Bloco revela os três pilares da negociação do OE2021

Mário Cruz / Lusa

A coordenadora do Bloco de Esquerda (BE), Catarina Martins

O Bloco de Esquerda revelou os seus três pilares fundamentais da negociação para o Orçamento do Estado para 2021. O PCP e o PAN não abriram jogo, enquanto o PEV garante que ainda não foi contactado pelo Governo.

Por esta altura começa já a discutir-se o Orçamento do Estado para 2021 (OE2021). Do lado da “geringonça”, o Bloco de Esquerda assume que já se reuniu com o Governo, enquanto o PCP e o PAN não revelam grandes detalhes. O PEV, por sua vez, diz que ainda não recebeu um convite para discutir o orçamento com o Governo socialista.

O primeiro-ministro António Costa sabe da importância de um entendimento com os partidos de esquerda e com o PAN, pedindo mesmo que estes se voltem a relacionar de maneira mais formal. Contudo, nem tudo está a correr como planeado para o chefe do Executivo.

O jornal Público ouviu o deputado bloquista Jorge Costa, que nomeou os três pilares para a continuidade das negociações e viabilização do OE2021: o reforço dos serviços públicos na saúde e na educação, a garantia de que ninguém tem rendimentos inferiores ao limiar de risco de pobreza e as alterações à legislação laboral.

Embora tenha sido feito um reforço dos profissionais do SNS, as contratações foram feitas com contratos a prazo. “Este reforço tem de ser consolidado no serviço público de forma permanente”, salientou Jorge Costa.

“Compreendemos que na circunstância da pandemia e da necessidade de dar uma resposta imediata se tivesse optado por uma contratação ad hoc, mas agora deve existir uma tradução em contratos permanentes”, explicou o deputado do Bloco.

Da mesma maneira, o Bloco pede um reforço na Educação, cujas lacunas se acentuam face ao cenário de pandemia.

O segundo pilar está intrinsecamente relacionado com os apoios sociais. O Bloco de Esquerda entende que “as prestações criadas são insuficientes para responder de maneira permanente a quem está em risco de não ter acesso a um posto de trabalho nos próximos tempos devido à redução de atividade dos seus setores”.

Jorge Costa explica que as pessoas com rendimentos inferiores ao limiar de risco de pobreza devem ter direito a “um complemento que lhes permita atingir esse valor”.

Por fim, o partido de Catarina Martins pede alterações à legislação laboral. Jorge Costa disse que a resposta do Governo tem sido “muito equívoca” e limitada à regulamentação do teletrabalho e das plataformas digitais.

Os bloquistas querem medidas que evitem o abuso de recurso a contratos a termo, a empresas de contrato temporário e falsos outsourcings e subcontratações.

Contactado pelo Público, o Partido Comunista Português não quis fazer qualquer comentário. O PEV garante que ainda não foi contactado para negociar o OE2021. E por fim, o PAN terá o seu debate interno ao longo deste mês e chegará a conclusões em setembro.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Áustria corrige Trump. Os seus cidadãos não vivem em florestas

O Governo austríaco decidiu corrigir a afirmação do Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que afirmou que as pessoas naquele país europeu vivem em "cidades da floresta". Trump referiu recentemente a Áustria e outros países europeu …

UE em rota de colisão com a Polónia. Em causa estão os crimes de ódio

A relação entre a União Europeia e a Polónia está cada vez mais comprometida. As duas partes têm chocado no que toca à discussão dos crimes de ódio. No seu primeiro discurso sobre o estado de …

Leixões nega ter colocado adeptos na bancada a ver um jogo

Episódio aconteceu numa partida de voleibol em Gondomar. Presidente garante que jovens pertencem aos órgãos sociais do clube, Federação não confirma a identidade à entrada. A Supertaça de voleibol começou, no Grupo B, com o duelo …

Ventura quer ser Sá Carneiro do século XXI e ter juventude partidária

O presidente do Chega vai apresentar-se este fim de semana em Évora para a II Convenção Nacional do partido populista de direita como “o principal continuador em Portugal” de Sá Carneiro, o falecido líder fundador …

Alemanha tem provas materiais de que Maddie está morta

As autoridades alemãs têm provas materiais de que Madeleine McCann está morta, garante o porta-voz da Procuradoria de Braunschweig, Hans Christian Wolters, à RTP. Apenas está por provar o envolvimento de Christian Brueckner no homicídio …

BE quer que direito das grávidas a acompanhante seja respeitado

O Bloco de Esquerda (BE) quer que as normas da Direção-Geral da Saúde (DGS) sobre gravidez e parto no âmbito da covid-19 sejam revistas para que o direito das mulheres grávidas a estarem acompanhadas seja …

Proposta do PCP para passar Novo Banco para esfera pública foi chumbada

A recomendação ao Governo proposta pelo PCP para reverter da venda do Novo Banco, transferindo-o para a esfera pública, foi hoje chumbada no parlamento com os votos contra de PS, PSD, CDS-PP, PAN, Iniciativa Liberal …

Trump ataca voto por correspondência. Resultados podem não ser "determinados de forma precisa"

O Presidente dos EUA, Donald Trump, reforçou na quinta-feira no Twitter os ataques ao voto por correspondência nas eleições de novembro, ao que a rede social reagiu ligando duas das suas mensagens a informação verificada …

Quatro candidatos disputarão sucessão de Santana no Aliança

O novo líder do Aliança, que sucederá ao fundador do partido, Pedro Santana Lopes, vai ser escolhido entre quatro candidatos no próximo congresso nacional, agendado para 26 e 27 de setembro em Torres Vedras. Segundo noticiou esta …

Recomendação do PS para tarifa social de Internet sem oposição (mas partidos querem mais)

A recomendação do PS ao Governo para que crie uma tarifa social de acesso à Internet não mereceu esta quinta-feira oposição de nenhuma bancada, mas foram vários os partidos que defenderam a necessidade de “ir …