Boris esteve “desaparecido em combate” e Reino Unido teme segunda vaga de covid-19

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, foi acusado de estar “desaparecido em combate” nos primeiros dias da pandemia. O Governo teme uma segunda vaga de covid-19, mas pondera aligeirar as medidas de contenção.

Boris Johnson tem muito a provar nos próximos dias no que toca à gestão da pandemia de covid-19. O seu plano para controlar o surto do novo coronavírus foi muito criticado e chegou a altura do primeiro-ministro britânico provar que consegue manter a situação sob controlo.

O Governo está dividido entre os que defendem alívio das restrições e os que privilegiam supressão do vírus, mas está já a preparar a discussão sobre o calendário para o alívio das medidas de contenção. O medo é que uma segunda vaga da doença volte a colocar o país de joelhos, escreve o jornal Público.

Johnson tem estado no centro das críticas após a imprensa britânica ter revelado que falhou cinco reuniões ministeriais de emergência no início da pandemia, numa altura em que foram tomadas decisões importantes sobre como gerir a crise. De acordo com o The Times, o primeiro-ministro do Reino Unido entendeu não ser prioritário marcar presença nestas reuniões.

Jonathan Ashworth, “ministro-sombra” da Saúde, acusa o chefe do Governo britânico de ter estado “desaparecido em combate” numa altura em “o mundo inteiro já tinha percebido a gravidade do que estava para vir”.

A primeira abordagem do Reino Unido à pandemia foi relaxada, procurando criar imunidade de grupo. No entanto, apenas dez dias depois, esta estratégia foi abandonada.

“Todos os governos cometem erros, incluindo o nosso. Procuramos aprender e melhorar todos os dias. No futuro teremos a oportunidade de olhar para trás, de refletir e de retirar algumas lições importantes”, justificou o líder do Conselho de Ministros, Michael Gove.

Entretanto, acabou por ser imposto o confinamento obrigatório no Reino Unido, no dia 23 de março. Agora, o Governo discute o possível levantamento ou suavização de algumas das medidas de contenção impostas. O Executivo está dividido entre aliviar gradualmente as medidas ou prolongar a quarentena.

Atualmente, com a capacidade de realizar 38 mil testes por dia, o Reino Unido está longe da meta de 100 mil testes por dia que se propôs a atingir até ao final deste mês.

“A grande preocupação é um segundo pico”

O número de óbitos no Reino Unido durante a pandemia covid-19 subiu para 16.509 após ter sido registada a morte de mais 449 pessoas infetadas nas últimas 24 horas, informou esta segunda-feira o Ministério da Saúde britânico. O número total de casos de contágio é agora de 124.743, mais 4.676 do que no dia anterior, referiu.

Na conferência de imprensa diária do Governo sobre a crise, no domingo, a sub-Diretora Geral da Saúde, Jenny Harries, recusou dizer se o Reino Unido já tinha ultrapassado o pico da curva epidemiológica, mas admitiu que “as coisas estão a ir na direção certa”.

A responsável acrescentou que se as medidas de distanciamento social forem relaxadas, existe o risco de uma segunda vaga de infeções, opinião que hoje o porta-voz do primeiro-ministro, Boris Johnson, também reiterou, a propósito do fim do regime de confinamento.

A grande preocupação é um segundo pico. É isso que, em última análise, vai causar mais danos à saúde e mais danos à economia. Se avançarmos depressa demais, o vírus pode começar a espalhar-se exponencialmente novamente”, referiu, citado pelo The Guardian.

O porta-voz disse hoje que Boris Johnson continua a recuperar da infeção do novo coronavírus e não está a trabalhar, mas que tem recebido atualizações sobre o combate à pandemia.

Johnson está em convalescença na sua residência de campo em Chequers Court, nos arredores de Londres, desde que recebeu alta a 12 de abril do hospital de St. Thomas, em Londres, onde passou uma semana internado devido ao agravamento dos sintomas do novo coronavírus, incluindo três noites nos cuidados intensivos.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Eu penso que os britânicos no geral levaram a situação de início para a brincadeira, mas agora estão a sofrer as consequências e até talvez tenha sido bom o senhor Boris Johnson ter sido vítima do vírus para se convencer de que ele não é apenas amigo dos pobres e não poderosos, talvez assim saiba tomar medidas mais adequadas à situação.

Misteriosa cruz de mármore com 1.200 anos encontrada no Paquistão

Uma cruz de mármore foi recentemente descoberta no cimo das montanhas do Baltistão, no Paquistão. Os investigadores acreditam que tem cerca de 1.200 anos e que pode ser um sinal da presença de uma antiga …

Nona Sinfonia de Beethoven revela novos detalhes sobre o cérebro humano

A Nona Sinfonia de Ludwig van Beethoven, 250 anos após a sua criação, ajudou a demonstrar a existência de células conceituais no cérebro. Quase 200 anos depois da morte de Beethoven, a maior obra do músico …

Governo vai suspender devolução dos manuais escolares

O ministro da Educação informou hoje que o Governo vai suspender a devolução de manuais escolares, em curso desde 26 de junho, cumprindo a decisão do parlamento, que aprovou uma proposta nesse sentido. O plenário da …

Cuba prestes a abrir portas ao turismo (exceto aos cubano-americanos)

Depois de fechar as suas fronteiras para os turistas no final de março por causa da pandemia da covid-19, Cuba prepara-se agora para reabrir várias das suas baías ao turismo - mas há algumas exceções. …

Cidade do México enterrou os rios para prevenir doenças, mas a covid-19 resiste e prospera

Na tentativa de evitar a disseminação de doenças como a malária e a cólera, a Cidade do México enterrou os seus rios. Agora, como consequência, criou inadvertidamente as condições necessárias para a covid-19 prosperar. A Cidade …

Descoberto sistema de túneis da I Guerra onde estarão enterrados dezenas de soldados

A Agência do Património da Bélgica anunciou esta semana a descoberta de um sistema de túneis alemão da I Guerra Mundial, onde estarão, muito provavelmente, dezenas de soldados enterrados. Em comunicado, citado pela Russia Today, …

Cinco funcionários da Tesla dizem ter sido despedidos por terem ficado em casa durante a pandemia

Cinco funcionários da produtora automóvel Tesla dizem ter sido despedidos por terem ficado em casa durante a pandemia, avança o The Washington Post. De acordo com o jornal norte-americano, foram cinco os colaboradores dispensados da …

"Qual o lugar mais seguro?". Costa compara infetados no Reino Unido e Algarve

O primeiro-ministro apresentou hoje uma tabela que mostra o Reino Unido muito acima do Algarve em número de infetados com covid-19 por cem mil habitantes e pergunta qual o lugar mais seguro para umas férias …

Azul anuncia venda de 6% da TAP ao Estado por 10 milhões de euros

A companhia aérea brasileira Azul, de David Neeleman, anunciou hoje a venda de 6% da TAP, no âmbito do acordo anunciado esta quinta-feira entre o Estado e os acionistas privados, que “garante a continuação” da …

NASA cria dispositivo que o avisa para não tocar no rosto (e pode ser reproduzido em casa)

A pensar na pandemia, a NASA desenvolveu o PULSE, um colar vibratório que nos alerta se formos tocar no rosto com as nossas mãos. A pandemia de covid-19 alastrou pelo mundo e, enquanto não chega um …