Banco do Vaticano publica resultados e garante servir apenas a Igreja Católica

maximus shoots / Flickr

Basílica de São Pedro, no Vaticano

O Instituto para as Obras Religiosas (IOR), conhecido como banco do Vaticano, publicou esta terça-feira as contas de 2013, nas quais apresenta um lucro líquido de 2,9 milhões de euros, e garantiu só servir a Igreja católica.

Em maio do ano passado, o banco começou a analisar as contas dos clientes da entidade, o que levou ao cancelamento de alguns milhares. A 30 de junho de 2013, o IOR tinha 15.495 clientes com ativos totais de seis mil milhões de euros, informou o instituto.

Na apresentação das contas do banco, o responsável do IOR, Ernst von Freyberg, declarou que o conselho de vigilância da entidade dedicou-se, nos últimos meses, a tornar a instituição mais “segura e transparente”.

“Através deste trabalho, construimos as bases para que uma nova equipa faça do IOR um destacado prestador de serviços para as finanças católicas”, garantiu Freyberg, em comunicado emitido pelo banco.

Na quarta-feira, o Vaticano vai anunciar a composição da nova direção do IOR e alguns pormenores da segunda fase de reformas da instituição.

Alguns órgãos de comunicação indicaram que o substituto de Ernst von Freyberg poderá ser o empresário francês Jean-Baptise de Franssu.

Foco na Igreja

Em relação aos resultados financeiros do ano passado, o IOR indicou que, entre maio de 2013 e junho passado, a instituição realizou uma “análise sistemática de todos os registos de clientes para identificar a informação perdida ou insuficiente”.

Isso levou ao bloqueio de 1.329 contas individuais e 762 instituicionais, de acordo com a entidade do Vaticano.

O IOR adiantou que, a 30 de junho passado e na sequência do processo iniciado em 2013, terminou cerca de três mil relações com clientes, das quais 2.600 classificadas como “contas adormecidas”, com um saldo pequeno ou sem atividade há algum tempo.

“Graças a esta decisão, o IOR está agora concentrado apenas nas instituições católicas, clero, funcionários ou antigos trabalhadores do Vaticano, com contas em que recebem salários ou pensões, embaixadas e diplomatas acreditados junto da Santa Sé”, de acordo com o mesmo comunicado.

O encerramento destas contas implicou para a instituição uma perda de ativos no valor de 44 milhões de euros. Destes, 37,1 milhões foram transferidos para instituições italianas, 5,7 milhões foram transferidos internamente como doações e os restantes 1,2 milhões de euros foram pagos aos titulares.

O balanço do IOR regista que, a 31 de dezembro do ano passado, tinha 17.419 clientes, sendo 5.043 instituições católicas, representando mais de 80% dos ativos geridos, e 12.376 pessoas físicas, menos de 20% do total.

Transparência

Os resultados do IOR são divulgados desde que, em maio último, a Autoridade de Informação Financeira (AIF) do Vaticano comunicou que a instituição foi submetida a uma “primeira inspeção”, nos primeiros meses do corrente ano.

A AIF sublinhou que o objetivo desta inspeção era “verificar a aplicação das medidas tomadas para prevenir e combater o branqueamento de dinheiro e o financiamento do terrorismo“, de acordo com informação difundida na altura pelo Vaticano.

A inspeção decorreu após terem sido aprovados, pelo Vaticano em outubro passado, dispositivos legais para tornar transparente a atividade do IOR e impedir atividades financeiras ilegais.

Em agosto último, o papa Francisco deu início ao processo através de um “motu proprio” (lei papal), no qual criou uma comissão de supervisão financeira para a Santa Sé e Estado do Vaticano, no âmbito da reforma da economia e finanças vaticanas, muito questionadas, sobretudo devido ao papel do IOR.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Governo dá mais dias de férias a funcionários que se mudem para o interior

O Governo aprova esta quinta-feira em Conselho de Ministros um regime de incentivos para os funcionários da Administração Pública que decidam ir trabalhar para o interior, com ajudas de custo ou compensações financeiras e mais …

Autarquias têm mais um ano para preparar descentralização

O Governo decidiu dar mais tempo às autarquias para estas se prepararem para a descentralização. O prazo passa para o primeiro trimestre de 2022. Segundo avançou o Jornal de Notícias, citado pelo ECO, após críticas aos …

Sá Fernandes ponderou sair do Livre (e apoia eventual candidatura de Ana Gomes a Belém)

Na sua primeira grande entrevista após o caso Joacine, Ricardo Sá Fernandes, dirigente do Livre, revelou ao Observador que ponderou sair do partido e admitiu apoiar uma possível candidatura da ex-eurodeputada socialista Ana Gomes às …

Medina diz desconhecer caso do alegado falso engenheiro

O presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Medina, disse esta quarta-feira que não ter informação sobre o alegado falso engenheiro da empresa Tanagra, com quem a autarquia celebrou vários contratos para obras públicas. A TVI noticiou …

Parlamento debate fim das comissões bancárias no MB Way e nas prestações da casa

O Parlamento debate esta quinta-feira projetos do BE, do PCP, do PS, do PAN e do PSD sobre limitação e proibição de comissões bancárias, tendo os bloquistas, que agendaram esta discussão, expectativa de que os …

Castração química. Bloco de Esquerda é contra veto a projeto de lei do Chega (e explica porquê)

A Comissão Parlamentar de Assuntos Constitucionais, Direitos, Liberdades e Garantias considerou que o projeto de lei do Chega "não preenche os requisitos do ponto de vista constitucional". O Bloco de Esquerda votou contra e explicou …

Estado pode deixar de ganhar dinheiro com empréstimo ao Novo Banco

Atualmente, o Fundo de Resolução paga juros de 2% e 1,38% pelos empréstimos contraídos junto do Estado para financiar as medidas de resolução do BES e do Banif, respetivamente. Porém, esse valor pode descer para …

Equipa de campanha de Trump processa The New York Times por difamação

A equipa de campanha de Donald Trump processou o The New York Times. Em causa está um artigo publicado em março do ano passado. A equipa de campanha de Donald Trump alega que o jornal publicou, …

Enfermeiros que deixem de ser chefes regressam ao início da carreira

Há enfermeiros que regressaram ao início de carreira depois de terem abandonado as suas funções de chefia, revela o jornal Público. Tal como escreve o matutino, que avança a notícia esta quinta-feira, para que estes …

"Ronaldo foi abandonado pela equipa". Imprensa italiana arrasa Juve e elogia CR7

O Lyon tirou partido do fator casa e surpreendeu a octocampeã italiana, Juventus, em França, e ganhou esta quarta-feira uma vantagem importante - embora ténue - na eliminatória com os bianconeri para a Liga dos …