Avião da Chapecoense não tinha combustível. Tripulação sabia e ignorou

Cleberson Silva / Chapecoense

De acordo com o inquérito final ao acidente com o avião que transportava a equipa da Chapecoense e que matou 71 pessoas em novembro de 2016 a tripulação sabia que o avião tinha menos 2300 quilos de combustível e ignorou.

A 28 de novembro de 2016 o avião que transportava a equipa brasileira de futebol Chapecoense despenhou-se na Colômbia, provocando a morte de 71 pessoas.

A investigação ao acidente, que durou um ano e cinco meses, culminou esta sexta-feira com a apresentação pela Aeronáutica Civil da Colômbia das conclusões do relatório, que apontam que foi a falta de combustível que provocou o acidente.

De acordo com o Observador, o relatório avança que o combustível na aeronave não era suficiente para realizar o voo entre Santa Cruz e Medellín e a tripulação sabia disso. O avião descolou com 2302 quilos de combustível a menos do que o necessário.

O British Aerospace 146 que fazia a ligação entre Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia, e Rionegro, na Colômbia, não cumpriu as normas de segurança internacionais, que estipulam que um voo deve ter combustível suficiente não só para chegar ao aeroporto de destino, mas também para aterrar num aeroporto alternativo em caso de necessidade, e ainda mais 30 minutos de reserva.

40 minutos antes de o avião se despenhar, já tinha sido ativado o modo de emergência. A tripulação ignorou os avisos sonoros e a luz vermelha emitida na cabine. Além disso, o relatório revela também que os pilotos não avisaram o controlo de tráfego aéreo sobre o que se estava a passar. Os motores acabaram por parar e o avião planou até atingir o solo.

A investigação assegura também que toda a tripulação era experiente e apresentava toda a documentação necessária para o voo, embora a companhia aérea boliviana Lamia à qual pertencia o avião estivesse numa situação financeira precária com ordenados em atraso e má organização dos voos.

O relatório avança ainda que a empresa não cumpria os requisitos das autoridades da aviação civil em relação ao abastecimento de combustível.

ZAP //

PARTILHAR

5 COMENTÁRIOS

    • E se não fosses ignorante (e não seguisses a “lei do menor esforço”) saberias que o director dessa companhia aérea foi detido e acusado de homicídio!!
      Além disso, essa comparação é muito estúpida porque a morte de 71 pessoas num acidente aéreo não se pode comparar com o facto de alguém não ter carta de carro ou seguro (e que dificilmente dá cadeia!) – a não ser que já haja pena de prisão por palermice!…

      • “…não se pode comparar com o facto de alguém não ter carta de carro ou seguro (e que dificilmente dá cadeia!)…”

        Vem o palonso do Eu! elucidar-nos uma vez mais com os seus disparates jurídicos de casa-de-banho! Então e se o prezado condutor, não devidamente habilitado a fazê-lo, matar 5 ou 6 pessoas num acidente ou numa passadeira? A sua estreita cabeça ainda conflui na mesma conclusão?

  1. Se a tripulação sabia e ignorou é porque bem lá no fundo já tinham algo de loucos e irresponsáveis, a única coisa que tinham a fazer era recusarem voar enquanto não tivessem garantias de tudo estar devidamente conforme as exigências de voo.

RESPONDER

Meghan Markle vence primeira batalha judicial contra jornal britânico

A Duquesa de Sussex conseguiu que o Tribunal Superior de Londres optasse por manter anónima a identidade das suas cinco amigas, como parte da ação legal que está a ser levada a cabo. O 39º aniversário …

Cientistas obrigados rebatizar dezenas de genes humanos por causa do Excel

Só no ano passado, os cientistas viram-se obrigados a mudar os nomes de 27 genes humanos por causa de um erro de leitura do Microsoft Excel. Tal como explica o portal The Verge, que avança …

"Vai continuar a queimar". Covid-19 é parecida com fogo florestal, não com ondas e picos

Com o surgimento do novo coronavírus no mundo, vários especialistas previam que este iria surgir em ondas e picos. Agora a visão de futuro é outra e os especialistas dizem que a pandemia se compara …

Mudanças climáticas podem vir a causar mais mortes do que a covid-19, alerta Bill Gates

  As mudanças climáticas podem custar muito mais vidas nas próximas décadas do que a pandemia do novo coronavírus (covid-19). O alerta é do co-fundador da Microsoft, Bill Gates, que, através de uma reflexão no seu …

Descoberta a primeira disrupção gigante nas nuvens de Vénus

Uma equipa internacional de cientistas, que incluiu um investigador do Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço (IA), descobriu a "primeira disrupção gigante" nas nuvens de Vénus que tem fustigado as zonas profundas da atmosfera …

TVI aposta em estúdio a Norte. Nuno Santos quer Informação mais ao estilo da SIC Notícias do que da CMTV

O diretor-geral da TVI, Nuno Santos, afirmou, em entrevista ao jornal Público, que a estação de Queluz de Baixo vai apostar num estúdio no Norte, revelando ainda que pretende mudar a Informação do canal mais …

Fair-play financeiro. UEFA mantém restrições ao FC Porto

A UEFA informou, esta sexta-feira, que o FC Porto "cumpriu parcialmente as metas estabelecidas para a época 2019/20" a nível do fair-play financeiro e que vai manter as restrições impostas ao clube azul e branco. "O …

Procuradora-geral de Nova Iorque quer dissolver NRA após investigação de fraude

A procuradora-geral de Nova Iorque anunciou, esta quinta-feira, ter movido um processo judicial contra a National Rifle Association (NRA), depois de uma investigação que mostra que os seus dirigentes desviaram milhões de dólares para benefício …

MP abre inquérito sobre surto em lar de Reguengos de Monsaraz

O Ministério Público (MP) instaurou um inquérito sobre o surto de covid-19 num lar em Reguengos de Monsaraz, no distrito de Évora, que já provocou 18 mortos. Questionada pela agência Lusa, a Procuradoria-Geral da República (PGR) …

Ciclista Fabio Jakobsen já saiu do coma induzido

O ciclista holandês saiu do coma induzido, dois dias depois de uma violenta queda na primeira etapa do Tour da Polónia, que o deixou em estado grave e obrigou a uma cirurgia de cinco horas. "Temos …