Bancos europeus quebraram compromissos com Grécia

Eric Chan / Wikimedia

O Euro em frente ao edifício do BCE - Banco Central Europeu em Frankfurt

O Euro em frente ao edifício do BCE – Banco Central Europeu em Frankfurt

Os bancos alemães, franceses holandeses desfizeram-se de dívida grega em plena crise do euro, contrariando os compromissos assumidos pelos respetivos governos, noticia hoje o El Pais.

Citando “atas confidenciais do FMI [Fundo Monetário Internacional] de maio 2010” a que diz ter tido acesso, o jornal espanhol revela que a “Alemanha, França e Holanda, num dos piores momentos da crise do euro, assumiram o compromisso que os seus bancos apoiariam a Grécia e não venderiam dívida helénica”.

Contudo, refere, os bancos destes três países tinham, no primeiro trimestre de 2010 (antes do resgate à Grécia), mais de 122.000 milhões de dólares em dívida helénica, mas em finais do ano passado este valor havia caído 72%, para menos de 34.000 milhões de dólares.

Tendo por base as atas “estritamente confidenciais” do FMI, o El Pais avança que o apoio da respetiva banca foi um dos argumentos a que recorreram os governos alemão, francês e holandês “para vencer as fortes resistências do FMI na concessão [à Grécia] do maior pacote de ajuda financeira da sua história”.

“Os representantes holandês, francês e alemão transmitiram o compromisso de que os seus bancos comerciais continuaram a apoiar a Grécia, mantendo a sua exposição”, refere.

Contudo, continua, “os dados demonstram precisamente o contrário”, comprovando que os três sócios europeus não cumpriram a sua palavra e agravaram a crise”, com as respetivas “entidades financeiras a desfazerem-se dos títulos [de dívida pública grega], que ‘queimavam’ nas mãos”.

Segundo o El Pais, as mesmas atas revelam que as “divergências e dúvidas relativamente ao êxito do plano” de ajuda financeira surgiram desde o dia em que foi decidido o resgate à Grécia.

“O documento revela claramente as críticas que países como a China, Austrália, Argentina ou Brasil fizeram desde o início”, refere o jornal, notando que, entretanto, “muitas das reservas levantadas pelos membros do Fundo acabaram por confirmar-se”.

“Alguns representantes (China, Egito e Suíça) insistem no risco de que as análises conjuntas acabam por revelar diferenças de critério entre as três instituições representadas [na ‘troika’ – Comissão Europeia, FMI e Banco Central Europeu], lê-se na ata citada pelo El Pais e assinada pelo assessor do diretor executivo do FMI, Francesco Spadafora.

“Com o tempo, esses choques tornaram-se evidentes”, sustenta o jornal, recordando que, “quando o FMI admitiu que se equivocou ao menosprezar os efeitos dos cortes na economia grega, a Comissão Europeia mostrou-se indignada e negou qualquer erro”.

Entre as críticas vertidas nas atas do FMI constam ainda alertas da China e da Suíça para a “possibilidade de os prognósticos de crescimento para a Grécia serem demasiado otimistas”, o que poderia “por em risco a sustentabilidade da dívida grega”, assim como advertências da Argentina, Austrália, Canadá, Brasil e Rússia relativamente aos “imensos riscos” do programa de ajuda, não só para a Grécia, mas também para o prestígio do FMI.

Já outros países apontaram um risco que acabou por se confirmar: a necessidade de recorrer a um perdão parcial face à impossibilidade grega de pagar todas as suas dívidas.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Governo indiano ordena inspeção a todos os centros da congregação da Madre Teresa

O Governo da Índia ordenou uma inspeção a todos os centros para crianças geridos pela congregação católica da Madre Teresa no país, após a detenção de uma das suas freiras por alegadamente vender bebés. A ministra …

Peru decreta estado de emergência na fronteira com a Colômbia

O Peru decretou na segunda-feira o estado de emergência por 60 dias na fronteira com a Colômbia, devido à presença de narcotraficantes e de dissidentes da antiga guerrilha das Forças Armadas Revolucionários da Colômbia. O Presidente …

CP acaba com o primeiro Alfa Pendular do dia (e reforça receios de colapso)

A partir de 5 de Agosto, deixa de haver o primeiro comboio Alfa Pendular do dia a realizar o percurso de Lisboa ao Porto. A CP - Comboios de Portugal vai acabar com esta ligação …

São feitos por dia quase 600 créditos para comprar carro

Vendem-se cada vez mais carros em Portugal. Só no mês de maio foram concedidos quase 290 milhões de euros e feitos mais de 20 mil contratos, segundo dados do Banco de Portugal. Os empréstimos para compra …

Transferência do Infarmed "ameaça saúde pública” em Portugal e no mundo

A presidente do Infarmed, Maria do Céu Chamado, alertou esta terça-feira que uma deslocalização da instituição pode ser uma “ameaça à saúde pública” em Portugal e também no mundo. Ouvida na comissão parlamentar de Saúde, a …

Campanha oficial do Brexit multada por violar lei eleitoral

A campanha oficial para o voto a favor da saída do Reino Unido da União Europeia - Vote Leave - foi multada por violar a lei eleitoral, anunciou esta terça-feira a Comissão Eleitoral. Segundo revelou a …

Bitcoin ajudou a financiar ciberespionagem eleitoral da Rússia, acusam os EUA

A bitcoin terá ajudado a financiar o esquema de ciberespionagem nos Estados Unidos levado a cabo por 12 agentes russos durante as eleições presidenciais de 2016. Segundo um relatório, apresentado esta sexta-feira pelo vice-procurador-geral dos Estados …

Parlamento chumba fim do adicional ao imposto dos combustíveis

O Parlamento chumbou esta terça-feira, na especialidade, com os votos da esquerda, o projeto de lei do CDS que punha fim ao adicional ao Imposto sobre os Produtos Petrolíferos (ISP). PS, PCP e Bloco chumbaram o projeto …

UE e Japão assinam acordo de comércio livre contra protecionismo

A União Europeia e o Japão assinaram nesta terça-feira, em Tóquio, um acordo de comércio livre que o presidente do Conselho Europeu considerou ser uma "mensagem clara" contra o protecionismo. "Enviamos uma mensagem clara de que …

Alunos da secundária Pedro Nunes tiveram de pagar 10 euros para se matricularem

Os alunos da Escola Secundária Pedro Nunes tiveram de pagar 10 euros para se matricularem. A diretora do estabelecimento de ensino desconhecia a situação e já deu instruções para que o dinheiro seja devolvido. Os alunos …