Ataque em Jerusalém aumenta receio de possível conflito religioso

Amir Farshad Ebrahimi / Flickr

-

O ataque a tiros e facadas, cometido por palestinianos nesta terça-feira na sinagoga de Har Nof, é o mais grave de uma série de incidentes de caráter religioso ocorridos em Jerusalém nas últimas semanas.

As vítimas do ataque são quatro rabinos, que foram assassinados durante a oração matinal, num bairro ultraortodoxo. Outras sete pessoas ficaram feridas, e os autores do atentado – dois palestinianos de Jerusalém Oriental – foram mortos pela polícia.

Esta nova onda de violência começou no início de novembro, em meio a uma campanha movida por políticos da extrema-direita israelita em prol do “direito à oração de judeus” num local sensível aos muçulmanos, dentro da Cidade Velha.

Como parte da campanha, alguns políticos e ativistas israelitas entraram na Esplanada das Mesquitas, terceiro lugar sagrado para a religião islâmica, despertando a fúria dos fiéis palestinianos que temem a concretização de promessas de “construir o Terceiro Templo no Monte do Templo”, no lugar das Mesquitas de El Aqsa e do Domo da Rocha.

No dia 5 de novembro, polícias israelitas entraram na própria Mesquita de El Aqsa à procura de jovens que tinham atirado pedras, gerando uma escalada da tensão em Jerusalém e duros protestos por parte da Jordânia, que convocou o seu embaixador em Israel para consultas.

Do ponto de vista da religião islâmica, a entrada de polícias de botas na área da Mesquita foi considerada uma “profanação” do santuário, já que a tradição proíbe que pessoas entrem calçadas no local sagrado.

Provocações

O presidente palestiniano, Mahmoud Abbas, acusou Israel de fazer “provocações” religiosas e de “profanar” a mesquita. “As provocações de Israel podem levar o conflito a uma guerra religiosa”, advertiu Abbas.

Em resposta, o chanceler de Israel, Avigdor Lieberman, acusou o presidente palestiniano de “incitamento antissemita”.

No mesmo dia da entrada na mesquita pelos polícias, um palestiniano atropelou israelitas que estavam numa estação de comboios, matando duas pessoas e ferindo mais oito.

A esse atentado seguiram-se outros ataques, nos quais palestinianos utilizaram carros e facas como armas contra israelitas nas cidades de Jerusalém e Tel Aviv e também na Cisjordânia.

BBC

-

Essa nova onda de violência, que teve como catalizador sas tensões envolvendo a Esplanada das Mesquitas, já deixou 10 mortos do lado israelita e 14 do lado palestiniano, incluindo os autores dos ataques.

“Amplia-se o componente religioso no conflito com os palestinianos”, afirmou o analista Amos Harel, num artigo no jornal Haaretz. “A nova onda de terror começa a assumir características de uma guerra religiosa”.

“É bem provável que o alvo do grave atentado desta terça – a sinagoga do bairro de Har Nof – não tenha sido escolhido por acaso. Trata-se de um alvo explicitamente religioso, no contexto de um confronto religioso. É quase desnecessário explicar o quão perigosa é essa motivação”, prosseguiu Harel.

O autarca de Jerusalém, Nir Barkat, pediu à população para manter a calma e advertiu sobre o perigo de possíveis represálias por parte de israelitas contra palestinianos. “Não tentem fazer justiça com as próprias mãos”, afirmou.

O ministro da Segurança Interna, Itzhak Aharonovitz, que coordena a Polícia, prometeu medidas duras “contra os terroristas, as seus chefes e as suas famílias”.

Aharonovitz também defendeu a diminuição das restrições ao porte da armas “para que haja mais mãos (a atirar) contra terroristas que decidam cometer atentados”.

Reações

O ataque desta terça-feira foi reivindicado pelo grupo nacionalista palestiniano Brigadas de Abu Ali Mustafa, braço militar da Frente Popular pela Libertação da Palestina, que também esteve por trás de atentados anteriores.

O presidente palestiniano, Abbas, emitiu um comunicado a condenar “o ataque de judeus no seu local de oração e a morte de civis”.

Na Faixa de Gaza, em contrapartida, o ataque foi comemorado, e o grupo radical Hamas, que administra a região, disse que tratou-se de uma vingança pela morte de um motorista de autocarro palestiniano encontrado enforcado dentro de um veículo em Jerusalém na segunda-feira. A polícia israelita tinha considerado o caso um suicídio.

ZAP / BBC

PARTILHAR

RESPONDER

Disney+ alerta para estereótipos racistas. Filmes clássicos com avisos sobre "maus tratos"

Embora já exibisse mensagens padrão desde o ano passado, a nova plataforma de vídeo Disney+ mostra agora um aviso, que não pode ser passado à frente, no início de vários filmes clássicos - como Dumbo …

Curados da covid-19 continuam com sintomas meses depois de terem contraído o vírus

Um estudo da Universidade de Oxford indica que 64% dos pacientes hospitalizados com o novo coronavírus apresenta falta de ar 2 a 3 meses depois de serem infetados. E quase 40% tem sintomas de depressão. Já …

Portugal vai estar no Mundial sub-20 (sem jogar o apuramento)

Todas as fases do Europeu sub-19 foram canceladas e a seleção portuguesa foi uma das eleitas para participar no Mundial do próximo ano. Portugal já sabe que vai estar na fase final do Mundial sub-20 (se …

Novos implantes cardíacos podem salvar 10 mil vidas por ano

O chamado envelope antibiótico envolve o implante cardíaco e previne infeções no paciente. Por ano, morrem cerca de 10 mil pessoas devido a infeções geradas pelo implante. O pacemaker é um pequeno aparelho que é colocado …

Banda dá concerto com músicos e público envoltos em bolhas de plástico para evitar contágio

A banda norte-americana Flaming Lips utilizou bolhas insufláveis ​​de tamanho humano num concerto em Oklahoma, uma solução para proteger os músicos e o público do novo coronavírus, enquanto tenta encontrar uma forma segura para atuar …

EUA. Especialista diz que as próximas semanas "vão ser as mais negras de toda a pandemia"

Um especialista em doenças infecciosas disse que no caso dos Estados Unidos, as próximas seis a 12 semanas vão ser as mais negras de toda a pandemia de covid-19. Michael Osterholm, diretor do Centro de Investigação …

Chelsea inscreve... Petr Cech

Antigo guarda-redes poderá voltar aos relvados nesta época, embora seja pouco provável, para já. Petr Čech entrou em campo pela última vez em maio de 2019, há quase um ano e meio. Já tinha anunciado a …

Disparos de satélites e naves do Star Trek? Relatório revela como seria uma guerra no Espaço

A criação da Força Espacial dos Estados Unidos evocou todos os tipos de noções fantasiosas sobre o combate no Espaço. Assim, um novo relatório explica o que é física e praticamente possível quando se trata …

Japão prepara-se para lançar água tratada de Fukushima no mar

O Japão vai libertar mais de um milhão de toneladas de água tratada da usina nuclear de Fukushima no mar, numa operação que levará cerca de 30 anos para ficar concluída. Ambientalistas e pescadores locais …

Turismo de mergulho? Submarino da "frota perdida" de Hitler aguarda o seu destino no fundo do Mar Negro

Coberto por “redes fantasmas” deixadas por pescadores, os destroços de um submarino U-20 enviado para o Mar Negro pela Alemanha nazi tornou-se recentemente tema de um documentário produzido na Turquia. Localizado a uma profundidade de 20 …