Medina leva nega. Bloco, PCP e PAN querem concorrer sozinhos em Lisboa

websummit / Flickr

O presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina.

O anúncio de que Carlos Moedas vai encabeçar a candidatura PSD/CDS à Câmara Municipal de Lisboa uniu a direita, mas não mudou a estratégia da esquerda. O Bloco, o PCP e o PAN querem concorrer sozinhos na capital. A incógnita é o Livre, que ainda não decidiu.

Questionada pelo Expresso, uma fonte do Bloco de Esquerda remeteu a resposta do partido para a moção que a direção vai apresentar na próxima convenção do partido. No texto lê-se que “o Bloco apresenta listas próprias, abertas à participação de candidatos independentes e não realizará coligações nem com a direita nem com o PS”.

O partido liderado por Catarina Martins não deverá casar com o socialista Fernando Medina, atual presidente da Câmara Municipal de Lisboa. Recorde-se que o BE governa a capital em conjunto com o PS, o que não deverá ser suficiente para uma coligação pré-eleitoral.

O PCP vai apresentar um candidato próprio, pelo que, do espectro da esquerda, só resta o PAN e o Livre a Medina. Mas o socialista já levou um não.

Para o Partido das Pessoas, dos Animais e da Natureza a estratégia já está definida e não passa por uma coligação pré-eleitoral com o PS. O PAN prefere apostar num candidato próprio. “Para a Assembleia Municipal e Câmara de Lisboa não faz qualquer sentido. Iremos sozinhos a votos. Vamos a jogo por conta e risco”, disse Inês Sousa Real ao semanário.

A incógnita chama-se Livre, o partido que está ainda a avaliar os prós e contras de se aventurar ao lado de Medina na capital. Segundo o Expresso, são vários os críticos que fazem uma avaliação negativa da política de habitação do autarca. O partido admite concorrer sozinho em Lisboa, mas a decisão ainda não está fechada.

O alinhamento à esquerda não pode ser equiparado à geringonça, já que as eleições autárquicas não são como as eleições legislativas: é o partido mais votado que ganha a presidência da Câmara Municipal.

No caso de Lisboa, Fernando Medina não conseguiu a maioria absoluta e precisou de assinar um acordo com o Bloco de Esquerda para garantir a aprovação dos documentos mais relevantes para a governação. O que poderia estar em cima da mesa, este ano, seria uma coligação pré-eleitoral ou um acordo pós-eleitoral.

Liliana Malainho, ZAP //

PARTILHAR

8 COMENTÁRIOS

  1. acho que fazem bem,,,especialmente o BE…quer repetir o feito de ter entregue a Camara ao Santana Lopes quando recusou acordo com João Soares…teve na altura uma pipa de votos…penso ter eleito zero deputados!
    Declaração de interesses…não voto em Lisboa e nem sequer simpatizo com o Medina

    • Pensava que o BE ía coligado comer o PSD o PAN e o Chega, Afinal não, talvez achassem que desta forma ajudavam melhor o Moedas, sem dar tanto nas vistas.

  2. Ui! Ui!
    Quando as comadres começam a zangar-se…
    Mas o mais divertido é a arrogância do PAN a querer concorrer sozinho. Haja diversão!

  3. Ele poderia era ir pedir apoio à malta da construção civil. Afinal, parece que fez um belo negócio na compra da casa dele e da venda da anterior. Pelo menos é o que se diz nas notícias.

  4. Pensava que o BE ía coligado com o PSD e o Chega, a não ser que tivessem concluído que esta era a melhor forma para ajudar o Moedas.

RESPONDER

Chuvas torrenciais fazem mais de uma centena de mortos na Índia

Pelo menos 136 pessoas morreram na Índia, em consequência de chuvas torrenciais que assolaram o país e causaram fortes enchentes e deslizamentos de terra, enterrando casas e submergindo ruas. Numa altura em que as alterações climáticas …

China inaugurou o comboio mais rápido do mundo

O comboio-bala maglev, que pode atingir uma velocidade de 600 quilómetros por hora, fez a sua estreia em Qingdao, na China, esta semana. Tal como conta a cadeia televisiva CNN, este comboio-bala maglev foi desenvolvido pela …

Quatro portugueses detidos em Espanha por alegada violação de duas mulheres

A polícia espanhola anunciou, este sábado, ter detido quatro cidadãos portugueses por suposta violação múltipla e abusos sexuais a duas mulheres de 22 e 23 anos, numa pensão em Gijón, no norte do país. Segundo a …

Stonehenge pode perder estatuto de património mundial da UNESCO

Depois de Liverpool, também Stonehenge pode perder o estatuto de património mundial da UNESCO. O aviso surge após o secretário dos transportes, Grant Shapps, ter dado luz verde aos planos de construção de um túnel …

Mais 20 mortes e 3396 casos de covid-19. Não havia tantos óbitos desde março

Portugal registou, este sábado, mais 20 mortes e 3396 casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo o último boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). De acordo com o último boletim da DGS, dos 3396 novos …

"Integral confiança". Chega segura militantes acusados de agredir homossexual

O Chega anunciou, esta sexta-feira, que mantém "integral confiança" nos candidatos e estruturas local e distrital de Viseu, referindo que só se pronunciará sobre alegadas agressões de motivação homofóbica naquela cidade depois de apurados os …

Há dezenas de autarcas envolvidos em processos sem fim à vista

Dezenas de autarcas foram neste mandato acusados por corrupção, negócios imobiliários duvidosos e abuso de poder, entre outros, em processos judiciais que se arrastam, na maioria, sem desfecho à vista a dois meses de novas …

Milhares de pessoas manifestam-se na Austrália contra o confinamento

Milhares de australianos manifestaram-se, este sábado, em várias cidades do país contra as restrições impostas pelo Governo para controlar o aumento de casos de covid-19. Em Sidney, cerca de mil manifestantes protestaram contra o confinamento decretado …

Há 406 farmácias com testes comparticipados pelo Estado

Há 406 farmácias de 104 laboratórios em Portugal continental com testes comparticipados pelo Estado. Saiba quais. O Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA) atualizou recentemente a lista das farmácias e laboratórios que disponibilizam testes …

Há 33 cursos com emprego garantido. Abandono no Ensino Superior aumentou

Este ano, há 30 licenciaturas e três mestrados integrados sem recém-diplomados inscritos no Instituto de Emprego e Formação Profissional. Segundo o Observador, o número total (33) é inferior ao de 2020 e de 2019, quando foram …