Explosão em Beirute. Interpol emite mandado de captura contra negociante português

Nabil Mounzer / EPA

Porto de Beirute, no Líbano, após explosões

A Interpol emitiu três mandados de captura a pedido do procurador que investiga a explosão do porto de Beirute. Um dos visados é Jorge Moreira, um comerciante português de nitrato.

A Interpol emitiu um mandado contra um comerciante português que, em 2014, examinou o armazém no porto de Beirute onde estava o carregamento de nitrato de amónio, que explodiu em agosto, avançou a agência EFE. Foram também alvo desta medida dois russos, o proprietário e o capitão do navio que carregava as 2750 toneladas de nitrato de amónio.

A EFE, que cita a agência libanesa ANN, adianta que Ghassan al Joury, procurador do Ministério Público que investiga a explosão na capital libanesa, recebeu uma cópia da notificação da Interpol contra o “negociante de nitrato” na passada terça-feira, sem adiantar mais detalhes sobre o assunto ou o paradeiro do cidadão português.

Ao Público, um responsável da Fábrica de Explosivos de Moçambique (FEM), empresa onde trabalha Jorge Moreira, disse que este não foi contactado pelas autoridades libanesas, mas que está totalmente disponível para prestar os esclarecimentos necessários.

“O senhor Moreira está a trabalhar tranquilamente, não está fugido. Não foi contactado nenhuma vez pelas autoridades libanesas, mas está completamente disponível [para prestar esclarecimentos]”, explicou.

Ghassan Al Joury, que há um mês assumiu a direção da investigação depois de o procurador-geral libanês, Ghassan Oueidat, ter abandonado o inquérito por alegadas ligações com um dos ministros acusados da tragédia, obteve a confirmação de outro alerta da Interpol contra o proprietário do navio “Rhosus”.

O cargueiro “Rhosus”, de bandeira moldava, chegou à costa libanesa, em 2013, com uma grande quantidade de nitrato de amónio a bordo, produzido na Geórgia, e descarregou a carga em Beirute, apesar de o seu destino final ser Moçambique.

O juiz libanês titular do processo já indiciou, no início de dezembro, o primeiro-ministro libanês em exercício, Hasan Diab, e três ex-ministros de suposta negligência no caso relacionado com a explosão ocorrida a 4 de agosto de 2020.

Pouco depois da tragédia, o Presidente do Líbano, Michel Aoun, reconheceu que sabia da existência de uma “grande quantidade” de nitrato de amónio que tinha sido armazenada no porto duas semanas antes da explosão, tendo a ocorrência sido aparentemente causada por um incêndio naquele espaço portuário.

A explosão de cerca de três mil toneladas desse fertilizante causou uma onda de choque que devastou vários bairros da capital libanesa, deixando cerca de 300 mil pessoas temporariamente desabrigadas, mais de 200 mortos e mais de 6.500 feridos.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Encontradas fibras de poliéster em todo o Oceano Ártico

Investigadores encontraram fibras de poliéster em todo o Oceano Ártico. As evidências sugerem que lavar as nossas roupas está a contribuir para esta contaminação. Há muito tempo que o Ártico provou ser um barómetro da saúde …

Campus universitários nos Estados Unidos podem tornar-se super-propagadores da covid-19

Os campus universitários podem tornar-se super-propagadores do novo coronavírus, que causa a covid-19, para toda a sua área de abrangência, concluiu uma nova investigação levada a cabo nos Estados Unidos. Analisando os 30 campus universitários …

A "máscara mais inteligente do mundo" é recarregável, tem microfone e dá luz

A Razer afirma ter criado a máscara mais inteligente do mundo. O Projeto Hazel é um design com um revestimento externo feito de plástico reciclado à prova de água e é transparente para permitir a …

Novo tratamento permite que pessoas com lesões na espinal medula voltem a mexer mãos e braços

Uma equipa de investigadores da Universidade de Washington conseguiu ajudar seis participantes com lesões traumáticas da espinal medual a recuperar alguma mobilidade de mãos e braços. Muitas das pessoas que sofrem lesões traumáticas da espinal medula …

Ventiladores comprados à China custaram 1,3 milhões. Autarquias algarvias vão pedir devolução do dinheiro

Os 30 ventiladores comprados à China seriam usados nos hospitais do Algarve, mas os equipamentos não funcionam. Os autarcas vão agora exigir devolução do dinheiro. De acordo com a edição do jornal Público deste domingo, o …

EUA um passo atrás da China. Pequim leva avanço na Guerra Comercial (e as suas exportações estão em alta)

No ano em que a pandemia se expandiu em todo o mundo, muitos países viram-se em mãos com graves problemas financeiros e económicos. No caso da China, a situação foi mais positiva e o país …

Alexei Navalny detido no regresso à Rússia

O líder da oposição russa, Alexei Navalny, foi detido este domingo no aeroporto em Moscovo quando regressava à Rússia. Os serviços prisionais russos (FSIN) detiveram o opositor russo Alexei Navalny, este domingo, à chegada a Moscovo, acusando-o …

Prazo para trocas ou devoluções suspenso durante confinamento

O prazo para efetuar trocas ou devoluções de bens ficará suspenso durante o atual confinamento e as garantias que terminem neste período ou nos 10 dias seguintes serão prorrogadas por 30 dias, segundo diploma publicado …

Desde 2001 que polícias negros alertam para racismo de agentes do Capitólio

Com a invasão do Capitólio, investiga-se o alegado racismo existente na Polícia do Capitólio. Desde 2001 que agentes negros denunciam casos de discriminação racial no departamento. Desde 2001, centenas de agentes policiais negros processaram o departamento …

Um megatsunami devastou uma vila na Gronelândia. Três anos depois, há quem não possa voltar a casa

Em junho de 2017, Nuugaatsiaq, na Gronelândia, foi devastada por um megatsunami, cujas ondas foram desencadeadas por um enorme deslizamento de quase 30 quilómetros através do fiorde. Embora as ondas se tivessem dissipado quando chegaram a …