Autoridades da Austrália querem proibir uso de roupas casuais (no escritório e em teletrabalho)

Em fevereiro, um dos maiores departamentos governamentais da Austrália listou botas Ugg, chinelos e roupas desportivas, como camisolas de futebol, entre as peças de roupa consideradas demasiado casuais para o trabalho.

As regras do Departamento de Assuntos Internos, enviadas aos funcionários num código de “vestuário e aparência” de 11 páginas, aplicam-se até àqueles que trabalham em casa e fazem videochamadas.

Segundo o The Washington Post, que teve acesso ao documento, calções de qualquer tipo são considerados como traje de trabalho inadequado. Artigos de vestuário desportivo, incluindo fatos de treino, fatos desportivos e calções de ciclismo, juntamente com t-shirts, polos e tops, também foram etiquetados como inadequados para reuniões de negócios, seja pessoalmente ou online.

As regras incluem ainda roupas sem mangas – como vestidos e blusas femininas. Esta regra levou os sindicatos a acusar as autoridade de um golpe para com os trabalhadores que sobreviveram à pandemia sem ar condicionado nas suas casas.

“A nossa imagem pública é um componente crítico para manter o respeito do Governo australiano e da comunidade australiana e a sua confiança na nossa integridade e profissionalismo”, lê-se no documento.

No entanto, recorda o jornal, os líderes do país nem sempre são conhecidos pelas melhores escolhas de vestuário. O primeiro-ministro Scott Morrison, que trabalhou na sua residência oficial em Canberra em novembro, enquanto estava em quarentena após uma viagem ao exterior, foi fotografado com um fato de negócios da cintura para cima combinado com calções de banho e chinelos brancos.

Um dos seus antecessores, Tony Abbott, costumava ser visto em torno da Casa do Parlamento em calões de ciclismo e outras roupas desportivas.

Já John Howard, um dos líderes mais antigos da Austrália, usava um agasalho verde e dourado – as cores nacionais da Austrália – em caminhadas diárias, onde se misturava com oficiais e constituintes.

Esta quarta-feira, o Fair Work Australia, um tribunal independente do local de trabalho, determinou que o departamento deveria ter consultado os seus funcionários sobre as mudanças.

Brooke Muscat, a vice-presidente nacional do Sindicato da Comunidade e do Setor Público, que levou o caso ao tribunal, disse que descrever vestidos e blusas sem mangas como trajes de trabalho inadequados era uma “mudança ridícula de política”.

Segundo o sindicato, o texto tinha claras implicações de género e visava as mulheres.

O Departamento de Assuntos Internos disse esta quinta-feira que está a considerar a decisão do tribunal.

Este departamento emprega oficiais de alfândega e controlo de fronteiras, bem como pessoas em funções de escritório em imigração e cidadania. Cerca de 54% dos seus trabalhadores são mulheres.

Maria Campos, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Mayflower 2.0: um navio autónomo pilotado por IA está a refazer a viagem do original

Quatro séculos e uma pandemia depois de o Mayflower original ter zarpado do porto de Southampton, numa jornada histórica para a América, outro veículo pioneiro com o mesmo nome partiu para refazer a mesma viagem. O …

Halterofilista neozelandesa será a primeira atleta transgénero a competir nos Jogos Olímpicos

A neozelandesa Laurel Hubbard, de 43 anos, classificou-se para os Jogos Olímpicos de Tóquio na categoria acima de 87kg feminina (super pesadas) do levantamento de peso, tornando-se a primeira atleta transgénero a participar na competição. "Estou …

República Checa 0-1 Inglaterra | Serviços mínimos valem topo

A Inglaterra, que tinha assegurado o apuramento na segunda-feira, garantiu o primeiro lugar do Grupo D do Euro 2020, ao vencer a República Checa por 1-0, com um golo madrugador, no mítico estádio de Wembley. Num …

Croácia 3-1 Escócia | Croatas de trivela rumo aos oitavos

A Croácia, liderada pelos ‘craques’ Luka Modric e Ivan Perisic, qualificou-se hoje para os oitavos de final do Euro2020 de futebol, ao vencer por 3-1 a Escócia, que eliminou, num Grupo D conquistado pela Inglaterra. Os …

Asteroide tem nome de astrofísico português Nuno Peixinho

O astrofísico português Nuno Peixinho dá nome a um asteroide, descoberto em 1998 e que tem pouco mais de 10 quilómetros de diâmetro, anunciou esta segunda-feira o Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço (IA), …

"É inaceitável". Ana Mendes Godinho critica situações de trabalho temporário que "duram décadas"

A ministra do Trabalho, Ana Mendes Godinho, insistiu esta terça-feira na relevância do combate à precariedade, sinalizando a intenção de restringir o trabalho temporário. "Tem de haver mecanismos mais fortes para combater a segmentação do mercado …

Hitler expulsou os soldados judeus há oito décadas. Agora, um rabino junta-se ao exército alemão

No início da Segunda Guerra Mundial, Hitler expulsou os judeus das Forças Armadas na década de 1930. Agora, Zsolt Balla irá assumir o cargo de rabino-chefe do exército alemão. Mais de 80 anos depois, aquilo que …

Rio critica Governo após "justa indignação" de Merkel

O presidente do PSD acusou esta terça-feira o Governo de estar a fazer Portugal passar “por uma vergonha desnecessária”, considerando que depois da “vexatória desconsideração” do Reino Unido, os portugueses têm que “ouvir a justa …

Amazon acusada de destruir milhões de itens não vendidos todos os anos

A Amazon foi acusada de destruir milhões de itens não vendidos todos os anos, segundo uma investigação da Newsweek, publicada na segunda-feira. "Uma investigação da ITV News num dos centros de distribuição da Amazon no Reino …

Enquanto o mundo lutava contra uma pandemia, a Guiné declarava o fim do segundo surto do Ébola

No passado sábado, a Organização Mundial da Saúde (OMS) anunciou o fim do segundo surto de Ébola na Guiné-Conacri, que vitimou mortalmente 12 pessoas. "Tenho a honra de declarar o fim do Ébola na Guiné", disse …