamento, sublinhando que há “um ano de incompetência e irresponsabilidade do Governo do PS apoiado pelas esquerdas”.

Para o dirigente centrista, “este Governo teaim de ser responsável na gestão da CGD e até ao momento não o tem sido” e houve uma “tentativa do Governo, especificamente do primeiro-ministro, de gerir com a ligeireza que normalmente gere”.

ZAP / Lusa

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. Olha meu caro, a declaração agora entregue nada justifica, é somente uma forma e desculpa mal arranjada que pretende mostrar aquilo que o cavalheiro não é. Agradecido dos seus favores,… nunca cá deveria ter entrado,.. é um mau funcionário, de fraco carácter! Ja agora, que entrega a declaração e procura mostrar que esta tão bem da vida, com honestidade e sentimentos em completo,…. olhe, entregue então os seus ordenados, como homem de principios que pretende demonstrar ser,… ficava-lhe melhor.
    O que fez nestes pouquissimos meses não vale mais do que o que teria feito qualquer marçano,.. bem pior ainda,….! Com a sua atitude, vaidade e procedimento só prejudicou e empatou seriamente um processo bem necessario e da ambição de todo o País. O cavalheiro afinal, além de pobre vaidoso, é um homem fraco de sentimentos, e sobretudo pretensioso.

  2. A direita obteve o que queria , mas tanto lutou que o queria fez ricochete, se eram as declarações ontem, amanhã seriam as cartas da namorada …. não se estranha … já se serviram de almofadas para deitar bancos para o lixo haja paciência!!

  3. Entregou a declaração porque assim a lei obriga, mesmo quando se demitem, porque se não o fizer pode ficar impedidos de trabalho no sector (bancário) por vários anos. PORTANTO SÓ SE ESTÁ A DEFENDER, não existe aqui nenhuma boa vontade ou querer mostra-se sério.

  4. Todo este imbróglio foi montado pelo senhor Costa ao passar por cima da lei e ao aceitar a estes senhores a não declaração de rendimentos e penso que nova novela deve já estar na forja, por exemplo pôr alguém bem próximo do seu partido a gerir a CGD politizando ainda mais a instituição já de si abalada com tantas incompetências e incertezas e transformando-a em mais uma peça do regime.

Responder a Vasco Cancelar resposta

Este pôr-do-sol arroxeado foi causado por uma erupção do outro lado do mundo

A erupção do vulcão Raikoke, em junho, fez com que o nascer e o pôr-do-sol no outro lado do mundo, mais concretamente nos Estados Unidos, ficassem anormalmente roxos. Quando o outrora adormecido vulcão Raikoke, nas Ilhas …

Catarina Martins pede "voto útil" dos socialistas que não querem maioria absoluta

Catarina Martins defende que nas eleições legislativas o voto útil dos socialistas que não querem maioria absoluta é no Bloco de Esquerda, considerando que o crescimento do partido que lidera "pode ser o fator decisivo" …

Mudança do Infarmed para o Porto. Costa prometeu, mas não cumpriu

O primeiro-ministro prometeu, mas a Comissão Independente para a Descentralização não recebeu nenhum pedido do Governo para estudar deslocalização do Infarmed para o Porto. A decisão polémica de mudar a localização da Autoridade do Medicamento para …

Podem chover pedras no "lado noturno" dos exoplanetas de Júpiter

De acordo com um "relatório meteorológico astronómico", os lados escuros dos exoplanetas de Júpiter podem ter um clima bastante rochoso. As nuvens espessas de minerais vaporizados podem estar a chover pedras. Uma equipa de astrónomos da …

Boris compara Reino Unido a super-herói. "Quanto mais enfurecem o Hulk, mais forte ele fica"

O primeiro-ministro britânico comparou o Reino Unido ao super-herói da Marvel, que nunca se deixa prender, deixando subentendido o aviso de que pode ignorar a decisão do Parlamento que quer impedir uma saída sem …

Dente de rinoceronte deu aos cientistas a mais antiga informação genética já registada

Cientistas conseguiram extrair de um dente com 1,7 milhões de anos (de um rinoceronte já extinto) aquela que é a informação genética mais antiga alguma vez registada. Entre o período de há 2,5 milhões e 700 mil …

SNS "é âncora para os portugueses e sabe resistir às pressões"

A ministra da Saúde elogiou o Sistema Nacional de Saúde no dia em este cumpre 40 anos. A data só não está a ser assinalada com mais vigor devido à proximidade das eleições, explicou …

Um terço dos diplomados no curso de Aeroespacial vai trabalhar para o estrangeiro

A nota mínima de entrada no curso de Engenharia Aeroespacial do Técnico bateu um novo recorde. As oportunidades e os salários levam os diplomados para o estrangeiro. O único curso de Engenharia Aeroespacial no ensino superior …

Morreu o cantor Roberto Leal

Morreu o cantor Roberto Leal, confirmou o antigo secretário de Estado das Comunidades e da Administração Local. Tinha 67 anos e lutava contra um cancro. A notícia foi avançada pelo antigo secretário de Estado das Comunidades …

Estudo mostra que o canguru gigante tinha uma parecença com os pandas

O já extinto canguru gigante tinha uma característica muito semelhante com o panda-gigante dos dias modernos: grandes mandíbulas que lhe permitiam comer alimentos que outros animais não conseguiam. Há mais de 40 mil anos, o sudoeste …