Bloco exige retirada de norma “insultuosa” no apoio a recibos verdes

António Pedro Santos / Lusa

O Bloco de Esquerda (BE) exigiu este domingo ao Governo que retire do formulário de apoio para os trabalhadores independentes uma norma “insultuosa” que lhes exige o compromisso de retomarem a atividade no prazo de oito dias após a reabertura de um setor encerrado.

O formulário para os trabalhadores independentes e sócios-gerentes pedirem o apoio criado no âmbito da pandemia covid-19, relativo a maio, ficou no sábado disponível na Segurança Social Direta, podendo ser entregue até 9 de junho.

Na pergunta já entregue no parlamento e este domingo divulgada, o Bloco de Esquerda critica, por um lado, “os dez dias de atraso” da disponibilização do formulário – “que tem o problema de protelar os pagamentos para depois, por exemplo, das datas em que se paga a renda” – e questiona o Ministério do Trabalho e da Segurança Social sobre uma “nova alínea” do documento, que considera “insólita”.

“Aos trabalhadores independentes é agora exigido que subscrevam uma nova alínea na declaração sob compromisso de honra: a de que retomarão ‘a atividade profissional no prazo de 8 dias, após a data de reabertura declarada pelo Governo, caso a mesma tenha estado suspensa ou encerrada devida ao surto de covid-19′”, refere o Bloco de Esquerda, na pergunta assinada pelos deputados José Soeiro e Isabel Pires.

Para o partido, “esta exigência é absurda”, salientando que o facto de “o Governo permitir a abertura de algumas atividades não significa que os trabalhadores passem a poder exercê-la, já que tal não depende apenas da sua vontade, mas da existência de atividades programadas, de serviços que lhes sejam contratados por entidades ou pessoas, ou até, no caso em que alguns estabelecimentos ou instituições estejam abertos, de haver clientes ou espetadores”.

“Trata-se, assim, apenas de uma espécie de intimidação moral, sem qualquer efeito prático, que além do mais é insultuosa, por partir de uma desconfiança sobre a real situação das pessoas e por esquecer que este apoio resulta das próprias contribuições das pessoas, e não é um gesto de caridade arbitrária do Governo”, criticam os deputados.

Para o BE, esta norma “insultuosa, confusa, inútil e ofensiva deve ser retirada, até porque gera as maiores incertezas e perplexidades”, defendendo que o apoio previsto para os trabalhadores independentes “é devido sempre que as pessoas tenham uma redução de atividade e de rendimentos, e é essa a condição que deve ser aferida pelos serviços”.

O BE questiona, em concreto, “qual a razão para se ter inventado esta nova alínea na declaração sob compromisso de honra, e qual o seu alcance” e “o que pretendem os serviços fazer com esta declaração”. “Está o Governo disponível para retirar de imediato esta alínea declarativa do formulário?”, perguntam ainda, desafiando o executivo a esclarecer “em que dia serão pagos os apoios devidos aos trabalhadores”.

Em causa está o apoio extraordinário à redução da atividade económica dos trabalhadores independentes criado em março e alterado várias vezes pelo Governo.

A partir de maio, o apoio previsto tem como limite mínimo 50% do valor do IAS (219,41 euros) e como máximo 635 euros.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 369 mil mortos e infetou mais de 6 milhões de pessoas em 196 países e territórios. Mais de 2,5 milhões de doentes foram considerados curados.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

"Contra tudo e contra todos". Moedas fez história em Lisboa

O cabeça de lista da coligação PSD/CDS-PP/MPT/PPM/Aliança à Câmara de Lisboa, Carlos Moedas, afirmou hoje ter vencido “contra tudo e contra todos”, porque “a democracia não tem dono”, agradeceu o “voto de confiança” e comprometeu-se …

Ventura admite que “vitória não foi total” ao falhar objetivo de ficar em terceiro

O líder do Chega admitiu hoje que a “vitória não foi total” nas autárquicas de domingo, ao falhar o objetivo de ser a terceira força política, mas defendeu que se “fez história” em Portugal, recusando …

Liveblog Autárquicas. Carlos Moedas ganha Lisboa

Realizam-se este domingo Eleições Autárquicas em Portugal, nas quais está em jogo a eleição de 308 presidentes de câmaras municipais, os seus vereadores e assembleias municipais, bem como 3091 assembleias de freguesia. Acompanhe tudo no …

Contra a "vigarice" das sondagens, "o PSD teve um excelente resultado"

O PSD conseguiu todos os objectivos a que se propôs nestas eleições autárquicas, segundo Rui Rio. O presidente do PSD considera que o partido teve "um excelente resultado" contra a "vigarice" das sondagens e "contra …

Medina assume derrota em Lisboa. "É uma indiscutível vitória de Carlos Moedas"

Fernando Medina acaba de assumir a derrota nas eleições autárquicas, felicitando Carlos Moedas pela vitória na Câmara de Lisboa. "É uma indiscutível vitória pessoal e política de Carlos Moedas", sublinha Medina. "Foi um privilégio servir esta …

Costa: "PS continua a ser o maior partido autárquico nacional"

António Costa canta vitória nas eleições autárquicas, apesar de ainda não se conhecerem os resultados finais de Lisboa, Sintra e Loures. Para o secretário-geral socialista, não há dúvida de que o "PS continua a ser …

O "primeiro amarelo" para Costa e o "CDS superou todos os objectivos"

"O CDS superou todos os objectivos a que se propôs nestas autárquicas". É assim que Francisco Rodrigues dos Santos, líder do CDS-PP, canta vitória, considerando que António Costa "viu o seu primeiro cartão amarelo". Na reacção …

Pegadas provam que as Américas foram povoadas milhares de anos antes do que pensávamos

Investigadores descobriram evidências da presença de humanos nas Américas: pegadas com, pelo menos, cerca de 23.000 anos. A nossa espécie começou a migrar para fora de África há cerca de 100.000 anos. Além da Antártida, as …

Jerónimo assume que CDU ficou "aquém", mas não é "determinante para a política nacional"

Jerónimo de Sousa reconhece que os resultados da CDU, nas eleições autárquicas, ficaram "aquém" dos objectivos, mas alerta que não são "determinantes para a política nacional" e rejeita a hipótese de deixar a liderança do …

Geringonça à direita... ou à esquerda? Com Moedas e Medina taco a taco, IL e Bloco entram em jogo

Freguesia a freguesia, eis como Fernando Medina e Carlos Moedas estão a disputar a eleição para a Câmara de Lisboa. As sondagens dão um empate técnico e a Iniciativa Liberal já manifestou que está disponível …